‘Chacrinha, o Musical’ terá sessão acessível com os recursos de audiodescrição e LIBRAS produzidos pela Iguale

Em cartaz na capital paulista, a sessão com acessibilidade será dia 4 de julho; Stepan Nercessian e Leo Bahia interpretam o “Velho Guerreiro”

 Junho de 2015 –  Em cartaz no Teatro Alfa, em São Paulo, ‘Chacrinha, o Musical’, terá no dia 4 de julho, às 16h, sessão inclusiva com audiodescrição e LIBRAS, produzidos pela Iguale Comunicação de Acessibilidade. Com estes recursos, o público com deficiência visual e auditiva terá a oportunidade de assistir esse grandioso espetáculo musical, que conta a história de um dos mais importantes comunicadores brasileiros.

 Assim como na sessão inclusiva deste mesmo espetáculo realizada em fevereiro na capital carioca, coube a Iguale Comunicação de Acessibilidade toda a produção dos recursos de acessibilidade, proporcionando inclusão cultural, direito à informação e para muitos, a primeira experiência de assistir a um espetáculo teatral.

Segundo Mauricio Santana, diretor da Iguale, a sessão inclusiva terá ingressos reservados para o público com deficiência visual e auditiva e seus acompanhantes. Por isso, os interessados deve se apressar para não perder a oportunidade. As reservas podem ser feitas pelo e-mail eventos@iguale.com.br ou telefone (11) 2597.5805 (horário comercial) até 2 de julho. Os ingressos são limitados. A sessão inclusiva é uma iniciativa da Cielo, patrocinadora do musical.

Sobre o espetáculo

Maior comunicador do rádio e da TV brasileira, Abelardo Barbosa costumava dizer que “Na televisão nada se cria, tudo se copia”. Paradoxalmente, não teve ninguém até hoje que conseguiu copiar a espontaneidade do Velho Guerreiro.

O espetáculo acompanha a trajetória do apresentador desde sua infância em Surubim, Pernambuco, até o auge da carreira na TV Globo, comandando o programa de auditório Cassino do Chacrinha. Dois atores dão vida ao protagonista: Stepan Nercessian, que interpreta o Chacrinha consagrado no rádio e na TV, enquanto Leo Bahia incorpora ele quando jovem.

A superprodução da Aventura Entretenimento tem texto de Pedro Bial e Rodrigo Nogueira e marca a primeira direção teatral de Andrucha Waddington. O espetáculo reúne ainda Alonso Barros como diretor de movimento e Delia Fischer, que assina direção musical e os arranjos. A trilha sonora reúne mais de 60 sucessos da música nacional. O cenário de Gringo Cardia e o figurino de Claudia Kopke foram indicados aos Prêmios Shell e APTR.

Imagem do convite_Chacrinha o Musical em SP

Agenda

Sessão inclusiva ‘Chacrinha, o Musical’

Local: Teatro Alfa – São Paulo

Data: 4 de julho de 2015

Horário: 16h

Recursos de acessibilidade: Iguale Comunicação de Acessibilidade.

Descrição do convite digital: de formato quadrado e fundo azul escuro, trás do lado esquerdo a foto do ator Stepan Nercessian, mostrado da cintura para cima, caracterizado como o “Velho Guerreiro”. Sorrindo expressivamente, ele tem a mão direita levantada na altura do rosto, com as pontas dos dedos polegar e indicador unidos e os outros três dedos levantados, em um gesto conhecido como “OK”, marca registrada de Chacrinha durante as apresentações do programa de TV.

Ele veste um fraque vermelho que tem uma grande flor amarela de folhas verdes, presa do lado esquerdo do peito. Também usa um colete laranja e uma enorme gravata borboleta verde, tudo confeccionado com lantejoulas e muito brilho. Sobre os cabelos brancos, volumosos e encaracolados, uma cartola vermelha, também de lantejoulas, com plumas amarelas e verdes. Chacrinha usa óculos de grau de armação preta e grossa e tem um microfone de mão pendurado por um suporte na altura do peito, além de uma buzina dourada na altura da barriga, presa por uma corrente, também dourada e comprida, que desce do pescoço.

