Inaugurado o Núcleo dos Direitos da USP: IGUALE realiza audiodescrição ao vivo na Cerimônia de lançamento.

Logo NÚCLEO DOS DIREITOS. O logo é formado por um símbolo em forma de espiral na cor azul e à direita, em preto, os letreiros  NÚCLEO DOS DIREITOS

A IGUALE realizou a audiodescrição ao vivo do primeiro evento totalmente acessível da Sala do Conselho Universitário da USP: a Cerimônia de lançamento do Núcleo dos Direitos, que ocorreu no dia de 22 de agosto de 2012. O Núcleo dos Direitos reúne cinco programas e um núcleo da Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária (PRCEU): Aproxima-Ação, ITCP-USP, Núcleo de Excelência pela Primeira Infância, Universidade Aberta à Terceira Idade, USP Diversidade e USP Legal.

Confira abaixo a notícia sobre a inauguração, publicada no site da USP:

Evento acessível

A realização desta cerimônia é um exemplo da atuação do Núcleo, pois foi a primeira vez que um evento feito na Sala do Conselho Universitário contou com acessibilidade total na comunicação e transmissão. O público presente recebeu o catálogo do Núcleo, que estava disponível também em braile, além de ter a tradução simultânea em libras, a audiodescrição e legenda exibida em um telão – recursos acessíveis igualmente pela transmissão on-line.

A abertura da cerimônia foi feita pela pró-reitora de Cultura e Extensão Universitária, Maria Arminda do Nascimento Arruda, na qual destacou a importância do Núcleo para a Universidade e sociedade em geral. “Os programas deste Núcleo alcançam à comunidade da USP e à externa também, estendendo o conhecimento da Universidade a todos”.

“A criação deste Núcleo é uma valorização dos direitos humanos, que passa pelos direitos à saúde, transporte, educação. Ele é importante, pois cria novas discussões e reflexões sobre a questão dos direitos humanos, que é muito antiga, mas também é atual”, destacou a secretária Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Linamara Rizzo Battistella, cuja pasta mantém parceria com um dos programas do Núcleo, o USP Legal.

“Encontro nos programas que formam este Núcleo a esperança para um mundo melhor”, ressaltou o coordenador do Núcleo, José Ricardo de Carvalho Mesquita Ayres – que também é pró-reitor adjunto de Extensão Universitária – ao falar da relevância dos trabalhos realizados através dos programas e contar um pouco da história de cada um deles.

Confira a notícia completa sobre o evento em:

http://www.usp.br/imprensa/?p=24105

IGUALE realiza audiodescrição ao vivo no “I Seminário USP sobre Deficiência Visual – da Prevenção à Reabilitação: Realidade e Objetivos”

Foto do banner do evento. Sobre o fundo branco, no topo do banner o texto em preto:             “I SEMINARIO USP SOBRE DEFICIÊNCIA VISUAL”. Logo abaixo, em cinza, os letreiros: “DA PREVENCÃO À REABILITAÇÃO: REALIDADES E OBJETIVOS”. Abaixo novamente em preto: “São Paulo, 27 de julho de 2012.”. E abaixo o logotipo: CLÍNICA OFTALMOLÓGICA  USP.  Com o desenho de uma pálpebra envolvendo a palavra USP. Abaixo do desenho os letreiros: Hospital das Clínicas- FMUSP. Apoio: SECRETARIA DE ESTADO DO DIREITO DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA. SÃO PAULO. O banner está disposto na mesa de palestras e acima dele, sobre a mesa, há um arranjo de flores.

No dia 27 de Julho de 2012, a IGUALE esteve presente realizando a audiodescrição ao vivo no  “I Seminário USP sobre Deficiência Visual – da Prevenção à Reabilitação: Realidade e Objetivos”, no auditório do Centro de Convenções Rebouças.

Foto: A foto foi tirada de dentro da cabine de transmissão de audiodescrição.  Ela mostra a mesa de som com os cabos de conexões e fones de ouvido sobre o painel da mesa. E pelo vidro da cabine vemos ao longe o telão de projeções do evento, com uma tela azul e os escritos em branco: "27 - 28 de Julho de 2012. Cursos integrados usp 2012."

