Arquivo da tag: Iguale Comunicação de Acessibilidade

Iguale faz legendas LSE para os 31 longas-metragens do 43º Festival Sesc Melhores Filmes

A mostra mais tradicional de cinema de São Paulo acontece ao longo do mês de abril no CineSesc

São Paulo, 6 de abril de 2017 – Acaba de ter início o 43º Festival Sesc Melhores Filmes, no CineSesc, em São Paulo, uma das mostras mais tradicionais da capital paulista. E nela, a Iguale Comunicação de Acessibilidade tem a satisfação de ser a responsável pela produção da LSE (Legenda para Surdos e Ensurdecidos) dos 31 filmes em cartaz. Nesta edição, a Iguale também esteve à frente da interpretação de LIBRAS da cerimônia de abertura realizada na noite da última quarta-feira.

A Iguale e o CineSesc têm uma relação de muito companheirismo na produção de recursos acessíveis para os filmes exibidos na mostra. Como explica Mauricio Santana, diretor da empresa, essa parceria vem de longe, já que entre 2009 e 2012 a Iguale produziu as legendas e a audiodescrição para os filmes da mostra. Agora, a Iguale volta a fazer as Legendas para Surdos e Ensurdecidos com a qualidade e o profissionalismo que o público já conhece.

Sobre a Mostra

O Festival Sesc Melhores Filmes é o mais antigo festival de cinema da cidade de São Paulo. Criado em 1974, oferece a oportunidade ao público de ver ou rever o que passou de mais significativo pelas telas da cidade no ano anterior ao evento, a preços populares. Em 43 anos, a mostra do CineSesc já exibiu centenas de longas-metragens dentro da programação da mostra anual, escolhidos democraticamente por meio de votação. A eleição envolve um júri formado de críticos de cinema de todo o país, além do público. Participam da votação os filmes lançados em São Paulo no ano de 2016. As exibições no CineSesc são acessíveis, e todos os filmes contam com audiodescrição e legendas LSE. Mais um diferencial do Festival é a itinerância: cidades do litoral e interior do estado de São Paulo, atendidas por Unidades do Sesc, recebem exibições de filmes participantes.

 Confira a lista dos 31 filmes do Festival

 A chegada

A Era do Gelo 5 3D

A garota dinamarquesa

Aquarius

Big jato

Boi neon

Capitão Fantástico

Cinema novo

Coração de cachorro

Crepúsculo dos deuses

Curumim

Depois da tempestade

Ela volta na quinta

Ela volta na quinta

Elis

Elle

Filho de Saul

Francofonia

Lawrence da Arábia

Mãe só há uma

Menino 23 – Infâncias Perdidas no Brasil

Minha mãe é uma peça 2

O abraço da serpente

O botão de pérola

O cavalo de Turim

O poderoso chefão

O regresso

O silêncio do céu

Snoopy e Charlie Brown – Peanuts, O Filme – 3D

SP em Hi Fi

Trago comigo

Agenda

43º Festival Sesc Melhores Filmes

Data: 5 a 19 de abril de 2017

Local: CineSesc

Endereço: Rua Augusta, 2075 – Cerqueira César – São Paulo (SP)

Recurso acessível LSE: Iguale Comunicação de Acessibilidade

Para conferir a programação e obter mais informações clique aqui.

IV Mostra Petrobras Premmia de Teatro tem espetáculos contendo o recurso acessível de audiodescrição

O recurso estará disponível nas sessões dos oito espetáculos da programação, com o padrão de qualidade dos projetos assinados pela Iguale; a mostra acontecerá de fevereiro a julho

São Paulo, 9 de fevereiro de 2017 – O público com deficiência visual que aprecia espetáculos teatrais, principalmente quando os mesmos têm recursos de acessibilidade, não pode perder a IV Mostra Petrobras Premmia de Teatro, que acontece entre fevereiro e julho, no Auditório do Ibirapuera, em São Paulo. Com os recursos de audiodescrição produzidos pela Iguale Comunicação de Acessibilidade, os espetáculos proporcionarão mais autonomia aos espectadores que, por sua vez, terão melhor entendimento do conteúdo não verbal de cada uma das peças em cartaz.

Fazem parte da Mostra espetáculos de qualidade, produzidos por companhias, grupos e produtores independentes, que circularam pelos mais variados pontos do país, durante o Programa Petrobras Distribuidora de Cultura 2015/2016. Segundo os realizadores, a Mostra, cuja realização se dá em parceria com o Auditório Ibirapuera – Oscar Niemeyer e o Itaú Cultural, contará com oito espetáculos, que levarão ao público um painel da produção teatral contemporânea a preços populares, com ingressos a R$ 20, e apresentações aos sábados e domingos.

