Sábado tem espetáculo com audiodescrição em São Paulo

23 de maio de 2017 – “Vianinha conta o último combate do homem comum” é o próximo espetáculo da IV Mostra Petrobras Premmia de Teatro, que acontece na capital paulista, no fim de semana dos dias 27 e 28 de maio. 

Descrição da imagem #pracegover: Imagem horizontal e colorida de um homem vestido de palhaço, provando um molde de roupa. Ele tem cabelo castanho cacheado estilo black power e barba rala. Usa blusa vermelha de mangas compridas com uma outra, preta com bolinhas brancas, cobrindo-lhe o peito. O molde é feito de papel branco e transparente, ficando a frente de seu corpo. As bochechas do homem estão pintadas de vermelho e abaixo do lábio inferior há dois riscos brancos e grossos, descendo em direção ao queixo. Ele usa nariz redondo e vermelho de palhaço, preso por um elástico. As mãos estão apoiadas na lateral da cabeça. Sua testa está franzida e as sobrancelhas grossas, arqueadas.  Ele sorri enquanto olha para frente. Do lado direito da imagem, uma mulher de pele clara, cabelo castanho escuro e óculos está de perfil. Ela usa brinco prateado de argola e blusa branca. Está em um nível inferior ao homem, como se estivesse sentada. Suas mãos estão apoiadas na lateral do corpo dele, parecendo medir o molde. 
Descrição da imagem #pracegover: Imagem horizontal e colorida de um homem vestido de palhaço, provando um molde de roupa. Ele tem cabelo castanho cacheado estilo black power e barba rala. Usa blusa vermelha de mangas compridas com uma outra, preta com bolinhas brancas, cobrindo-lhe o peito. O molde é feito de papel branco e transparente, ficando a frente de seu corpo. As bochechas do homem estão pintadas de vermelho e abaixo do lábio inferior há dois riscos brancos e grossos, descendo em direção ao queixo. Ele usa nariz redondo e vermelho de palhaço, preso por um elástico. As mãos estão apoiadas na lateral da cabeça. Sua testa está franzida e as sobrancelhas grossas, arqueadas.  Ele sorri enquanto olha para frente.
Do lado direito da imagem, uma mulher de pele clara, cabelo castanho escuro e óculos está de perfil. Ela usa brinco prateado de argola e blusa branca. Está em um nível inferior ao homem, como se estivesse sentada. Suas mãos estão apoiadas na lateral do corpo dele, parecendo medir o molde.

Sinopse: O casal de idosos Souza e Lu reúne os filhos em um almoço de domingo em sua casa em Miguel Pereira, onde os filhos foram criados, para dar-lhes a notícia de que terão que deixar a casa que viveram boa parte de suas vidas.  Após o falecimento do proprietário do imóvel, os herdeiros decidiram reajustar o aluguel para um valor incompatível com a aposentadoria de um funcionário público. Tentando ganhar tempo para uma solução definitiva, os filhos decidem separar os pais temporariamente: Souza vai passar um tempo com a filha em São Paulo e Lu fica com o filho no Rio. A filha que teria a situação financeira melhor, promete que vai conversar com o marido, mas antecipa que ele não concordou nem mesmo ter a própria mãe em casa. O tempo vai passando e a triste solução é separar o casal, no fim de sua vida. Souza vai morar com a filha Mariazinha em Brasília e Lu fica no Rio em um asilo, pois não a espaço para ele na casa dos filhos.

Agenda da sessão com audiodescrição:

Data: 27 de maio de 2017.

Horário: 21h

Recurso inclusivo: audiodescrição

Local:  Auditório Ibirapuera – Oscar Niemeyer (Avenida Pedro Álvares Cabral, s/nº – Parque do Ibirapuera)

Duração: 120min

Ingressos cortesia:

Há ingressos para pessoas com deficiência visual e um acompanhante. Interessados, por favor, confirmar presença, o mais breve possível, pelo e-mail: eventos@iguale.com.br 

A organização da Mostra fornecerá transporte gratuito de ida e volta para o público com deficiência. A van sairá da estação Santa Cruz do metrô e levará até o auditório.  Ao fim do espetáculo, fará o caminho de volta até a estação.