Confira abaixo trechos da notícia sobre o evento divulgada no site da Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência:

O evento contou com o apoio da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência e promoção do Departamento de Oftalmologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo – FMUSP. Tratou a demanda por serviços especializados, divulgou dados sobre a população com deficiência visual e discutiu ações para promoção da inclusão social da pessoa com deficiência visual, com base nas recomendações do Relatório Mundial sobre Deficiência.

Contou com a participação de representantes de organizações públicas e privadas, profissionais de reabilitação, médicos, educadores, fisioterapeutas, psicólogos, assistentes sociais, terapeutas ocupacionais, professores de orientação e mobilidade, fonoaudiólogos, auxiliares e técnicos de oftalmologia, e pessoas com deficiência visual, além de autoridades ligadas ao tema.

Para ler a notícia completa acesse:  http://www.pessoacomdeficiencia.sp.gov.br/sis/lenoticia.php?id=1025

Estadão: “Deficientes visuais e deficientes auditivos vão ao cinema”

Mauricio Santana e Leonardo Rossi

Antes de entrar no cinema, Leonardo Rossi Lazzari avisa à reportagem: “Esperem um pouco, vou fazer um aquecimento vocal e já volto”. Ele precisa preparar a voz para narrar toda a audiodescrição do filme “Melancolia”, de Lars von Trier. O longa de 136 minutos é um dos títulos exibidos no Festival Melhores Filmes 2011, no CineSESC, que acontece até dia 29 de abril. Todas as sessões exibidas durante o período são acessíveis a deficientes visuais e auditivos.

Isto só é possível graças ao trabalho da Iguale, empresa fundada por Maurício Santana no fim de 2007. Ele conversava com um amigo que trabalhava na elaboração de legendas para deficientes auditivos (closed caption) na televisão. “Perguntei a ele se existia alguma ferramenta para que os deficientes visuais assistissem aos programas”, conta Santana. Ainda não era feito nada assim no Brasil, mas o empresário descobriu que já existiam empresas de audiodescrição em países como Espanha, Inglaterra e Estados Unidos.

Para assistir a um filme com audiodescrição, é preciso retirar na entrada do cinema fones de ouvido com receptor sem fio, semelhantes aos usados em eventos com tradução simultânea. O deficiente visual pode, então, perceber mais detalhes da obra. “Os diálogos podem ajudar na compreensão da história, mas há detalhes que passam despercebidos”, diz Santana. As primeiras cenas de Melancolia, por exemplo, são compostas apenas de imagens e música. A única voz ouvida é a do audiodescritor. Este é o trecho inicial do filme:

Tela escura. Aos poucos surge em primeiro plano, a imagem fechada do rosto de uma mulher jovem, de cabelos loiros, curtos e lisos. A cena em câmera lenta mostra-a abrindo os olhos. Ela tem o rosto sutilmente arredondado, lábios finos, olhos um pouco puxados e nariz reto, porém levemente abaulado na ponta. / Ao fundo as nuvens do céu são suavemente alaranjadas, de onde começam a cair mortas, algumas aves de rapina. / A imagem abre em plano geral de um enorme jardim gramado de frente para o mar. Ele é cercado nas laterais por pequenos pinheiros, alinhados longitudinalmente. Em primeiro plano há um grande relógio de Sol, com a base de pedra e o ponteiro de metal. Ao fundo a mulher gira uma criança pelos braços. O local parece estar em uma montanha, pois é cercado por floresta e rochas. / Imagem do quadro “Os caçadores na neve” de Pieter Bruegel. A pintura mostra uma cena de inverno no qual três caçadores cansados estão voltando de uma expedição mal sucedida, acompanhados pelos seus cães. A impressão visual do todo é de um dia frio e nublado. De repente, ainda em câmera lenta, surgem pequenas manchas negras sobre a tela, e a pintura começa a queimar.