Do lado direito do convite, em letras brancas sobre o fundo azul, tem as informações sobre a sessão inclusiva:

Ministério da Cultura apresenta: Chacrinha, O Musical.

A Cielo convida para uma sessão inclusiva para deficientes visuais e auditivos no dia 04 de julho às 16h, no Teatro Alfa.

Apoio: Cielo

Produção: Aventura Entretenimento/Lei de Incentivo a Cultura

Realização: Ministério da Cultura e Governo Federal – Brasil Pátria Educadora.

Abaixo, no rodapé de fundo branco e dividido da imagem principal por duas linhas onduladas – uma vermelha e mais grossa e outra verde e fina – tem uma área com os logotipos da Cielo, Lei de Incentivo a Cultura, Aventura Entretenimento, Ministério da Cultura e Governo do Brasil (fim da descrição).

Iguale faz audiodescrição para o curta ‘A valsa do pódio’

 

O documentário, com recurso acessível para pessoas com deficiência visual, retrata a história da paratleta olímpica Terezinha Guilhermina e seu guia, Guilherme Santana 

São Paulo, 9 de agosto de 2013 – A Iguale Comunicação de Acessibilidade fez a audiodescrição do documentário ‘A valsa do pódio’ produzido pelos diretores Bruno Carneiro e Daniel Hanai, por intermédio do projeto Memória do Esporte Olímpico Brasileiro, realizado pelo Instituto de Políticas Relacionais, com o apoio da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura e da Cinemateca Brasileira.

O curta, que será lançado oficialmente na próxima terça-feira, dia 13 de agosto, em solenidade na Cinemateca Brasileira, em São Paulo, junto a outros documentários contemplados no projeto, retrata a história da paratleta Terezinha Guilhermina que conquistou, ao lado de seu guia Guilherme Santana, duas medalhas de ouro nas provas de 100m e 200m rasos para cegos (T11), na última edição dos Jogos Paralímpicos de Londres, em 2012.

Como explicam os diretores, o documentário não conta a história de uma atleta com deficiência visual, mas sim de uma parceria de sucesso feita por pessoas com vitalidade e alegria, que sentem prazer no que fazem. “Devido a deficiência visual, a história de vida de Terezinha Guilhermina poderia caber em um roteiro de documentário no estilo mais dramalhão. Mas desde o princípio dissemos: não vamos fazer um documentário de autoajuda. Nada disso. Vamos fazer algo pra cima e por sorte, tanto Terezinha quanto Guilherme são muito pra cima. O cerne do nosso trabalho é mostrar que os dois trabalham muito bem juntos”, completa Hanai.

Bruno Carneiro reitera, ainda, que o documentário é sobre uma parceria entre dois atletas em um esporte teoricamente individual, que devido a uma forte sintonia tornam a corrida um esporte de equipe, já que a atleta precisa do guia para executar a prova, o que se dá de forma harmoniosa. “A simbiose entre os dois é perfeita, tanto dentro da pista quanto fora”, ressalta.

Questionados sobre o nome do documentário, os diretores explicam que ‘A Valsa do Pódio’ poderia ter sido originado dos movimentos ritmados que, se cuidadosamente observados, fazem parte da corrida para cegos. Mas não foi desta comparação que surgiu o nome do curta. A inspiração, segundo Hanai veio da cerimônia de premiação dos 100m em que Guilherme levou Terezinha ao lugar mais alto do pódio como se estivessem valsando.

Sobre o cuidado de incluir a audiodescrição na produção do curta, os diretores contam que foi uma iniciativa que partiu da própria equipe ainda durante as gravações. Como relata Hanai, na captação das imagens, os comentários eram de que estavam ficando legais, curiosas, interessantes, e que devido à deficiência visual, Terezinha Guilhermina não conseguia conferir, como os demais, o resultado das imagens. Com a audiodescrição, a intenção é que ela possa assistir ao documentário com toda a riqueza de detalhes. “Para nós, a audiodescrição é a cereja do bolo. Algo que vem a somar ao nosso trabalho”, conclui o diretor.

