Arquivo da tag: MovieReading

Auditório Ibirapuera Oscar Niemeyer exibe “Olhando pras estrelas”, com audiodescrição no app MovieReading

O documentário conta a história de duas dançarinas da primeira e única academia de balé do mundo para cegos; o filme tem legendas em português e o download do app é gratuito

São Paulo, 07 de julho de 2017 - Na noite desta sexta-feira, 7 de julho, será exibido no Auditório Ibirapuera Oscar Niemeyer o documentário ‘Olhando pras Estrelas’, sobre o trabalho realizado pela Associação Fernanda Bianchini, a única escola de balé para cegos do mundo. A exibição contará com audiodescrição hospedada no aplicativo MovieReading, que no Brasil, América do Sul, México e Estados Unidos é de responsabilidade da Iguale Comunicação de Acessibilidade.

Para conseguir assistir ao filme com o recurso de acessibilidade, é preciso baixar o aplicativo na Play Store, para dispositivos com sistema Android, e na Apple Store, para dispositivos com sistema iOS. O aplicativo é gratuito e funciona em smartphones e tablets. O ideal é instalar o aplicativo no aparelho com antecedência, para evitar contratempos no momento da exibição. O tutorial de uso do app estão no site www.moviereadingbrasil.com.br.

Como explica Maurício Santana, diretor da Iguale, feito o download do aplicativo no dispositivo móvel é preciso baixar também o arquivo referente ao filme. No início da sessão, o aparelho deve ser sincronizado com o documentário. É fundamental levar fones de ouvido.

O filme, com direção de Alexandre Peralta, teve avant-première mundial no Festival de Cinema de Los Ângeles, EUA, e participou da 40ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo em 2016.

Os organizadores informam que a distribuição de ingressos, gratuitos, acontecerá na bilheteria do auditório com uma hora e meia antes da apresentação, com o limite de dois ingressos por pessoa e sujeito à lotação da casa.

O Auditório Ibirapuera não possui estacionamento ou sistema de valet. O estacionamento do Parque Ibirapuera é Zona Azul e tem vagas limitadas. A organização sugere a utilização de táxi ou transporte público.

As seguintes linhas de ônibus atendem as proximidades do auditório:

Linha 5154 – Terminal Sto Amaro / Estação da Luz

Linha 5630 – Terminal Grajaú / Metrô Bras

Linha 675N – Metrô Ana Rosa / Terminal Sto. Amaro

Linha 677A – Metrô Ana Rosa / Jardim Ângela

Linha 775C/10 – Jardim Maria Sampaio / Metrô Santa Cruz

Linha 775A/10 – Jd. Adalgiza / Metrô Vila Mariana

Sinopse

Dirigido por Alexandre Peralta, o documentário conta a história de duas dançarinas que integram a única escola de balé para cegos do mundo, a Associação Fernanda Bianchini. Geyza, professora e primeira-bailarina da companhia, se divide entre os preparativos para o seu casamento e as preocupações de ser uma boa profissional, noiva e amiga. Thalia, uma de suas alunas adolescentes, deseja ter cada vez mais autonomia. Lida, como a professora, com os desafios de dançar e viver sem referências visuais.

Agenda

Documentário ‘Olhando pras Estrelas’

Data: 7 de julho – sexta-feira

Horário: 21h

Local:  Auditório Ibirapuera – Oscar Niemeyer (Avenida Pedro Álvares Cabral, s/nº – Parque do Ibirapuera)

Duração: 90min

Gênero: Documentário

Classificação indicativa: Livre para todos os públicos

Legendas: em português

App MovieReading: Iguale Comunicação de Acessibilidade

Comédia “Minha mãe é uma peça 2” estreia com acessibilidade no app MovieReading

Fim de ano tem festas, férias e filme com recursos inclusivos de LIBRAS, audiodescrição e legendas, produzidos pela Iguale, nos cinemas

 16 de dezembro de 2016 – Dona Hermínia está de volta e promete fazer todo mundo rir em “Minha mãe é uma peça 2”, filme que estreia dia 22 de dezembro, nos cinemas, com os recursos de LIBRAS, audiodescrição e legendas descritivas ou legendas para surdos e ensurdecidos (LSE), no aplicativo acessível MovieReading.

Por meio da parceria com a ETC Filmes, a Iguale Comunicação de Acessibilidade, que no Brasil e na América do Sul é a responsável pelo aplicativo, produziu o roteiro e os recursos acessíveis desta comédia nacional, disponibilizando-os gratuitamente para os usuários de smartphones e tablets, dos sistemas operacionais IOS e Android, no app MovieReading.

 Descrição da imagem #pracegover: sobre um fundo branco há uma foto, dentro de uma moldura dourada com entalhes curvilíneos em estilo "rococó", apresentando os três personagens principais do filme.  No centro, Dona Hermínia (interpretada por Paulo Gustavo) olha para frente enquanto segura uma xicara com a mão direita.  Ela está com os olhos arregalados e faz um biquinho de beijo. Do lado esquerdo está Marcelina (vivida por Mariana Xavier) e do lado direito, Juliano (vivido por Rodrigo Pandolfo). Ambos estão próximos do rosto da mulher e fazem biquinho, prestes a beijá-la na bochecha. A direita da foto emoldurada, o nome do filme: “Minha mãe é uma peça 2”. Cada palavra do título está dentro de um retângulo diferente em tamanho e cor.  Na parte inferior da divulgação estão as informações: “Com acessibilidade através do app MovieReading Brasil” e abaixo, os ícones dos recursos acessíveis de audiodescrição, legendas closed caption e LIBRAS – Língua Brasileira de Sinais, além do logo do app com o endereço do site www.moviereadingbrasil.com.br. Mais abaixo, há a mensagem: “A Iguale Comunicação de Acessibilidade é a representante exclusiva do APP MovieReading no Brasil e América do Sul”.


Descrição da imagem #pracegover: sobre um fundo branco há uma foto, dentro de uma moldura dourada com entalhes curvilíneos em estilo “rococó”, apresentando os três personagens principais do filme. No centro, Dona Hermínia (interpretada por Paulo Gustavo) olha para frente enquanto segura uma xícara com a mão direita. Ela está com os olhos arregalados e faz um biquinho de beijo. Do lado esquerdo está Marcelina (vivida por Mariana Xavier) e do lado direito, Juliano (vivido por Rodrigo Pandolfo). Ambos estão próximos do rosto da mulher e fazem biquinho, prestes a beijá-la na bochecha.
A direita da foto emoldurada, o nome do filme: “Minha mãe é uma peça 2”. Cada palavra do título está dentro de um retângulo diferente em tamanho e cor.
Na parte inferior da divulgação estão as informações: “Com acessibilidade através do app MovieReading Brasil” e abaixo, os ícones dos recursos acessíveis de audiodescrição, legendas closed caption e LIBRAS – Língua Brasileira de Sinais, além do logo do app com o endereço do site www.moviereadingbrasil.com.br.
Mais abaixo, há a mensagem: “A Iguale Comunicação de Acessibilidade é a representante exclusiva do APP MovieReading no Brasil e América do Sul”.