Além da descrição visual das cenas, os filmes estrangeiros utilizam uma estratégia chamada voice over, que é uma espécie de leitura interpretada das legendas. Não é dublagem, já que é feita ao vivo e por apenas uma pessoa, que tem que acentuar a voz de maneira diferente para cada personagem. Por este motivo, todos os narradores da Iguale são atores. “A pessoa precisa saber quando mudar a entonação, quando falar mais lentamente”, afirma Santana.

Cena do filme Melancolia, de Lars von Trier

O fundador da Iguale explica por que a audiodescrição tem que ser feita ao vivo. “Queremos manter a maior sincronização possível com o filme”, afirma. “Os cinemas brasileiros ainda não são digitais, cada filme é projetado em uma velocidade diferente, o que pode comprometer o trabalho”. A presença de narradores no momento de exibição, de acordo com Santana, permite um encaixe melhor entre as falas e a ação na tela.

Leonardo Lazzari também participa da equipe que compõe roteiros de audiodescrição. Antes de elaborar o trabalho, eles precisam estudar a obra e escolher aspectos que devem ser ressaltados para a compreensão do deficiente visual. “Melancolia, por exemplo, é um filme com muito simbolismo”, afirma Lazzari. “Se não tivéssemos feito um trabalho de pesquisa, não poderíamos passar aos espectadores todas as referências a obras de arte feitas por Lars von Trier”. Para adaptar totalmente a obra cinematográfica à audiodescrição, foram investidas cerca de 30 horas de trabalho.

A sala da qual Lazzari narra o filme é semelhante às usadas em eventos que contam com tradução simultânea. Ao lado de uma mesa de som, ficam garrafas d’água sem gelo, que são esvaziadas durante a exibição da obra. O cubículo fica em meio ao bar da parte dos fundos do CineSESC. Os visitantes não estranham a instalação, já que é o terceiro ano com audiodescrição no festival.

Para o narrador, o número de visitantes com deficiência visual tem aumentado ano a ano. “Eles costumam dizer que é a única época do ano em que podem ir ao cinema”, conta Lazzari. “Para nós, é muito bom ouvir este tipo de coisa”.

Além da audiodescrição, as sessões do festival têm uma opção para os deficientes auditivos. Em uma tela menor, abaixo da em que o filme é projetado, é exibida uma legenda no estilo closed caption. Uma pessoa, sentada na primeira fila, controla o momento em que as palavras serão exibidas. Grupos e instituições que desejarem conhecer o evento podem entrar em contato com o cinema para requisitar uma van de acesso ao local ou um pessoal de apoio para o trajeto do metrô Consolação até o CineSESC.

Serviço:

Festival SESC Melhores Filmes 2011
Até 29/4
CineSESC – R. Augusta, 2.075, Jardins, 3087-0500
Programação no BLOG DA IGUALE ou www.sescsp.org.br/melhoresfilmes

(Com colaboração de Míriam Castro)

Fonte: Jornal O Estado de São Paulo

AUDIODESCRIÇÃO E LEGENDAS OPEN CAPTION NO FESTIVAL SESC MELHORES FILMES 2012.

O primeiro festival de cinema de São Paulo está em sua 38ª edição em 2012, premiando os melhores filmes de 2011. Os vencedores nas categorias nas categorias de melhor filme, documentário, ator, atriz, direção, roteiro e fotografia para os filmes brasileiros e melhor filme, direção, ator e atriz para os filmes estrangeiros, eleitos por público e crítica, serão exibidos no mês de abril.

Todas as sessões do Festival no CineSESC terão audiodescrição e legendas open caption, produzidas pela Iguale Comunicação de Acessibilidade (www.iguale.com.br), proporcionando acesso com autonomia e inclusão sócio-cultural às pessoas com deficiência visual e auditiva.

Desde 2010 a programação do Festival também acontece em Unidades do SESC do interior de São Paulo, levando o melhor do cinema a 16 cidades e tornando-se um dos maiores festivais em alcance do país. Os vencedores serão conhecidos no dia 04 de abril.