 Para mais informações sobre a mostra acesse: www.mostradeteatro.com.br

BH recebe ‘Chacrinha, o Musical’ com recursos acessíveis produzidos pela Iguale

24 de setembro de 2015 – A capital mineira recebe de 25 a 27 de setembro, no Grande Teatro do Palácio das Artes, o espetáculo que homenageia um dos maiores comunicadores do rádio e da TV brasileira: Chacrinha, O Musical. E mais uma vez a Iguale estará empenhada em realizar, com qualidade e profissionalismo, os recursos acessíveis de audiodescrição e LIBRAS, como já fez em São Paulo e no Rio de Janeiro.

A sessão com acessibilidade acontece no domingo, dia 27, às 19h. O público de Belo Horizonte e quem estiver de visita à cidade não pode perder esta oportunidade. Há ingressos gratuitos e exclusivos para pessoas com deficiência. As reservas podem ser feitas pelo e-mail eventos@iguale.com.br ou pelo telefone (11) 2597.5805, durante o horário comercial, até esta sexta, dia 25. Os ingressos são limitados.

Descrição da foto de de divulgação: o ator Stepan Nercessian é mostrado da cintura para cima, caracterizado como o “Velho Guerreiro”. Sorrindo expressivamente, ele tem a mão direita levantada na altura do rosto, com as pontas dos dedos polegar e indicador unidos e os outros três dedos levantados, em um gesto conhecido como “OK”, marca registrada de Chacrinha durante as apresentações do programa de TV. Ele veste um fraque vermelho que tem uma grande flor amarela de folhas verdes, presa do lado esquerdo do peito. Também usa um colete laranja e uma enorme gravata borboleta verde, tudo confeccionado com lantejoulas e muito brilho. Sobre os cabelos brancos, volumosos e encaracolados, uma cartola vermelha, também de lantejoulas, com plumas amarelas e verdes. Chacrinha usa óculos de grau de armação preta e grossa e tem um microfone de mão pendurado por um suporte na altura do peito, além de uma buzina dourada na altura da barriga, presa por uma corrente, também dourada e comprida, que desce do pescoço.
Descrição da foto de de divulgação: o ator Stepan Nercessian é mostrado da cintura para cima, caracterizado como o “Velho Guerreiro”. Sorrindo expressivamente, ele tem a mão direita levantada na altura do rosto, com as pontas dos dedos polegar e indicador unidos e os outros três dedos levantados, em um gesto conhecido como “OK”, marca registrada de Chacrinha durante as apresentações do programa de TV. Ele veste um fraque vermelho que tem uma grande flor amarela de folhas verdes, presa do lado esquerdo do peito. Também usa um colete laranja e uma enorme gravata borboleta verde, tudo confeccionado com lantejoulas e muito brilho. Sobre os cabelos brancos, volumosos e encaracolados, uma cartola vermelha, também de lantejoulas, com plumas amarelas e verdes. Chacrinha usa óculos de grau de armação preta e grossa e tem um microfone de mão pendurado por um suporte na altura do peito, além de uma buzina dourada na altura da barriga, presa por uma corrente, também dourada e comprida, que desce do pescoço.

Sobre o espetáculo:

Com texto de Pedro Bial e Rodrigo Nogueira, o musical acompanha a trajetória do apresentador Abelardo Barbosa desde sua infância em Surubim, Pernambuco, até o auge da carreira na TV Globo, onde comandava o programa de auditório Cassino do Chacrinha, com espaço para as chacretes, seus famosos trocadilhos, buzinadas e o troféu abacaxi.

O público confere dois atos no espetáculo: um espaço para episódios biográficos, como a infância difícil de Chacrinha com a morte do pai e um segundo momento mais lírico e fantasioso, marcado pelo seu ingresso no rádio e revolução na televisão nacional, que promoveu certa obsessão e autoritarismo por parte do apresentador.