Em cartaz no CCSP, espetáculo ‘A Princesa e a Costureira’ terá sessão com recurso de audiodescrição

O roteiro e a produção do recurso acessível é da Iguale. A entrada no dia da sessão com  acessibilidade será gratuita

São Paulo, 16 de agosto de 2016 – O espetáculo infanto-juvenil “A Princesa e a Costureira”, em cartaz no Centro Cultural São Paulo, terá sessão acessível no dia 20 de agosto, com o recurso de audiodescrição produzido pela equipe da Iguale Comunicação de Acessibilidade. Neste dia, a entrada será gratuita, e os ingressos começarão a ser distribuídos duas horas antes do início da apresentação.

Produzida e encenada pelo Teatro da Conspiração de Santo André, a peça “A Princesa e a costureira” traz como trama a princesa Cíntia que está prometida em casamento para o príncipe do reino vizinho, mas que se apaixona pela costureira de seu vestido de noiva. O espetáculo aguça a reflexão sobre as chamadas “diferenças”, que não devem ser traduzidas em “desigualdades”.

Descrição da imagem #pracegover: a imagem retrata uma das cenas do espetáculo, na qual três personagens encenam uma apresentação musical. Da esquerda para a direita um homem, de joelhos, sorri enquanto parece batucar um pandeiro. Ao centro, uma mulher toca uma sanfona, e do seu lado direito, uma outra mulher toca um violão. Todos parecem cantar. Compondo a imgem estão as informações: A Princesa e a Costureira – Centro Cultural São Paulo – Temporada 2016 – Apresentação sábdos e domingos – De 9 de julho a 4 de setembro, às 16h. Rua Vergueiro, 1000, São Paulo. Estação Vergueiro do metrô. Logomarca da prefeitura de São Paulo e do CCSP.
Descrição da imagem #pracegover: a imagem retrata uma das cenas do espetáculo, na qual três personagens encenam uma apresentação musical. Da esquerda para a direita um homem, de joelhos, sorri enquanto parece batucar um pandeiro. Ao centro, uma mulher toca uma sanfona, e do seu lado direito, uma outra mulher toca um violão. Todos parecem cantar. Compondo a imagem estão as informações: A Princesa e a Costureira – Centro Cultural São Paulo – Temporada 2016 – Apresentação sábados e domingos – De 9 de julho a 4 de setembro, às 16h. Rua Vergueiro, 1000, São Paulo. Estação Vergueiro do metrô. Logomarca da prefeitura de São Paulo e do CCSP.

O recurso de audiodescrição, disponível no espetáculo “A Princesa e a costureira”, tem como objetivo facilitar a compreensão do conteúdo não verbal às pessoas com deficiência visual e intelectual, já que por meio dele, elas têm acesso a detalhes da obra como os elementos que compõem o cenário, o figurino, a fisionomia dos personagens e principalmente as ações, tudo por meio do som, das palavras oralizadas.

Como explica Mauricio Santana, diretor da Iguale, para este espetáculo a audiodescrição foi previamente roteirizada e depois revisada por um profissional com deficiência visual. Tudo para garantir a assertividade do material. “A audiodescrição interage de acordo com os espaços oferecidos entre os diálogos dos personagens, respeita o roteiro original, as intenções de pausas, ruídos sonoros e trilhas”, completa.

Ficha técnica do espetáculo
Dramaturgia: Solange Dias a partir da adaptação do livro homônimo de Janaína Leslão
Direção: Antônio Correa Neto
Atores: Erika Coracini, Mariana Sancar e Marcio Ribeiro
Direção musical e Música Original: Elaine Marin
Música “Costura da Vida” gentilmente cedida por Sérgio Pererê
Figurinos, Cenografia e Arte Gráfica: Mauro Martorelli
Iluminação: Cássio Castelan
Assessoria de imprensa: Fernanda Vicente
Fotos: Alexandre Krug
Produção: Erika Coracini
Duração: 60 minutos
Faixa Etária: livre

Agenda

Espetáculo: “A Princesa e a costureira”

Companhia: Teatro da Conspiração de Santo André

Local: CCSP – Centro Cultural São Paulo – Sala Jardel Filho (321 lugares)

Data: 20 de agosto de 2016 às 16h

Recurso acessível de audiodescrição: Iguale Comunicação de Acessibilidade

Sobre a Iguale

A Iguale Comunicação de Acessibilidade é a primeira empresa do Brasil criada exclusivamente para pensar e desenvolver soluções assistivas completas em comunicação para pessoas com algum tipo de deficiência. Fundada em 2008, em São Paulo, pelo publicitário, professor universitário e empresário Mauricio Santana, a empresa é precursora do conceito de comunicação de acessibilidade no país. Entre os recursos que a empresa disponibiliza ao mercado estão a audiodescrição, as legendas descritivas (closed caption e open caption), LIBRAS, voice over, acessibilidade web e participação efetiva em muitos projetos com foco em acessibilidade. A Iguale também é a responsável no Brasil e na América do Sul pelo aplicativo inclusivo MovieReading.

Mais informações

Liliana Liberato

Assessora de Imprensa

Iguale Comunicação de Acessibilidade

imprensa@iguale.com.br

(11) 9 7999-2802

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.