Confira abaixo, a programação completa com todos os filmes, datas e horários das sessões. Escolha seus filmes e bom divertimento:

Dia 05/04 – quinta:

14h – Singularidades de uma Rapariga Loura

17h – Capitães de Areia

19h – A Árvore da Vida

21h30 – Venus Negra


Dia 06/04 – sexta:

14h – Homens e Deuses

17h – Estamos Juntos

19h – Trabalhar Cansa

21h30 – Triângulo Amoroso

23h – Bruna Surfistinha


Dia 07/04 – sábado:

14h – O Discurso do Rei

17h – Cisne Negro

19h – Medianeiras: Buenos Aires na Era do Amor Virtual

21h30 – As Canções

23h – A Pele que Habito


Dia 08/04 – domingo:

11h – Rio (Cine Clubinho – dublado)

14h – O Mágico

17h – O Filme dos Espíritos

19h – Melancolia

21h30 – O Palhaço


Dia 09/04 – segunda:

14h – Rock Brasília – A Era do Ouro

17h – O Filme dos Espíritos

19h – Um Conto Chinês

21h30 – A Última Estação


Dia 10/04 – terça:

14h – Transeunte

17h – Feliz que Minha Mãe Esteja Viva

19h – Bruna Surfistinha

21h30 – Bahêa Minha Vida – O Filme


Dia 11/04 – quarta:

14h – Medianeiras: Buenos Aires na Era do Amor Virtual

17h – Filhos de João – Admirável Mundo Novo Baiano

19h – Bróder

21h30 – Cisne Negro


Dia 12/04 – quinta:

14h – Triângulo Amoroso

17h – Diário de uma Busca

19h – A Pele que Habito

21h30 – O Palhaço


Dia 13/04 – sexta:

14h – Melancolia

17h – Rock Brasília – A Era do Ouro

19h – Tio Boonmee Que Pode Recordar Suas Vidas Passadas

21h30 – Trabalhar Cansa

23h – Capitães da Areia


Dia 14/04 – sábado:

14h – O Palhaço

17h – Bróder

19h – Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte II

21h30 – Saturno em Oposição


Dia 15/04 – domingo:

11h – Os Muppets – O Filme (Cine Clubinho – dublado)

14h – Lola

17h – Cópia Fiel

19h – As Canções

21h30 – Meia Noite em Paris


Dia 16/04 – segunda:

14h – Riscado

17h – Trabalhar Cansa

19h – Não haverá sessão do Festival

21h30 – Não haverá sessão do Festival


Dia 17/04 – terça:

14h – Cópia Fiel

17h – O Mágico

19h – Homens e Deuses

21h30 – A Pele que Habito


Dia 18/04 – quarta:

14h – Estamos Juntos

17h – Diário de uma Busca

19h – O Garoto da Bicicleta

21h30 – A Árvore da Vida


Dia 19/04 – quinta:

14h – Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte II

17h – Belair

19h – Transeunte

21h30 – O Discurso do Rei


Dia 20/04 – sexta:

14h – Bahêa Minha Vida – O Filme

17h – Filhos de João – Admirável Mundo Novo Baiano

19h – Capitães da Areia

21h30 – Um Conto Chinês


Dia 21/04 – sábado:

14h – Poesia

17h – Meia noite em Paris

19h – Cisne Negro

21h30 – Singularidades de uma Rapariga Loura


Dia 22/04 – domingo:

11h – Rei Leão 3D (Cine Clubinho – dublado)

14h – O Garoto da Bicicleta

17h – Lola

19h – Saturno em Oposição

21h30 – A Árvore da Vida


Dia 23/04 – segunda:

14h – Bahêa Minha Vida – O Filme

17h – As Canções

19h – Nana Caymmi em Rio Sonata

21h30 – Melancolia


Dia 24/04 – terça:

14h – Riscado

17h – Nana Caymmi em Rio Sonata

19h – Bruna Surfistinha

21h30 – Vênus Negra


Dia 25/04 – quarta:

14h – O Filme dos Espíritos

17h – Belair

19h – Bróder

21h30 – Poesia


Dia 26/04 – quinta:

14h – Tio Boonmee Que Pode Recordar Suas Vidas Passadas

17h – Riscado

19h – Feliz que Minha Mãe Esteja Viva

21h30 – A Última Estação


Dias 27 e 28 de abril não haverá sessões do Festival.