Com o aplicativo, ao assistir “Minha mãe é uma peça 2”, o público poderá se divertir com Paulo Gustavo e grande elenco, mas também conhecer mais de perto o trabalho da Iguale. Como explica Mauricio Santana, diretor da Iguale, o MovieReading é uma inovação da tecnologia assistiva que veio para mudar o modo como a pessoa com deficiência assimila o conteúdo das obras audiovisuais e se relaciona com o universo do cinema. Segundo Santana, o público já está utilizando e se familiarizando com o MovieReading que, com mais este título, passa a disponibilizar 20 filmes com recursos acessíveis.

Assim como nos outros filmes já lançados em 2016, com os recursos de acessibilidade no app, neste caso também é necessário ter um celular ou tablet com fones de ouvido e microfone habilitado. Ao selecionar o arquivo de acessibilidade correspondente ao filme baixado no ambiente do MovieReading, e clicar no botão de comando, automaticamente o app sincroniza ou a audiodescrição, ou a LIBRAS ou a legenda ao áudio original.

Depois de baixados nos dispositivos, para ter acesso ao app e conteúdos produzidos para acessibilidade, não é mais necessário estar conectado à Internet ou rede WI-Fi exclusiva no momento da exibição. Assim, o aplicativo e os recursos contidos no MovieReading podem ser utilizados em qualquer sala de exibição em todo o país.

Sinopse

Dona Hermínia está de volta, desta vez, rica, depois que passou a apresentar um bem-sucedido programa de TV. Porém, na sequência de Minha Mãe É uma Peça – O Filme, a personagem superprotetora vai ter que lidar com o ninho vazio, afinal Juliano e Marcelina resolvem criar asas e sair de casa. Para balancear, Garib, o primogênito, chega com o neto. E ela também vai receber uma longa visitinha da irmã Lucia Helena, a ovelha negra da família, que mora há anos em Nova Iorque.

Ficha técnica

Direção: César Rodrigues

Elenco: Paulo Gustavo, Rodrigo Pandolfo, Mariana Xavier, Patrícia Travassos

Gênero: comédia

Recursos acessíveis: Iguale Comunicação de Acessibilidade

Aplicativo acessível: MovieReading

‘Magal e os formigas’, filme com Sidney Magal, estreia nos cinemas com acessibilidade no app MovieReading

LIBRAS, audiodescrição e legendas são os recursos produzidos pela Iguale e disponibilizados gratuitamente no aplicativo para esta comédia nacional

6 de dezembro de 2016 – Em parceria com a ETC Filmes, a Iguale Comunicação de Acessibilidade acaba de produzir os recursos acessíveis de LIBRAS, audiodescrição e legendas do filme “Magal e os formigas”, que estreia em dezembro. Assim, por meio do aplicativo MovieReading, pessoas com deficiência poderão se divertir com muito mais autonomia, ao assistir a mais este filme nacional que já chegas às salas dos cinemas contendo acessibilidade.

A comédia “Magal e os formigas”, cujo protagonista é cantor Sidney Magal, tem os recursos acessíveis de LIBRAS, legendas e audiodescrição disponibilizados gratuitamente para os usuários de smartphones e tablets dos sistemas operacionais IOS e Android, no app MovieReading. Assim, ao assisti-lo, o público com deficiência poderá dar boas risadas e também se emocionar com essa história que faz referência à fábula “A cigarra e a formiga”. E mais, conhecer o trabalho da Iguale, empresa pioneira no país em Comunicação de Acessibilidade.

Descrição da imagem #pracegover: imagem colorida do cantor Sidney Magal sobre um fundo azul escuro, com um forte brilho que reluz por trás da cabeça do artista. Os raios de luz reforçam o contorno do protagonista e se estendem do centro para as laterais da imagem horizontal. Magal tem o cabelo preto e olha fixamente para frente, com a cabeça levemente caída para direita e a boca ligeiramente aberta num sorriso. As duas mãos estão próximas ao rosto, com a palma virada para frente, os indicadores apontando para cima e os polegares voltados para o rosto do cantor. No centro, abaixo do rosto, está o nome do filme, “Magal e os Formigas": a palavra Magal, em tamanho maior e escrita em vermelho com contorno dourado e as demais palavras do título, abaixo, em amarelo. No topo e no rodapé, há uma borda azul mais clara, formada por pequenas lâmpadas acesas. Na parte inferior da divulgação, um pouco mais abaixo da imagem principal e dentro de um retângulo branco com borda azul claro no topo e rodapé, as informações: “Com acessibilidade através do app MovieReading Brasil” e abaixo, os ícones dos recursos acessíveis de audiodescrição, legendas closed caption e LIBRAS – Língua Brasileira de Sinais, além do logo do app com o endereço do site www.moviereadingbrasil.com.br. No rodapé, a mensagem: “A Iguale Comunicação de Acessibilidade é a representante exclusiva do APP MovieReading no Brasil e América do Sul”.

Descrição da imagem #pracegover: imagem colorida do cantor Sidney Magal sobre um fundo azul escuro, com um forte brilho que reluz por trás da cabeça do artista. Os raios de luz reforçam o contorno do protagonista e se estendem do centro para as laterais da imagem horizontal. Magal tem o cabelo preto e olha fixamente para frente, com a cabeça levemente caída para direita e a boca ligeiramente aberta num sorriso. As duas mãos estão próximas ao rosto, com a palma virada para frente, os indicadores apontando para cima e os polegares voltados para o rosto do cantor. No centro, abaixo do rosto, está o nome do filme, “Magal e os Formigas”: a palavra Magal, em tamanho maior e escrita em vermelho com contorno dourado e as demais palavras do título, abaixo, em amarelo. No topo e no rodapé, há uma borda azul mais clara, formada por pequenas lâmpadas acesas.
Na parte inferior da divulgação, um pouco mais abaixo da imagem principal e dentro de um retângulo branco com borda azul claro no topo e rodapé, as informações: “Com acessibilidade através do app MovieReading Brasil” e abaixo, os ícones dos recursos acessíveis de audiodescrição, legendas closed caption e LIBRAS – Língua Brasileira de Sinais, além do logo do app com o endereço do site www.moviereadingbrasil.com.br.
No rodapé, a mensagem: “A Iguale Comunicação de Acessibilidade é a representante exclusiva do APP MovieReading no Brasil e América do SulNo entanto, para não ter imprevistos na sala dos cinemas, precisará ficar atento a algumas recomendações. “Para usar o app é necessário um celular ou tablet com fones de ouvido e microfone habilitado. Aconselhamos evitar o uso de fones que vem com aparelho, pois o microfone embutido no conjunto não é tão bom quanto o próprio dispositivo. Ao selecionar o arquivo de acessibilidade correspondente ao filme, e clicar no botão de comando, automaticamente o app sincroniza ou a audiodescrição, ou a LIBRAS ou a legenda ao áudio original”, explica o diretor da Iguale, Mauricio Santana.