Conforme divulgado pelo Memória do Esporte Olímpico Brasileiro, após lançamento no dia 13, ‘A Valsa do Pódio’ e os demais documentários produzidos nesta edição do projeto serão exibidos na ESPN Brasil e em uma Mostra na Cinemateca Brasileira. Na ESPN, a ‘A Valsa do Pódio’ irá ao ar no dia 6 de outubro, às 21h30, podendo também ser visto pela SKY: canal 30; NET: canal 70; Claro: canal 46; Oi TV: canal 112; Vivo: canal 462 e GVT: canal 47.

Sinopse – ‘A Valsa do Pódio’

Em 2012, nos Jogos Paralímpicos de Londres, a atleta brasileira Terezinha Guilhermina confirmou sua posição de corredora com deficiência visual mais rápida do mundo: conquistou, ao lado de seu guia Guilherme Santana, duas medalhas de ouro nas provas de 100m e 200m rasos para cegos (T11). Além disso, protagonizou uma cena emocionante: na prova dos 400m, Guilherme sentiu a perna e caiu; em solidariedade ao guia, Terezinha jogou-se no chão e abandonou a vitória. O documentário vai contar a história dessa grande atleta: suas conquistas, sua relação com o guia, o sonho olímpico e a felicidade de ganhar a medalha, a superação de mais um recorde mundial, e principalmente, como ela se divertiu durantes estes jogos e como curte sua vida.

Ficha técnica

Nome: A valsa do pódio

Gênero: documentário

Duração: 26 minutos

Direção e Roteiro: Bruno Carneiro e Daniel Hanai

Argumento: Daniel Hanai

Produção executiva: Zita Carvalhosa

Direção de Produção: Jorge Guedes

Direção de Fotografia: Mariano Kweller

Animação: Estúdio Nautilus (Daniel Bruson)

Som Direto: Fernando Russo

Edição de Som: Guile Martins

Montagem: Márcio Miranda Perez

Audiodescrição: Iguale Comunicação de Acessibilidade – www.iguale.com.br

Projeto Memória do Esporte Olímpico Brasileiro – www.memoriadoesporte.org.br

Foto divulgação

A imagem diurna mostra a atleta Terezinha Guilhermina e seu guia Guilherme Santana, dançando valsa em uma pista de atletismo.  A pista fica em um pequeno estádio, com arquibancadas em volta. No centro do local há um grande e verdejante gramado, à direita da imagem. Ao fundo há muitos prédios e pode se ver parte do céu carregado de nuvens cinzentas.  A pista de saibro tem uma coloração entre o marrom e o vermelho e é dividida em oito raias. A dupla está na quarta, bem no centro da imagem. Ambos tem a pele morena e usam uniformes do Comitê Paralímpico Brasileiro: calças pretas e blusas amarelas, de mangas compridas. O tênis dela é vermelho enquanto o dele é cinza. Guilhermina usa ainda um brinco redondo e branco e está com a sua venda de lantejoulas  coloridas sobre o topo da cabeça. Ambos sorriem com as mãos dadas à frente de seus corpos, como se dançassem em direção à câmera.
Descrição da foto: A imagem diurna mostra a atleta Terezinha Guilhermina e seu guia Guilherme Santana, dançando valsa em uma pista de atletismo. A pista fica em um pequeno estádio, com arquibancadas em volta. No centro do local há um grande e verdejante gramado, à esquerda da imagem. Ao fundo há muitos prédios e pode se ver parte do céu carregado de nuvens cinzentas. A pista de saibro tem uma coloração entre o marrom e o vermelho e é dividida em oito raias. A dupla está na quarta, bem no centro da imagem. Ambos tem a pele morena e usam uniformes do Comitê Paralímpico Brasileiro: calças pretas e blusas amarelas, de mangas compridas. O tênis dela é vermelho enquanto o dele é cinza. Guilhermina usa ainda um brinco redondo e branco e está com a sua venda de lantejoulas coloridas sobre o topo da cabeça. Ambos sorriem com as mãos dadas à frente de seus corpos, como se dançassem em direção à câmera.