As peças que serão exibidas na IV Mostra Petrobras Premmia de Teatro, contendo o recurso de audiodescrição realizado pela Iguale são: O Duelo, Rádio Variété, Trágica.3, Conselho de Classe, Vianinha conta o Último Combate do Homens Comum, Contrações, BR TRANS e Nós Sempre Teremos Paris. No elenco destes espetáculos, estão nomes como Camila Pitanga, Denise Del Vecchio, Leticia Sabatella, Debora Falabella e Françoise Forton.

Como explica o diretor da Iguale, Mauricio Santana, em um espetáculo teatral, a audiodescrição, que pode ser considerada um modo de tradução audiovisual intersemiótica (do visual para o verbal), narra através ou pela voz de um audiodescritor, o máximo de detalhes de tudo o que acontece nos atos, sem os quais uma pessoa com deficiência visual não compreenderia com autonomia o espetáculo.

Mauricio revela ainda que a audiodescrição interage de acordo com os espaços oferecidos entre os diálogos dos personagens, respeitando o roteiro original, as intenções de pausas, ruídos sonoros e trilhas. “É um recurso que promove acesso e autonomia às pessoas com deficiência visual”, completa.

 Programação geral e elenco da Mostra

11 e 12 de Fevereiro – O Duelo

Com Camila Pitanga, Aury Porto, Carol Badra e elenco, direção Georgette Fadel

 18 e 19 de Fevereiro – Rádio Variété

Com Fernando Sampaio, Fernando Paz e Felipe Bregantim, direção Fernando Sampaio

25 e 26 de Março – Trágica.3

Com Denise Del Vecchio, Leticia Sabatella, Miwa Yanagizawa, Fernando Alves Pinto e Marcelo H., direção Guilherme Leme

22, 23 de Abril – Conselho de Classe

Com Leonardo Netto, Marcelo Olinto, Lourival Prudêncio, João Rodrigo Ostrower, Thierry Trémouroux, Cesar Augusto, direção Bel Garcia e Susana Ribeiro

27, 28 de Maio – Vianinha conta o Último Combate do Homens Comum

Com Alexandre David, Ana Barrosos e Ana Veloso e elenco, direção Aderbal Freire-Filho

17 e 18 de Junho – Contrações

Com Debora Falabella e Yara de Novaes, direção de Grace Passô

24 e 25 de Junho – BR TRANS

Com Silvero Pereira, direção Jezebel De Carli

01 e 02 de Julho – Nós Sempre Teremos Paris

Com Françoise Forton e Mauricio Baduh, texto de Artur Xexéu, direção de Jacqueline Laurence

Mais informações: www.mostradeteatro.com.br

Filme “O Shaolin do Sertão” chega aos cinemas com aplicativo acessível MovieReading

A comédia nacional de ação e aventura em pleno sertão cearense já está em cartaz; o filme disponibiliza os recursos acessíveis de LIBRAS, audiodescrição e legendas no app

27 de outubro de 2016 – Já em cartaz nos cinemas, o longa-metragem cearense “O Shaolin do Sertão” garante a acessibilidade de pessoas com deficiência visual e auditiva por intermédio do aplicativo MovieReading.  Para utilizar o app que no Brasil e na América do Sul é de responsabilidade da Iguale Comunicação de Acessibilidade, basta fazer o download no smartphone ou tablet e baixar os arquivos com os recursos que tem interesse em utilizar. A acessibilidade em mais esta obra cinematográfica é resultado da parceria com a ETC Filmes.

Como explica Mauricio Santana, diretor da Iguale, para o filme “O Shaolin do Sertão” estão disponíveis a audiodescrição, a interpretação em libras e as legendas para surdos e ensurdecidos (LSE). Para utilizá-los, é necessário ter um celular ou tablet com fones de ouvido e microfone. “Ao selecionar o arquivo do filme baixado no ambiente do MovieReading, e clicar no botão de comando, automaticamente o app sincroniza a audiodescrição, a LIBRAS ou a legenda ao áudio original. Esta inovação da tecnologia assistiva é algo que veio para mudar o modo como a pessoa com deficiência visual e auditiva assimila o conteúdo das obras audiovisuais e se relaciona com o universo do cinema”, salienta Santana.