Depois de baixados nos dispositivos, para ter acesso ao app e conteúdos produzidos para acessibilidade, não é necessário estar conectado à Internet no momento da exibição. Assim, o aplicativo e os recursos contidos no MovieReading podem ser utilizados em qualquer sala de exibição em todo o país. “O MovieReading é uma inovação da tecnologia assistiva, e é algo que veio para mudar o modo como a pessoa com deficiência assimila o conteúdo das obras audiovisuais e se relaciona com o universo do cinema”, completa Santana.

Sobre o filme

João (Norival Rizzo) é um aposentado que está aborrecido com a vida e reclama o tempo todo de seu trabalho. Viciado em loterias, ele está afundado em depressão e não vê esperança. Até que, após um delírio, ele começa a receber visitas do cantor Sidney Magal. Assustado com o fenômeno sobrenatural recorrente, ele irá aprender, com o bom humor da aparição, os jeitos de viver sempre o lado bom da vida. 

Ficha técnica

Direção e roteiro: Newton Cannito

Elenco: Norival Rizzo, Sidney Maga, Mel Lisboa, Zécarlos Machado, Imara Reis, Nicolas Trevijano, Marcio Américo, Estar Laccava, Riba Carlovich, Fábio Lins, Teca Pereira e Gil Jung

Gêneros: comédia-dramática

Recursos acessíveis: Iguale Comunicação de Acessibilidade

Aplicativo acessível: MovieReading

Indicação: não recomendado para menores de 12 anos

Filme “O Shaolin do Sertão” chega aos cinemas com aplicativo acessível MovieReading

A comédia nacional de ação e aventura em pleno sertão cearense já está em cartaz; o filme disponibiliza os recursos acessíveis de LIBRAS, audiodescrição e legendas no app

27 de outubro de 2016 – Já em cartaz nos cinemas, o longa-metragem cearense “O Shaolin do Sertão” garante a acessibilidade de pessoas com deficiência visual e auditiva por intermédio do aplicativo MovieReading.  Para utilizar o app que no Brasil e na América do Sul é de responsabilidade da Iguale Comunicação de Acessibilidade, basta fazer o download no smartphone ou tablet e baixar os arquivos com os recursos que tem interesse em utilizar. A acessibilidade em mais esta obra cinematográfica é resultado da parceria com a ETC Filmes.

Como explica Mauricio Santana, diretor da Iguale, para o filme “O Shaolin do Sertão” estão disponíveis a audiodescrição, a interpretação em libras e as legendas para surdos e ensurdecidos (LSE). Para utilizá-los, é necessário ter um celular ou tablet com fones de ouvido e microfone. “Ao selecionar o arquivo do filme baixado no ambiente do MovieReading, e clicar no botão de comando, automaticamente o app sincroniza a audiodescrição, a LIBRAS ou a legenda ao áudio original. Esta inovação da tecnologia assistiva é algo que veio para mudar o modo como a pessoa com deficiência visual e auditiva assimila o conteúdo das obras audiovisuais e se relaciona com o universo do cinema”, salienta Santana.

Sem necessidade de conexão com a Internet no momento da exibição, o aplicativo e os recursos contidos no app MovieReading, depois de baixados, podem ser utilizados em qualquer lugar. Ou seja, em todas as salas de cinema onde o filme estiver sendo exibido e, posteriormente, em casa ou em qualquer outra plataforma onde venha a ser novamente exibido.

imagem-de-divulgacao-shaolim-do-sertao

A imagem apresenta no topo sobre o fundo azul o título do filme “O Shaolin do Sertão” e abaixo o personagem principal do filme. Ele é careca, usa uma faixa vermelha amarrada na cabeça, tem a mão direita posicionada à frente do peito com a palma virada para a esquerda; o braço esquerdo está direcionado para frente com a mão fechada como um soco. Abaixo há a mensagem sobre fundo amarelo “com acessibilidade através do app MovieReading Brasil”. Em seguida há os símbolos dos recursos de audiodescrição, legendas e LIBRAS – Lingua Brasileira de Sinais e o logotipo do aplicativo MovieReading Brasil com o site www.moviereadingbrasil..com.br

Sobre o filme

Ambientado em Quixadá nos anos 1980, o longa-metragem conta a história de Aluízio Li – Liduíno, interpretado por Edmilson Filho, um aficionado por artes marciais que vive com a cabeça no mundo das lutas de tanto assistir a filmes chineses; o que é motivo de chacotas em sua cidade natal. Neste contexto, Aluízio Li se vê diante de um grande desafio quando o lutador aposentado de vale-tudo Toni Tora Pleura, interpretado por Fábio Goulart, anuncia um tour de desafios aos valentões de várias cidades do interior do Ceará, incluindo Quixadá. O filme é dirigido pelo cineasta Halder Gomes, o mesmo de Cine Holliúdy.

Ficha Técnica

Produzido por Halder Gomes

Roteiro de L.G. Bayão

Escrito por Halder Gomes

Estrelando por Edmilson Filho.

Direção de Halder Gomes
Apresentando Bruna Hamú.

Participação especial de Fafy Siqueira. Com Dedé Santana, Marcos Veras, Falcão, Igor Jansen, Fábio Goulart, Frank Menezes, Cláudio Jaborandy, Haroldo Guimarães e grande elenco.

Gêneros: Comédia e Ação

Estúdio: ATC Entretenimentos

Recursos acessíveis e app: Iguale Comunicação de Acessibilidade via MovieReading, em parceria com a ETC Filmes.

Mais informações

Liliana Liberato

Assessora de Imprensa

Iguale Comunicação de Acessibilidade

imprensa@iguale.com.br

(11) 9 7999-2802

Filme estrelado por Marília Pêra e Samantha Schmutz estreia nos cinemas contendo o app MovieReading

“Tô Ryca!” é mais uma obra cinematográfica com acessibilidade graças a parceria com a ETC Filmes

 São Paulo, 21 de setembro de 2016 – “Tô Ryca!” chega aos cinemas de todo o Brasil nesta quinta-feira, dia 22 de setembro, e promete fazer o espectador rir e também se emocionar. Isso porque é o primeiro filme em que a atriz Samantha Schmultz, reconhecida por sua veia humorística, atua como protagonista, e o último longa-metragem da atriz Marília Pêra, que faleceu em dezembro passado. E mais: o filme tem os recursos de acessibilidade produzidos pela Iguale Comunicação de Acessibilidade app MovieReading.

