BH recebe ‘Chacrinha, o Musical’ com recursos acessíveis produzidos pela Iguale

24 de setembro de 2015 – A capital mineira recebe de 25 a 27 de setembro, no Grande Teatro do Palácio das Artes, o espetáculo que homenageia um dos maiores comunicadores do rádio e da TV brasileira: Chacrinha, O Musical. E mais uma vez a Iguale estará empenhada em realizar, com qualidade e profissionalismo, os recursos acessíveis de audiodescrição e LIBRAS, como já fez em São Paulo e no Rio de Janeiro.

A sessão com acessibilidade acontece no domingo, dia 27, às 19h. O público de Belo Horizonte e quem estiver de visita à cidade não pode perder esta oportunidade. Há ingressos gratuitos e exclusivos para pessoas com deficiência. As reservas podem ser feitas pelo e-mail eventos@iguale.com.br ou pelo telefone (11) 2597.5805, durante o horário comercial, até esta sexta, dia 25. Os ingressos são limitados.

Descrição da foto de de divulgação: o ator Stepan Nercessian é mostrado da cintura para cima, caracterizado como o “Velho Guerreiro”. Sorrindo expressivamente, ele tem a mão direita levantada na altura do rosto, com as pontas dos dedos polegar e indicador unidos e os outros três dedos levantados, em um gesto conhecido como “OK”, marca registrada de Chacrinha durante as apresentações do programa de TV. Ele veste um fraque vermelho que tem uma grande flor amarela de folhas verdes, presa do lado esquerdo do peito. Também usa um colete laranja e uma enorme gravata borboleta verde, tudo confeccionado com lantejoulas e muito brilho. Sobre os cabelos brancos, volumosos e encaracolados, uma cartola vermelha, também de lantejoulas, com plumas amarelas e verdes. Chacrinha usa óculos de grau de armação preta e grossa e tem um microfone de mão pendurado por um suporte na altura do peito, além de uma buzina dourada na altura da barriga, presa por uma corrente, também dourada e comprida, que desce do pescoço.
Descrição da foto de de divulgação: o ator Stepan Nercessian é mostrado da cintura para cima, caracterizado como o “Velho Guerreiro”. Sorrindo expressivamente, ele tem a mão direita levantada na altura do rosto, com as pontas dos dedos polegar e indicador unidos e os outros três dedos levantados, em um gesto conhecido como “OK”, marca registrada de Chacrinha durante as apresentações do programa de TV. Ele veste um fraque vermelho que tem uma grande flor amarela de folhas verdes, presa do lado esquerdo do peito. Também usa um colete laranja e uma enorme gravata borboleta verde, tudo confeccionado com lantejoulas e muito brilho. Sobre os cabelos brancos, volumosos e encaracolados, uma cartola vermelha, também de lantejoulas, com plumas amarelas e verdes. Chacrinha usa óculos de grau de armação preta e grossa e tem um microfone de mão pendurado por um suporte na altura do peito, além de uma buzina dourada na altura da barriga, presa por uma corrente, também dourada e comprida, que desce do pescoço.

Sobre o espetáculo:

Com texto de Pedro Bial e Rodrigo Nogueira, o musical acompanha a trajetória do apresentador Abelardo Barbosa desde sua infância em Surubim, Pernambuco, até o auge da carreira na TV Globo, onde comandava o programa de auditório Cassino do Chacrinha, com espaço para as chacretes, seus famosos trocadilhos, buzinadas e o troféu abacaxi.

O público confere dois atos no espetáculo: um espaço para episódios biográficos, como a infância difícil de Chacrinha com a morte do pai e um segundo momento mais lírico e fantasioso, marcado pelo seu ingresso no rádio e revolução na televisão nacional, que promoveu certa obsessão e autoritarismo por parte do apresentador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.