Sem necessidade de conexão com a Internet no momento da exibição, o aplicativo e os recursos contidos no app MovieReading, depois de baixados, podem ser utilizados em qualquer lugar. Ou seja, em todas as salas de cinema onde o filme estiver sendo exibido e, posteriormente, em casa ou em qualquer outra plataforma onde venha a ser novamente exibido.

imagem-de-divulgacao-shaolim-do-sertao

A imagem apresenta no topo sobre o fundo azul o título do filme “O Shaolin do Sertão” e abaixo o personagem principal do filme. Ele é careca, usa uma faixa vermelha amarrada na cabeça, tem a mão direita posicionada à frente do peito com a palma virada para a esquerda; o braço esquerdo está direcionado para frente com a mão fechada como um soco. Abaixo há a mensagem sobre fundo amarelo “com acessibilidade através do app MovieReading Brasil”. Em seguida há os símbolos dos recursos de audiodescrição, legendas e LIBRAS – Lingua Brasileira de Sinais e o logotipo do aplicativo MovieReading Brasil com o site www.moviereadingbrasil..com.br

Sobre o filme

Ambientado em Quixadá nos anos 1980, o longa-metragem conta a história de Aluízio Li – Liduíno, interpretado por Edmilson Filho, um aficionado por artes marciais que vive com a cabeça no mundo das lutas de tanto assistir a filmes chineses; o que é motivo de chacotas em sua cidade natal. Neste contexto, Aluízio Li se vê diante de um grande desafio quando o lutador aposentado de vale-tudo Toni Tora Pleura, interpretado por Fábio Goulart, anuncia um tour de desafios aos valentões de várias cidades do interior do Ceará, incluindo Quixadá. O filme é dirigido pelo cineasta Halder Gomes, o mesmo de Cine Holliúdy.

Ficha Técnica

Produzido por Halder Gomes

Roteiro de L.G. Bayão

Escrito por Halder Gomes

Estrelando por Edmilson Filho.

Direção de Halder Gomes
Apresentando Bruna Hamú.

Participação especial de Fafy Siqueira. Com Dedé Santana, Marcos Veras, Falcão, Igor Jansen, Fábio Goulart, Frank Menezes, Cláudio Jaborandy, Haroldo Guimarães e grande elenco.

Gêneros: Comédia e Ação

Estúdio: ATC Entretenimentos

Recursos acessíveis e app: Iguale Comunicação de Acessibilidade via MovieReading, em parceria com a ETC Filmes.

Mais informações

Liliana Liberato

Assessora de Imprensa

Iguale Comunicação de Acessibilidade

imprensa@iguale.com.br

(11) 9 7999-2802

Filme estrelado por Marília Pêra e Samantha Schmutz estreia nos cinemas contendo o app MovieReading

“Tô Ryca!” é mais uma obra cinematográfica com acessibilidade graças a parceria com a ETC Filmes

 São Paulo, 21 de setembro de 2016 – “Tô Ryca!” chega aos cinemas de todo o Brasil nesta quinta-feira, dia 22 de setembro, e promete fazer o espectador rir e também se emocionar. Isso porque é o primeiro filme em que a atriz Samantha Schmultz, reconhecida por sua veia humorística, atua como protagonista, e o último longa-metragem da atriz Marília Pêra, que faleceu em dezembro passado. E mais: o filme tem os recursos de acessibilidade produzidos pela Iguale Comunicação de Acessibilidade app MovieReading.

O filme pode ser visto por todos os públicos, explica Mauricio Santana, diretor da Iguale, já que para ele foram produzidos a LIBRAS, para as pessoas com deficiência auditiva, a audiodescrição, para as pessoas com deficiência visual e intelectual, e as legendas descritivas para surdos e ensurdecidos. Todos esses recursos podem ser acessados por meio do aplicativo MovieReading, que no Brasil e América do Sul tem a chancela da Iguale.

“Ao decidir pela produção dos recursos de audiodescrição, legendas e LIBRAS, os responsáveis pela produção e distribuição do filme contribuem sobremaneira para que a pessoa com deficiência compreenda com riqueza de detalhes as situações contidas na obra, muitas vezes imperceptíveis para quem não vê ou não ouve, por exemplo. Uma importante iniciativa para tornar os filmes nacionais acessíveis, já que os recursos disponíveis no MovieReading têm acesso gratuito em celulares ou tablets e a sala de exibição não depende de instalação rede Wi-fi, o que permite ser utilizado em todas as salas de cinema onde for exibido”, completa Santana.