O filme pode ser visto por todos os públicos, explica Mauricio Santana, diretor da Iguale, já que para ele foram produzidos a LIBRAS, para as pessoas com deficiência auditiva, a audiodescrição, para as pessoas com deficiência visual e intelectual, e as legendas descritivas para surdos e ensurdecidos. Todos esses recursos podem ser acessados por meio do aplicativo MovieReading, que no Brasil e América do Sul tem a chancela da Iguale.

“Ao decidir pela produção dos recursos de audiodescrição, legendas e LIBRAS, os responsáveis pela produção e distribuição do filme contribuem sobremaneira para que a pessoa com deficiência compreenda com riqueza de detalhes as situações contidas na obra, muitas vezes imperceptíveis para quem não vê ou não ouve, por exemplo. Uma importante iniciativa para tornar os filmes nacionais acessíveis, já que os recursos disponíveis no MovieReading têm acesso gratuito em celulares ou tablets e a sala de exibição não depende de instalação rede Wi-fi, o que permite ser utilizado em todas as salas de cinema onde for exibido”, completa Santana.

Ao baixar o app MovieReading em seu aparelho, o usuário pode acionar legendas, LIBRAS e audiodescrição que serão sincronizadas, em tempo real ao filme, através do reconhecimento de áudio. Para usar o app com o recurso da audiodescrição, é necessário ter fones de ouvido conectados ao aparelho. O MovieReading sincroniza os arquivos de acessibilidade com o som do filme em exibição através do reconhecimento do áudio, portanto uma dica é ter cuidado para não obstruir a captação do microfone do celular ou tablet. O microfone é o mesmo que transmite a voz para outra pessoa em uma ligação telefônica.

Sinopse “Tô Ryca!”

A vida dura de frentista pode estar com os dias contados para Selminha (Samantha Schmütz). Tudo porque ela pode pôr a mão numa herança. Mas para isso, seu tio de quem herdou a fortuna estipula um desafio. Selminha tem de gastar R$ 30 milhões em 30 dias. No entanto, nessa corrida contra o tempo, a frentista precisa fazer isso em segredo e não juntar itens comprados. Se conseguir, ela ficará com a herança de R$ 300 milhões.

Agenda

Estreia: 22 de setembro 2016

Em salas de cinema de todo o Brasil.

Ficha técnica

Diretor: Pedro Antonio

Elenco: Samantha Schmutz, Katiuscia Canaro, Marcelo Adnet, Marília Pêra, Anderson Di Rizzi, Marcus Majella.

Gênero: comédia

Distribuidora: Paris Filmes

Recursos acessíveis: Iguale Comunicação de Acessibilidade.

“Os Senhores da Guerra” chega aos cinemas com acessibilidade no app MovieReading

Para este filme nacional, baseado em fatos reais, foram produzidos os recursos de LIBRAS, legendas e audiodescrição; o acesso, gratuito, ao conteúdo acessível será por meio do aplicativo

13 de setembro de 2016 – Em parceria com a Accorde Filmes, a Iguale Comunicação de Acessibilidade sente-se honrada em assinar a produção dos recursos acessíveis de LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais), LSE (Legendas para Surdos e Ensurdecidos) e Audiodescrição para mais um filme nacional. “Os Senhores da Guerra” estreia nas salas de cinemas dia 15 de setembro, e para garantir o seu acesso de forma inclusiva a todos os públicos, disponibilizará os recursos de acessibilidade no aplicativo MovieReading.

O filme de Tabajara Ruas conta a história de dois irmãos, dois partidos e uma guerra civil, ao narrar fatos verídicos da vida de Julio e Carlos Bozano. No elenco, estão nomes como Rafael Cardoso, André Arteche, Leonardo Machado, Andrea Buzato, Marcos Verza, Marcos Breda e Elisa Brites. O longa “Os Senhores da Guerra”, que recebeu o prêmio especial do júri e kikito de atriz coadjuvante para Andrea Buzato, no Festival de Gramado de 2014, é baseado na obra de José Antonio Severo, com produção da Walper Ruas. “Abordando um tema histórico, aliado aos recursos de acessibilidade, queremos atingir um público cada vez maior e mais diversificado”, afirma a produtora Lígia Walper

Descrição da imagem #pracegover: cartaz do filme ilustrado pela foto dos personagens principais, Carlos (André Arteche) e Julio (Rafael Cardoso).  Carlos tem sobrancelhas espessas, barba rala, usa chapéu preto e lenço vermelho no pescoço. Júlio tem olhos verdes, bigode e cavanhaque e usa um lenço branco. Abaixo da imagem a frase: "Dois irmãos. Dois partidos. Uma guerra civil” e, em letras vermelhas, "Os Senhores da Guerra".  Sob o título aparecem os rostos de outros personagens, lado a lado, da esquerda para a direita, Orfila (Sirmar Antunes), Alemão Brinckmann (Marcos Verza), Dona Minina (Andrea Buzato), Ramón (Leonardo Machado), Maria Clara (Elisa Brites),  Soveral (Marcos Breda) e Ulisses (Felipe Kannemberg). Informações em texto: Walper Ruas apresenta: André Arteche e Rafael Cardoso em “Os Senhores da Guerra”, um filme de Tabajara Ruas, da obra de José Antônio Severo, prêmio especial do júri e melhor atriz coadjuvante para Andrea Buzato, Festival de Cinema de Gramado.  Com acessibilidade através do App MovieReading Brasil.   No rodapé, símbolos dos recursos audiodescrição, closed caption e LIBRAS, o logo do aplicativo e o site www.moviereading.com.br. Em seguida a mensagem “A Iguale Comunicação de Acessibilidade é a representante exclusiva do APP MovieReading no Brasil e América do Sul”.

