Iguale marca presença na 4ª Virada Inclusiva de São Paulo

A 4ª edição da Virada Inclusiva, promovida pela Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, entre os dias 30 de novembro, 1 e 3 de dezembro, em todo o estado de São Paulo, contou com a participação ativa da equipe da Iguale Comunicação de Acessibilidade.

No dia 30 de novembro, a Iguale produziu audiodescrição para o monólogo “A arte e a maneira de abordar seu chefe para pedir aumento”, interpretado pelo ator Marco Nanini. O espetáculo esteve em cartaz no Sesc Vila Mariana, em São Paulo.

 Já no dia 1º de dezembro, a Iguale fez a tradução e interpretação de LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais), para os espetáculo infantil “Top Patoc”, do grupo teatral Tiquequê, em cartaz no Sesc Itaquera, também em São Paulo. Para este mesmo grupo, a Iguale fez também a tradução e interpretação em LIBRAS para o espetáculo “Tu toca o que?”, no dia 8 de dezembro, também no Sesc Itaquera.

 As sessões dos filmes “Girimunho” e “Menos que Nada”, em exibição no Sesc São Carlos, no interior de São Paulo, também no dia 1º de dezembro, tiveram, por sua vez, a audiodescrição da Iguale Comunicação de Acessibilidade.

 E no dia 3 de dezembro, a exibição do filme “Central do Brasil”, no Sesc Santana, em São Paulo, contou com audiodescrição e legendas open caption produzidas pela equipe da Iguale.

Monólogo de Marco Nanini tem sessões com audiodescrição

A Iguale é a responsável pela produção do recurso de acessibilidade para o espetáculo

São Paulo, 28 de novembro de 2013 – Nos dias 30 de novembro e 1º de dezembro, o espetáculo teatral “A arte e a maneira de abordar seu chefe para pedir aumento”, em cartaz no Sesc Vila Mariana, em São Paulo, terá audiodescrição da Iguale Comunicação de Acessibilidade. Com este recurso, o monólogo interpretado pelo ator Marco Nanini, permitirá que pessoas com deficiência visual compreendam, com riqueza de detalhes, informações exclusivamente visuais, traduzidas, em tempo real, para o verbal.

“A audiodescrição é um recurso que tem como base a tradução audiovisual intersemiótica, ou seja, do visual para o verbal, transformando imagens dinâmicas ou estáticas em descrições sonoras isentas de julgamento de valores e com o máximo de detalhes possíveis, relatando de forma harmônica toda e qualquer informação”, explica Mauricio Santana, diretor da Iguale.

Na peça de teatro, por exemplo, as cenas, o cenário, o figurino, os gestos dos atores, e todo contexto visual, são descritos, intercalando as falas dos atores, sem interferir no entendimento do público. A pessoa com deficiência recebe na entrada do teatro um receptor portátil com fone de ouvido para o qual é transmitida a audiodescrição, assim houve a narração do audiodescritor, sem causar qualquer tipo de incômodo aos demais na plateia.

Estas sessões com o recurso de audiodescrição fazem parte das atividades do Sesc Vila Mariana, dentro da 4ª edição da Virada Inclusiva, promovida pela Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, entre os dias 30 de novembro, 1 e 3 de dezembro, em todo o estado de São Paulo. Para saber mais acesse: viradainclusiva.sedpcd.sp.gov.br.

Segundo a assessoria do Sesc Vila Mariana, os ingressos estão esgotados para toda a temporada. No entanto, ainda há lugares limitados para atendimento a pessoas com deficiência visual, que podem ser adquiridos pessoalmente pela rede INGRESSOSESC, e nas bilheterias do Sesc São Paulo.

Sobre o espetáculo

No monólogo – “A arte e a maneira de abordar seu chefe para pedir aumento” –, um homem apresenta um organograma complexo e irônico sobre as possibilidades de sucesso e fracasso na angustiante missão de pedir um aumento no salário ao chefe.

Direção: Guel Arraes
Texto: Georges Perec
Tradução: José Almino

Nesta imagem o personagem do ator Marco Nanini está sentado em uma cadeira de escritório, olhando para frente. Tem a pele clara, os cabelos brancos e curtos, e aparenta 60 anos. Ele usa terno preto, camisa azul-claro e gravata vinho com bolinhas brancas. Segura um saquinho plástico na mão esquerda, que está apoiada na perna. O braço direito está dobrado para cima e a mão ao lado do corpo na altura da cabeça. Nela segura uma carteira de trabalho, azul com os escritos e o brasão da República em branco. Sua expressão é de desânimo: tem a testa franzida, as sobrancelhas levemente arqueadas, os olhos arregalados e a boca fechada e os lábios cerrados. O fundo é cinza escuro.  Crédito: Cabéra
Nesta imagem o personagem do ator Marco Nanini está sentado em uma cadeira de escritório, olhando para frente. Tem a pele clara, os cabelos brancos e curtos, e aparenta 60 anos. Ele usa terno preto, camisa azul-claro e gravata vinho com bolinhas brancas. Segura um saquinho plástico na mão esquerda, que está apoiada na perna. O braço direito está dobrado para cima e a mão ao lado do corpo na altura da cabeça. Nela segura uma carteira de trabalho, azul com os escritos e o brasão da República em branco. Sua expressão é de desânimo: tem a testa franzida, as sobrancelhas levemente arqueadas, os olhos arregalados e a boca fechada e os lábios cerrados. O fundo é cinza escuro.
Crédito: Cabéra

Agenda:

Espetáculo: A arte e a maneira de abordar seu chefe para pedir aumento

Teatro: Sesc Vila Mariana – Rua Pelotas, 141, Vila Mariana, São Paulo – SP.

Audiodescrição: Iguale Comunicação de Acessibilidade

Não recomendado para menores de 12 anos