Filme com recursos acessíveis pode ser visto até dia 22 no Festival Varilux de Cinema Francês

Junho de 2016 – Termina na próxima quarta-feira, dia 22, o Festival Varilux de Cinema Francês, em cartaz em 50 cidades do país. Neste festival, a animação “Abril e o mundo extraordinário” dispõe ao público com deficiência os recursos de LIBRAS, legendas e audiodescrição no app MovieReading. O filme com acessibilidade é resultado da parceria entre a Iguale  e da ETC Filmes.

E-flyer_Varilux com acessibilidade

Descrição da imagem ‪#‎pracegover‬: no canto superior esquerdo do retângulo, que está na vertical, estão descritas as informações “Ministério da Cultura e Secretaria do Estado da Cultura do Rio de Janeiro apresentam” e logo abaixo, em caixa alta e fonte branca “Festival Varilux de Cinema Francês 2016”. Um pouco mais à direita “8 – 22 de junho em todo o Brasil – variluxcinemafrances.com. Todas essas informações estão sobre uma das cenas do filme “Abril e o mundo extraordinário”, na qual a jovem Abril salta sobre os telhados dos prédios da cidade de Paris, enquanto é seguida por seu gato. Ao fundo duas torres Eiffel emolduram a cena.

Já na parte de baixo do retângulo, estão as seguintes informações: Filme com acessibilidade em todas as sessões dubladas. Pela primeira vez, o Festival Varilux contará com um filme com acessibilidade: visite o site e confira as instruções para baixar gratuitamente o aplicativo MovieReading, que disponibiliza recursos de audiodescrição, legendas e língua brasileira de sinais. “Abril e o mundo extraordinário” – Avril el le monde truque.

Nessa aventura, ambientada em Paris de 1941, a corajosa menina Abril terá que descobrir o que aconteceu com seus pais e todos os demais cientistas que sumiram misteriosamente. E para isso contará com a ajuda de Darwin, seu gato falante, e de seu amigo Julius, um jovem que vive nas ruas. Um presente também para os fãs de animação e dos traços do famoso desenhista Jacques Tardi, o filme estará disponível para o público nas salas de cinema em versões dubladas e legendadas.

Vencedor do Prêmio Cristal – Festival de animação de Annecy 2015

De Franck Ekinci, Christian Desmares, coordenadores de animação de Pérsépolis. Vozes de Marion Cotillard, Philippe Katerine, Jean Rochefort. 2015 – animação/aventura – 1h45. Filme dublado em português. Distribuição no Brasil: Bonfilm. Livre para todos os públicos.

Apoio: ETC Filme e Iguale Comunicação de Acessibilidade

Logos: Varilux/Essilor e outros.

Homenagem da Iguale ao Dia Nacional da Surdez

Descrição do vídeo: o intérprete de LIBRAS, Rimar Segala, está em frente a um fundo preto e sinaliza o texto falado, junto à exibição sincronizada das legendas descritivas. Ele é magro, tem a pele branca, olhos castanhos e o cabelo bem curto. O logotipo da Iguale Comunicação de Acessibilidade está no canto superior direito da tela: formado pela palavra “Iguale” escrita dentro de um círculo de linha fina.

Iguale marca presença na 4ª Virada Inclusiva de São Paulo

A 4ª edição da Virada Inclusiva, promovida pela Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, entre os dias 30 de novembro, 1 e 3 de dezembro, em todo o estado de São Paulo, contou com a participação ativa da equipe da Iguale Comunicação de Acessibilidade.

No dia 30 de novembro, a Iguale produziu audiodescrição para o monólogo “A arte e a maneira de abordar seu chefe para pedir aumento”, interpretado pelo ator Marco Nanini. O espetáculo esteve em cartaz no Sesc Vila Mariana, em São Paulo.

 Já no dia 1º de dezembro, a Iguale fez a tradução e interpretação de LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais), para os espetáculo infantil “Top Patoc”, do grupo teatral Tiquequê, em cartaz no Sesc Itaquera, também em São Paulo. Para este mesmo grupo, a Iguale fez também a tradução e interpretação em LIBRAS para o espetáculo “Tu toca o que?”, no dia 8 de dezembro, também no Sesc Itaquera.

 As sessões dos filmes “Girimunho” e “Menos que Nada”, em exibição no Sesc São Carlos, no interior de São Paulo, também no dia 1º de dezembro, tiveram, por sua vez, a audiodescrição da Iguale Comunicação de Acessibilidade.

 E no dia 3 de dezembro, a exibição do filme “Central do Brasil”, no Sesc Santana, em São Paulo, contou com audiodescrição e legendas open caption produzidas pela equipe da Iguale.