Descrição da imagem #pracegover: cartaz do filme ilustrado pela foto dos personagens principais, Carlos (André Arteche) e Julio (Rafael Cardoso). Carlos tem sobrancelhas espessas, barba rala, usa chapéu preto e lenço vermelho no pescoço. Júlio tem olhos verdes, bigode e cavanhaque e usa um lenço branco. Abaixo da imagem a frase: “Dois irmãos. Dois partidos. Uma guerra civil” e, em letras vermelhas, “Os Senhores da Guerra”.
Sob o título aparecem os rostos de outros personagens, lado a lado, da esquerda para a direita, Orfila (Sirmar Antunes), Alemão Brinckmann (Marcos Verza), Dona Minina (Andrea Buzato), Ramón (Leonardo Machado), Maria Clara (Elisa Brites), Soveral (Marcos Breda) e Ulisses (Felipe Kannemberg).
Informações em texto: Walper Ruas apresenta: André Arteche e Rafael Cardoso em “Os Senhores da Guerra”, um filme de Tabajara Ruas, da obra de José Antônio Severo, prêmio especial do júri e melhor atriz coadjuvante para Andrea Buzato, Festival de Cinema de Gramado. Com acessibilidade através do App MovieReading Brasil.
No rodapé, símbolos dos recursos audiodescrição, closed caption e LIBRAS, o logo do aplicativo e o site www.moviereading.com.br. Em seguida a mensagem “A Iguale Comunicação de Acessibilidade é a representante exclusiva do APP MovieReading no Brasil e América do Sul”.

A audiodescrição, que tem roteiro de Marilaine Castro da Costa, revisão de Letícia Schwartz, com consultoria de Felipe Mianes, garante o acesso ao conteúdo visual e não verbal por parte das pessoas com deficiência visual e outras deficiências, como a intelectual, por exemplo. A LIBRAS facilita a compreensão por parte das pessoas com deficiência auditiva, adeptas da Língua Gestual ou Sinalizada, e as legendas descritivas dão mais autonomia aos surdos e ensurdecidos, usuários da Língua Portuguesa. “Todos esses recursos podem ser acessados, proporcionando a inclusão no cinema e no meio cultural, através do aplicativo MovieReading”, explica Mauricio Santana, diretor da Iguale Comunicação de Acessibilidade, empresa que responde pelo app no Brasil e na América do Sul.

Os recursos disponíveis no MovieReading podem ser baixados gratuitamente por usuários de celulares e tablets. Sem necessidade de conexão com a Internet no momento da exibição, o aplicativo e os recursos, depois de baixados, podem ser utilizados em qualquer lugar, ou seja, em todas as salas de cinema onde o filme estiver sendo exibido e, posteriormente, em casa ou em qualquer outra plataforma onde venha a ser novamente exibido.

Com o MovieReading já disponível no celular ou tablet, o usuário poderá acionar legendas, LIBRAS e audiodescrição que serão sincronizadas em tempo real ao filme por meio do reconhecimento de áudio. Para usar o app com o recurso da audiodescrição, é necessário ter fones de ouvido conectados ao aparelho. Como o MovieReading sincroniza os arquivos de acessibilidade ao som do filme em exibição, é preciso ter cuidado para não obstruir a captação do microfone do aparelho. O microfone é o mesmo que transmite a voz para outra pessoa em uma ligação telefônica.

Sinopse

“Os Senhores da Guerra” narra a história verídica dos irmãos Julio e Carlos Bozano, jovens da elite gaúcha no início do século XX, cultos, unidos por profunda amizade, que se enfrentam em lados opostos na guerra civil de 1924, no Rio Grande do Sul.

Julio, chimango e legalista, é prefeito de Santa Maria e recebe a missão de impedir o avanço das tropas do líder da oposição, general Zeca Neto, de quem Carlos, maragato e revolucionário, é secretário particular. Os amores dos guerreiros carregam sonhos e esperanças em meio ao turbilhão da guerra civil.

O destino coloca o líder comunista Luiz Carlos Prestes entre os irmãos Bozano. No surpreendente desfecho da batalha no Passo da Cruz eles provam que a fraternidade é a mais forte das bandeiras.

Saiba mais no site oficial do filme: www.ossenhoresdaguerra.com.br

Sobre a Iguale Comunicação de Acessibilidade

A Iguale Comunicação de Acessibilidade é a primeira empresa do Brasil criada exclusivamente para pensar e desenvolver soluções assistivas completas em comunicação para pessoas com algum tipo de deficiência. Fundada em 2008, em São Paulo, pelo publicitário, professor universitário e empresário Mauricio Santana, a empresa é precursora do conceito de comunicação de acessibilidade no país. Entre os recursos que a empresa disponibiliza ao mercado estão a audiodescrição, as legendas descritivas (closed caption e open caption), LIBRAS, voice over, acessibilidade web e participação efetiva em muitos projetos com foco em acessibilidade.

Mais informações
Liliana Liberato
Assessora de Imprensa
Iguale Comunicação de Acessibilidade
imprensa@iguale.com.br
(11) 9 7999-2802

Filme estrelado por Marília Pêra e Samantha Schmutz chega aos cinemas contendo recursos acessíveis no app MovieReading

Mais um filme que acaba de ganhar os recursos acessíveis da Iguale Comunicação de Acessibilidade, por intermédio da parceria com a ETC Filmes

 São Paulo, 8 de setembro de 2016 – “Tô Ryca!” chega aos cinemas de todo o Brasil no dia 22 de setembro, e promete fazer o espectador rir e também se emocionar. Isso porque é o primeiro filme em que a atriz Samantha Schmultz, reconhecida por sua veia humorística, atua como protagonista, e o último longa-metragem da consagrada atriz Marília Pêra, que faleceu em dezembro passado. E mais: o filme terá os recursos de acessibilidade produzidos pela Iguale Comunicação de Acessibilidade app MovieReading.

imagem-de-divulgacao-com-acessibilidade-to-ryca

Descrição da imagem #pracegover: a personagem Selminha, interpretada pela atriz Samantha Smutz, está sentada em um pequena montanha de notas de 100 reais, segurando uma taça de champanhe. Atrás dela, em pé, estão outros cinco personagens do filme. A personagem principal, ao centro, está sorridente. Tem a pele bronzeada, é magra, tem o cabelo clareado, liso e comprido. Usa um vestido rosa curto com decote e um casaco azul. Na mão direita segura uma taça de champanhe e no braço esquerdo está apoiando uma pequena bolsa dourada. Ela está de pernas cruzadas e nos pés usa um salto alto roxo. Ao fundo, da esquerda para direita, estão: uma jovem alta, magra, de cabelos compridos e loiros. Ela usa vestido preto brilhante com decote e está de braços cruzados com expressão de descaso. Ao lado dela está um homem de terno preto, camisa amarela e gravata quadriculada em amarelo e preto. Ele sorri “de canto de boca” levantando de leve uma sobrancelha. Ao lado dele, no centro, outra jovem usa um vestido dourado com uma faixa azul na cintura e um casaco xadrez colorido. Ela tem brinco de flor azul que combina com o colar de mesmo formato. O cabelo da personagem é curto e castanho, ela segura uma taça de champanhe na mão esquerda. Ao lado dela, outro homem veste um terno cinza com camisa branca e gravata colorida. Ele tem barba e cabelo preto. Na mão esquerda segura uma maleta preta. Ao lado, uma mulher usa um vestido preto e acena com a mão direita para o espectador da imagem. Ela tem o cabelo castanho comprido e franja. Ao longo da imagem existem outras notas de 100 reais que aparentam voar. No topo da imagem está o título do filme “To Ryca” em cor verde com bordas douradas e pequenos pontos brilhantes em seu preenchimento. Abaixo da foto estão as seguintes informações: “com acessibilidade através do app MovieReading Brasil.” Abaixo há a sinalização dos recursos acessíveis de audiodescrição, closed caption e LIBRAS e o logotipo do aplicativo MovieReading Brasil. Embaixo está o site www.moviereadingbrasil.com.br. No rodapé da imagem a mensagem “A Iguale Comunicação de Acessibilidade é a representante exclusiva do APP MovieReading no Brasil e América do Sul”.