Dia 29/04 – domingo:

11h – Um Gato em Paris (Cine Clubinho – dublado)

Consulte classificação indicativa dos filmes em: www.sescsp.org.br/melhoresfilmes

Grátis (comerciários e seus dependentes e também para pessoas com deficiência)

Grupos e instituições ligadas a acessibilidade (da cidade de São Paulo) que tiverem interesse em prestigiar o evento, podem solicitar uma Van ou Micro-ônibus para: Mauricio da IGUALE ( mauricio@iguale.com.br ) e Renata do CINESESC ( renata@cinesesc.sescsp.org.br ) ou pelo telefone (11) 3087.0525 e falar diretamente com Renata de Brito Wagner

O CineSESC também conta com pessoal de apoio para encontro com grupos na Estação CONSOLAÇÃO do Metrô, previamente agendado também com a Renata do CineSESC.

Outros Serviços:

CineSESC

Rua Augusta, 2075 – Cerqueira César – São Paulo

(próximo ao metro Consolação / três quadras da Av. Paulista)

Informações pelo site ou pelo telefone (11) 3087-0500

Todas as sessões terão os mesmos valores de ingresso:

R$ 4,00 (público em geral); R$ 2,00 (usuários com cartão de matrícula SESC, estudantes, terceira idade, professores da rede pública).

Divulguem e prestigiem!

Audiodescrição IGUALE para LUV MTV

A Iguale Comunicação de Acessibilidade é a produtora responsável pela AUDIODESCRIÇÃO da MTV Brasil.

Atualmente produzindo o recurso para o Programa LUV MTV.

Audiodescrição da Iguale para o filme “O Zelador Animal” da Sony Pictures.

Descrição do convite para sessão de cinema com audiodescrição do filme “O Zelador Animal”

Cartaz do filme “O Zelador Animal”. O cartaz de formato retangular e na vertical possui um fundo degradê em suaves tons de amarelo. No alto em letras negras os dizeres: “A Sony Pictures e o Unibanco Arteplex convidam para uma sessão com audiodescrição de” . Logo abaixo em letras vermelhas, maiores e em três dimensões, está o título do filme “O Zelador Animal” – e o nome em inglês no rodapé do título: “Zookeeper”. Sob ele e no centro do cartaz está uma foto do ator Kevin James olhando de frente e com as mãos na cintura.  Ele usa um jaleco cáqui e relógio. Sobre seu ombro esquerdo há um macaco prego de pelagem marrom.  Eles estão à frente dos portões de ferro entreabertos do zoológico, por onde espiam do lado direito um Elefante e um Leão, e do lado esquerdo uma girafa, um gorila e um urso. Mais ao fundo o céu azul com poucas nuvens e os raios do Sol que incidem de baixo para cima, sugerindo o amanhecer.No canto direito da fotografia os dizeres: com Rosario Dalson. Marcelo Adnet dublando Gorila, Macaco, Leão, Elefante e o Urso Bruce. Abaixo há uma faixa vermelha com os dizeres em branco: Dia doze de novembro de dois mil e onze. Dez horas, abertura da sala. Dez e meia, início da sessão. Abaixo em letras pretas sobre o fundo amarelo, o local e endereço: “Unibanco Arteplex Frei Caneca – Rua Frei Caneca, 589, terceiro piso – Centro. Sujeito à lotação da sala.” Na parte inferior do cartaz estão em letras menores, os créditos dos produtores do filme.

Iguale e Sony Pictures – Os Smurfs

Produção de “Os Smurfs” com Audiodescrição  em sessão de cinema para a Sony Pictures.