Ao baixar o app MovieReading em seu aparelho, o usuário pode acionar legendas, LIBRAS e audiodescrição que serão sincronizadas, em tempo real ao filme, através do reconhecimento de áudio. Para usar o app com o recurso da audiodescrição, é necessário ter fones de ouvido conectados ao aparelho. O MovieReading sincroniza os arquivos de acessibilidade com o som do filme em exibição através do reconhecimento do áudio, portanto uma dica é ter cuidado para não obstruir a captação do microfone do celular ou tablet. O microfone é o mesmo que transmite a voz para outra pessoa em uma ligação telefônica.

Sinopse “Tô Ryca!”

A vida dura de frentista pode estar com os dias contados para Selminha (Samantha Schmütz). Tudo porque ela pode pôr a mão numa herança. Mas para isso, seu tio de quem herdou a fortuna estipula um desafio. Selminha tem de gastar R$ 30 milhões em 30 dias. No entanto, nessa corrida contra o tempo, a frentista precisa fazer isso em segredo e não juntar itens comprados. Se conseguir, ela ficará com a herança de R$ 300 milhões.

Agenda

Estreia: 22 de setembro 2016

Em salas de cinema de todo o Brasil.

Ficha técnica

Diretor: Pedro Antonio

Elenco: Samantha Schmutz, Katiuscia Canaro, Marcelo Adnet, Marília Pêra, Anderson Di Rizzi, Marcus Majella.

Gênero: comédia

Distribuidora: Paris Filmes

Recursos acessíveis: Iguale Comunicação de Acessibilidade.

“Os Senhores da Guerra” chega aos cinemas com acessibilidade no app MovieReading

Para este filme nacional, baseado em fatos reais, foram produzidos os recursos de LIBRAS, legendas e audiodescrição; o acesso, gratuito, ao conteúdo acessível será por meio do aplicativo

13 de setembro de 2016 – Em parceria com a Accorde Filmes, a Iguale Comunicação de Acessibilidade sente-se honrada em assinar a produção dos recursos acessíveis de LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais), LSE (Legendas para Surdos e Ensurdecidos) e Audiodescrição para mais um filme nacional. “Os Senhores da Guerra” estreia nas salas de cinemas dia 15 de setembro, e para garantir o seu acesso de forma inclusiva a todos os públicos, disponibilizará os recursos de acessibilidade no aplicativo MovieReading.

O filme de Tabajara Ruas conta a história de dois irmãos, dois partidos e uma guerra civil, ao narrar fatos verídicos da vida de Julio e Carlos Bozano. No elenco, estão nomes como Rafael Cardoso, André Arteche, Leonardo Machado, Andrea Buzato, Marcos Verza, Marcos Breda e Elisa Brites. O longa “Os Senhores da Guerra”, que recebeu o prêmio especial do júri e kikito de atriz coadjuvante para Andrea Buzato, no Festival de Gramado de 2014, é baseado na obra de José Antonio Severo, com produção da Walper Ruas. “Abordando um tema histórico, aliado aos recursos de acessibilidade, queremos atingir um público cada vez maior e mais diversificado”, afirma a produtora Lígia Walper

Descrição da imagem #pracegover: cartaz do filme ilustrado pela foto dos personagens principais, Carlos (André Arteche) e Julio (Rafael Cardoso).  Carlos tem sobrancelhas espessas, barba rala, usa chapéu preto e lenço vermelho no pescoço. Júlio tem olhos verdes, bigode e cavanhaque e usa um lenço branco. Abaixo da imagem a frase: "Dois irmãos. Dois partidos. Uma guerra civil” e, em letras vermelhas, "Os Senhores da Guerra".  Sob o título aparecem os rostos de outros personagens, lado a lado, da esquerda para a direita, Orfila (Sirmar Antunes), Alemão Brinckmann (Marcos Verza), Dona Minina (Andrea Buzato), Ramón (Leonardo Machado), Maria Clara (Elisa Brites),  Soveral (Marcos Breda) e Ulisses (Felipe Kannemberg). Informações em texto: Walper Ruas apresenta: André Arteche e Rafael Cardoso em “Os Senhores da Guerra”, um filme de Tabajara Ruas, da obra de José Antônio Severo, prêmio especial do júri e melhor atriz coadjuvante para Andrea Buzato, Festival de Cinema de Gramado.  Com acessibilidade através do App MovieReading Brasil.   No rodapé, símbolos dos recursos audiodescrição, closed caption e LIBRAS, o logo do aplicativo e o site www.moviereading.com.br. Em seguida a mensagem “A Iguale Comunicação de Acessibilidade é a representante exclusiva do APP MovieReading no Brasil e América do Sul”.