Quando chegar ao cinema, o filme poderá ser visto por todos os públicos, explica Mauricio Santana, diretor da Iguale, já que para ele foram produzidos a LIBRAS, para as pessoas com deficiência auditiva, a audiodescrição, para as pessoas com deficiência visual e intelectual, e as legendas descritivas para surdos e ensurdecidos. Todos esses recursos poderão ser acessados por meio do aplicativo MovieReading, que no Brasil e América do Sul tem a chancela da Iguale. Depois de filmes como ‘Mais forte que o mundo – A história de José Aldo’, ‘Mulheres no Poder’ e ‘Porta dos Fundos – Contrato Vitalício’, a Iguale e a ETC Filmes comemoram com “Tô Ryca!” mais uma obra cinematográfica com acessibilidade.

“Ao decidir pela produção dos recursos de audiodescrição, legendas e LIBRAS, os responsáveis pela produção e distribuição do filme contribuem sobremaneira para que a pessoa com deficiência compreenda com riqueza de detalhes as situações contidas na obra, muitas vezes imperceptíveis para quem não vê ou não ouve, por exemplo. Uma importante iniciativa para tornar os filmes nacionais acessíveis, já que os recursos disponíveis no MovieReading têm acesso gratuito em celulares ou tablets e a sala de exibição não depende de instalação rede Wi-fi, o que permite ser utilizado em todas as salas de cinema onde for exibido”, completa Santana.

Ao baixar o app MovieReading em seu aparelho, o usuário pode acionar legendas, LIBRAS e audiodescrição que serão sincronizadas, em tempo real ao filme, através do reconhecimento de áudio. Para usar o app com o recurso da audiodescrição, é necessário ter fones de ouvido conectados ao aparelho. O MovieReading sincroniza os arquivos de acessibilidade com o som do filme em exibição através do reconhecimento do áudio, portanto uma dica é ter cuidado para não obstruir a captação do microfone do celular ou tablet. O microfone é o mesmo que transmite a voz para outra pessoa em uma ligação telefônica.

Sinopse “Tô Ryca!”

A vida dura de frentista pode estar com os dias contados para Selminha (Samantha Schmütz). Tudo porque ela pode pôr a mão numa herança. Mas para isso, seu tio de quem herdou a fortuna estipula um desafio. Selminha tem de gastar R$ 30 milhões em 30 dias. No entanto, nessa corrida contra o tempo, a frentista precisa fazer isso em segredo e não juntar itens comprados. Se conseguir, ela ficará com a herança de R$ 300 milhões.

Agenda

Estreia: 22 de setembro 20016

Em salas de cinema de todo o Brasil.

Ficha técnica

Diretor: Pedro Antonio

Elenco: Samantha Schmutz, Katiuscia Canaro, Marcelo Adnet, Marília Pêra, Anderson Di Rizzi, Marcus Majella.

Gênero: comédia

Distribuidora: Paris Filmes

Recursos acessíveis: Iguale Comunicação de Acessibilidade.

Sobre a Iguale

A Iguale Comunicação de Acessibilidade é a primeira empresa do Brasil criada exclusivamente para pensar e desenvolver soluções assistivas completas em comunicação para pessoas com algum tipo de deficiência. Fundada em 2008, em São Paulo, pelo publicitário, professor universitário e empresário Mauricio Santana, a empresa é precursora do conceito de comunicação de acessibilidade no país. Entre os recursos que a empresa disponibiliza ao mercado estão a audiodescrição, as legendas descritivas (closed caption e open caption), LIBRAS, voice over, acessibilidade web e participação efetiva em muitos projetos com foco em acessibilidade. A Iguale também é a responsável no Brasil e na América do Sul pelo aplicativo MovieReading.

Mais informações

Liliana Liberato

Assessora de Imprensa

Iguale Comunicação de Acessibilidade

imprensa@iguale.com.br

(11) 9 7999-2802

‘Carrossel 2 – O Sumiço de Maria Joaquina’ tem recursos acessíveis disponíveis no app MovieReading

Mais um filme com acessibilidade graças à parceria entre a Iguale Comunicação de Acessibilidade e a ETC Filmes

São Paulo, 22 de Julho de 2016 – Uma das muitas atividades aguardadas pela garotada para o período de férias é curtir um cineminha na companhia da família ou dos amigos. E um dos lançamentos que tem levado o público infanto-juvenil para as salas de cinema de todo o país é o filme ‘Carrossel 2 – O Sumiço de Maria Joaquina’. A novidade é que o mesmo ganhou os recursos de LIBRAS, legendas e audiodescrição produzidos pela Iguale Comunicação de Acessibilidade e disponibilizados no app MovieReading.

Mauricio Santana, diretor da Iguale comemora com esta produção mais um filme nacional com acessibilidade, resultado da parceria com a ETC Filmes. Como ele explica, ao decidir pela produção dos recursos de audiodescrição, legendas e LIBRAS, os idealizadores das obras cinematográficas contribuem para que a pessoa com deficiência compreenda com mais riqueza de detalhes as situações contidas no filme, muitas vezes imperceptíveis a quem, por exemplo, tem deficiência visual ou auditiva. E esta é uma grande contribuição, já que os recursos disponíveis no MovieReading têm acesso gratuito. Importante: o aplicativo não depende de rede Wi-fi, por isso pode ser acessado em todas as salas de cinema onde o filme for exibido.

Descrição da imagem ‪#‎PraCegoVer‬: O título do filme “Carrossel 2 – O sumiço de Maria Joaquina” está estampado sobre um céu azul. Ao fundo estão os muitos prédios da cidade de São Paulo.  Logo abaixo, em frente a um muro amarelo e pichado, estão todos os personagens do filme, posando para a foto. Os 17 adolescentes estão sorrindo, e formam duas fileiras. Os da frente estão sentados e os detrás, em pé. Maria Joaquina está no centro delas, com a boca aberta, os braços encolhidos em frente ao peito e as mãos espalmadas para cima, expressando espanto. Atrás dela estão a professora Helena e Didi Mel. Nas laterais do muro os bandidos Gonzales e Gonzalito aparecem como se estivessem se intrometendo na foto.  Logo abaixo das crianças, sobre o asfalto, está escrito: “Eles cresceram. E os desafios também”. O seguinte texto vem logo a seguir:  Com acessibilidade através do app MovieReading Brasil: audiodescrição, LIBRAS e legendas acessíveis.A Iguale Comunicação de Acessibilidade é a representante exclusiva do app. MovieReading no Brasil e na América do Sul Logo e endereço eletrônico: www.moviereadingbrasil.com.br

Descrição da imagem ‪#‎PraCegoVer‬: O título do filme “Carrossel 2 – O sumiço de Maria Joaquina” está estampado sobre um céu azul. Ao fundo estão os muitos prédios da cidade de São Paulo.
Logo abaixo, em frente a um muro amarelo e pichado, estão todos os personagens do filme, posando para a foto. Os 17 adolescentes estão sorrindo, e formam duas fileiras. Os da frente estão sentados e os detrás, em pé. Maria Joaquina está no centro delas, com a boca aberta, os braços encolhidos em frente ao peito e as mãos espalmadas para cima, expressando espanto. Atrás dela estão a professora Helena e Didi Mel. Nas laterais do muro os bandidos Gonzales e Gonzalito aparecem como se estivessem se intrometendo na foto.
Logo abaixo das crianças, sobre o asfalto, está escrito: “Eles cresceram. E os desafios também”.
O seguinte texto vem logo a seguir:
Com acessibilidade através do app MovieReading Brasil: audiodescrição, LIBRAS e legendas acessíveis.A Iguale Comunicação de Acessibilidade é a representante exclusiva do app. MovieReading no Brasil e na América do Sul
Logo e endereço eletrônico: www.moviereadingbrasil.com.br

Ao baixar o app MovieReading em smatphones e tablets, o usuário pode acionar legendas, LIBRAS e audiodescrição que serão sincronizadas, em tempo real ao filme, através do reconhecimento de áudio. Para usar o app com o recurso da audiodescrição, é necessário ter fones de ouvido conectados ao aparelho. O MovieReading sincroniza os arquivos de acessibilidade com o som do filme em exibição através do reconhecimento do áudio, portanto uma dica é ter cuidado para não obstruir a captação do microfone do celular ou tablet. O microfone é o mesmo que transmite a voz para outra pessoa em uma ligação telefônica.

Sinopse

Os malvados vilões Gonzales e Gonzalito saíram da prisão e resolveram colocar seu plano de vingança em prática. Para isso, eles pegaram Maria Joaquina e disseram que só vão devolvê-la se as crianças conseguirem passar por diferentes e perigosas provas criadas por eles mesmos. E não vai ter moleza! Para encarar essas provas, os alunos da escola Mundial terão de se mostrar muito espertos para desvendar charadas, muito preparados fisicamente para vencer os desafios mais absurdos e muito criativos para encontrar a saída a todo tipo de enrascada. Será que eles irão conseguir vencer as provas e salvar Maria Joaquina? Mais do que isso: será que eles vão querer salva-la?

Sobre a Iguale

A Iguale Comunicação de Acessibilidade é a primeira empresa do Brasil criada exclusivamente para pensar e desenvolver soluções assistivas completas em comunicação para pessoas com algum tipo de deficiência. Fundada em 2008, em São Paulo, pelo publicitário, professor universitário e empresário Mauricio Santana, a empresa é precursora do conceito de comunicação de acessibilidade no país. Entre os recursos que a empresa disponibiliza ao mercado estão a audiodescrição, as legendas descritivas (closed caption e open caption), LIBRAS, voice over, acessibilidade web e participação efetiva em muitos projetos com foco em acessibilidade. A Iguale também é a responsável no Brasil e na América do Sul pelo aplicativo MovieReading.

 Mais informações

 Liliana Liberato

 Assessora de Imprensa

 Iguale Comunicação de Acessibilidade

 imprensa@iguale.com.br

 (11) 9 7999-2802

 

Carrossel 2 – O Sumiço de Maria Joaquina estreia nos cinemas com recursos acessíveis

14 de Julho de 2016 – Estreia  nos cinemas de todo o país o filme Carrossel 2 – O Sumiço de Maria Joaquina com os recursos acessíveis de audiodescrição, legendas e LIBRAS produzidos com a qualidade e profissionalismo da Iguale, e disponibilizados gratuitamente no app MovieReading. Mais um filme acessível graças a parceria Iguale & ETC Filmes.

Imagem de divulgação Filme Carrossel 2

Descrição da imagem ‪#‎PraCegoVer: O título do filme “Carrossel 2 – O sumiço de Maria Joaquina” está estampado sobre um céu azul. Ao fundo estão os muitos prédios da cidade de São Paulo. 

Logo abaixo, em frente a um muro amarelo e pichado, estão todos os personagens do filme, posando para a foto. Os 17 adolescentes estão sorrindo, e formam duas fileiras. Os da frente estão sentados e os detrás, em pé. Maria Joaquina está no centro delas, com a boca aberta, os braços encolhidos em frente ao peito e as mãos espalmadas para cima, expressando espanto. Atrás dela estão a professora Helena e Didi Mel. Nas laterais do muro os bandidos Gonzales e Gonzalito aparecem como se estivessem se intrometendo na foto. 
Logo abaixo das crianças, sobre o asfalto, está escrito: “Eles cresceram. E os desafios também”.

O seguinte texto vem logo a seguir: 

Com acessibilidade através do app MovieReading Brasil: audiodescrição, LIBRAS e legendas acessíveis.A Iguale Comunicação de Acessibilidade é a representante exclusiva do app MovieReading no Brasil e na América do Sul.
Logo e endereço eletrônico: www.moviereadingbrasil.com.br

‘Porta dos Fundos – Contrato Vitalício’ estreia nos cinemas com recursos acessíveis no app MovieReading

A produção da audiodescrição, legendas e Libras é da Iguale Comunicação de Acessibilidade, resultado da parceria com a ETC Filmes

São Paulo, Julho de 2016 – Mais um filme nacional estreia nos cinemas de todo o Brasil com os recursos de acessibilidade produzidos pela Iguale e disponibilizados gratuitamente no aplicativo MovieReading. A conquista é fruto da parceria com a primeiro longa-metragem do coletivo de humor liderado pelo ator e roteirista Fábio Porchat, chega às salas de cinema para divertir e também contribuir com a inclusão do público com deficiência às obras audiovisuais.

Como explica Mauricio Santana, diretor da Iguale, ao decidir pela produção dos recursos de audiodescrição, legendas e LIBRAS, os responsáveis pela produção e distribuição do filme ‘Porta dos Fundos – Contrato Vitalício’ contribuem para que a pessoa com deficiência compreenda com mais riqueza de detalhes as situações contidas no filme, muitas vezes imperceptíveis a quem, por exemplo, tem deficiência visual ou auditiva. E esta é uma grande contribuição, já que ao os recursos disponibilizados no MovieReading têm acesso gratuito. “O aplicativo não depende de rede Wi-fi, por isso pode ser acessado em todas as salas de cinema onde o filme for exibido, em todo o Brasil”, acrescenta Santana.

Descrição da imagem ‪#‎pracegover‬: a imagem é uma montagem dos personagens principais do filme “Contrato Vitalício” em diversas situações que ocorrem no longa-metragem. O cenário é um set de filmagem onde há luzes, cenários e câmeras. Os protagonistas Rodrigo e Miguel estão mais à frente. Rodrigo, vivido por Fábio Porchat, usa terno escuro, é alto, magro e loiro. Ele acena com a mão esquerda enquanto segura uma coroa de louros dourada com a direita. Miguel, interpretado por Gregório Duvivier, usa roupas mais despojadas e óculos fundo de garrafa. Ele tem cabelo liso e comprido e barba espessa.  Ao fundo estão: um homem gordo acorrentado; uma loira sentada com um cigarro apagado entre os dedos; um homem calvo, vestido com um avental sangrento e uma chave de boca na mão; um homem de óculos de aros grossos, que segura um celular com as duas mãos; uma loira de cabelos compridos usando roupa de guerreira amazona; um homem forte segurando uma mangueira de onde sai um líquido marrom; um rapaz com trejeitos afeminados e um homem vestido de alienígena, com capacete, óculos escuros, bigode grande e capa.  Logo abaixo dessas imagens estão as informações:  “Porta dos Fundos – Contrato Vitalício”  30 de Junho nos cinemas.  Com acessibilidade através do app MovieReading Brasil: Audiodescrição, LIBRAS e legendas acessíveis. A Iguale Comunicação de Acessibilidade é a representante exclusiva do app MovieReading no Brasil e na América do Sul. Logo e endereço eletrônico: www.moviereadingbrasil.com.br

Descrição da imagem ‪#‎pracegover‬: a imagem é uma montagem dos personagens principais do filme “Contrato Vitalício” em diversas situações que ocorrem no longa-metragem.
O cenário é um set de filmagem onde há luzes, cenários e câmeras. Os protagonistas Rodrigo e Miguel estão mais à frente. Rodrigo, vivido por Fábio Porchat, usa terno escuro, é alto, magro e loiro. Ele acena com a mão esquerda enquanto segura uma coroa de louros dourada com a direita. Miguel, interpretado por Gregório Duvivier, usa roupas mais despojadas e óculos fundo de garrafa. Ele tem cabelo liso e comprido e barba espessa.
Ao fundo estão: um homem gordo acorrentado; uma loira sentada com um cigarro apagado entre os dedos; um homem calvo, vestido com um avental sangrento e uma chave de boca na mão; um homem de óculos de aros grossos, que segura um celular com as duas mãos; uma loira de cabelos compridos usando roupa de guerreira amazona; um homem forte segurando uma mangueira de onde sai um líquido marrom; um rapaz com trejeitos afeminados e um homem vestido de alienígena, com capacete, óculos escuros, bigode grande e capa.
Logo abaixo dessas imagens estão as informações:
“Porta dos Fundos – Contrato Vitalício”
30 de Junho nos cinemas.
Com acessibilidade através do app MovieReading Brasil: Audiodescrição, LIBRAS e legendas acessíveis.
A Iguale Comunicação de Acessibilidade é a representante exclusiva do app MovieReading no Brasil e na América do Sul.
Logo e endereço eletrônico: www.moviereadingbrasil.com.br

Ao baixar o app MovieReading em smatphones e tablets, o usuário pode acionar legendas, LIBRAS e audiodescrição que serão sincronizadas, em tempo real ao filme, através do reconhecimento de áudio. Para usar o app com o recurso da audiodescrição, é necessário ter fones de ouvido conectados ao aparelho. O MovieReading sincroniza os arquivos de acessibilidade com o som do filme em exibição através do reconhecimento do áudio, portanto uma dica é ter cuidado para não obstruir a captação do microfone do celular ou tablet. O microfone é o mesmo que transmite a voz para outra pessoa em uma ligação telefônica.

Sinopse

Miguel (Gregório Duvivier) e Rodrigo (Fábio Porchat) são dois amigos que costumam realizar filmes juntos. Certa ocasião, um de seus filmes ganha um prêmio importante em um festival internacional. Animados com a premiação, os dois saem para comemorar e Rodrigo assina, em um guardanapo de bar, um contrato vitalício que garante que ele estaria em todos os filmes de Miguel dali para frente. No entanto, Miguel desaparece e só retorna dez anos depois. Quando reaparece, ele leva para Rodrigo, agora um ator consagrado, a proposta de um filme insano que pode destruir sua carreira.

Ficha Técnica

Direção: Ian SBF

Roteiro: Fábio Porchat e Gabriel Esteves

Elenco: Gregório Duvivier, Fábio Porchat, Antonio Tabet, João Vicente de Castro, Luis Lobianco, Thati Lopes, Marcos Veras, Júlia Rabello e outras participações.

Duração: 100m

Gênero: comédia

Recursos acessíveis: Iguale Comunicação de Acessibilidade

Sobre a Iguale

A Iguale Comunicação de Acessibilidade é a primeira empresa do Brasil criada exclusivamente para pensar e desenvolver soluções assistivas completas em comunicação para pessoas com algum tipo de deficiência. Fundada em 2008, em São Paulo, pelo publicitário, professor universitário e empresário Mauricio Santana, a empresa é precursora do conceito de comunicação de acessibilidade no país. Entre os recursos que a empresa disponibiliza ao mercado estão a audiodescrição, as legendas descritivas (closed caption e open caption), LIBRAS, voice over, acessibilidade web e participação efetiva em muitos projetos com foco em acessibilidade. A Iguale também é a responsável no Brasil e na América do Sul pelo aplicativo MovieReading.

Mais informações

Liliana Liberato

Assessora de Imprensa

Iguale Comunicação de Acessibilidade

imprensa@iguale.com.br

(11) 9 7999-2802