Descrição da imagem #pracegover: cartaz do filme ilustrado pela foto dos personagens principais, Carlos (André Arteche) e Julio (Rafael Cardoso). Carlos tem sobrancelhas espessas, barba rala, usa chapéu preto e lenço vermelho no pescoço. Júlio tem olhos verdes, bigode e cavanhaque e usa um lenço branco. Abaixo da imagem a frase: “Dois irmãos. Dois partidos. Uma guerra civil” e, em letras vermelhas, “Os Senhores da Guerra”.
Sob o título aparecem os rostos de outros personagens, lado a lado, da esquerda para a direita, Orfila (Sirmar Antunes), Alemão Brinckmann (Marcos Verza), Dona Minina (Andrea Buzato), Ramón (Leonardo Machado), Maria Clara (Elisa Brites), Soveral (Marcos Breda) e Ulisses (Felipe Kannemberg).
Informações em texto: Walper Ruas apresenta: André Arteche e Rafael Cardoso em “Os Senhores da Guerra”, um filme de Tabajara Ruas, da obra de José Antônio Severo, prêmio especial do júri e melhor atriz coadjuvante para Andrea Buzato, Festival de Cinema de Gramado. Com acessibilidade através do App MovieReading Brasil.
No rodapé, símbolos dos recursos audiodescrição, closed caption e LIBRAS, o logo do aplicativo e o site www.moviereading.com.br. Em seguida a mensagem “A Iguale Comunicação de Acessibilidade é a representante exclusiva do APP MovieReading no Brasil e América do Sul”.

A audiodescrição, que tem roteiro de Marilaine Castro da Costa, revisão de Letícia Schwartz, com consultoria de Felipe Mianes, garante o acesso ao conteúdo visual e não verbal por parte das pessoas com deficiência visual e outras deficiências, como a intelectual, por exemplo. A LIBRAS facilita a compreensão por parte das pessoas com deficiência auditiva, adeptas da Língua Gestual ou Sinalizada, e as legendas descritivas dão mais autonomia aos surdos e ensurdecidos, usuários da Língua Portuguesa. “Todos esses recursos podem ser acessados, proporcionando a inclusão no cinema e no meio cultural, através do aplicativo MovieReading”, explica Mauricio Santana, diretor da Iguale Comunicação de Acessibilidade, empresa que responde pelo app no Brasil e na América do Sul.

Os recursos disponíveis no MovieReading podem ser baixados gratuitamente por usuários de celulares e tablets. Sem necessidade de conexão com a Internet no momento da exibição, o aplicativo e os recursos, depois de baixados, podem ser utilizados em qualquer lugar, ou seja, em todas as salas de cinema onde o filme estiver sendo exibido e, posteriormente, em casa ou em qualquer outra plataforma onde venha a ser novamente exibido.

Com o MovieReading já disponível no celular ou tablet, o usuário poderá acionar legendas, LIBRAS e audiodescrição que serão sincronizadas em tempo real ao filme por meio do reconhecimento de áudio. Para usar o app com o recurso da audiodescrição, é necessário ter fones de ouvido conectados ao aparelho. Como o MovieReading sincroniza os arquivos de acessibilidade ao som do filme em exibição, é preciso ter cuidado para não obstruir a captação do microfone do aparelho. O microfone é o mesmo que transmite a voz para outra pessoa em uma ligação telefônica.

Sinopse

“Os Senhores da Guerra” narra a história verídica dos irmãos Julio e Carlos Bozano, jovens da elite gaúcha no início do século XX, cultos, unidos por profunda amizade, que se enfrentam em lados opostos na guerra civil de 1924, no Rio Grande do Sul.

Julio, chimango e legalista, é prefeito de Santa Maria e recebe a missão de impedir o avanço das tropas do líder da oposição, general Zeca Neto, de quem Carlos, maragato e revolucionário, é secretário particular. Os amores dos guerreiros carregam sonhos e esperanças em meio ao turbilhão da guerra civil.

O destino coloca o líder comunista Luiz Carlos Prestes entre os irmãos Bozano. No surpreendente desfecho da batalha no Passo da Cruz eles provam que a fraternidade é a mais forte das bandeiras.

Saiba mais no site oficial do filme: www.ossenhoresdaguerra.com.br

Sobre a Iguale Comunicação de Acessibilidade

A Iguale Comunicação de Acessibilidade é a primeira empresa do Brasil criada exclusivamente para pensar e desenvolver soluções assistivas completas em comunicação para pessoas com algum tipo de deficiência. Fundada em 2008, em São Paulo, pelo publicitário, professor universitário e empresário Mauricio Santana, a empresa é precursora do conceito de comunicação de acessibilidade no país. Entre os recursos que a empresa disponibiliza ao mercado estão a audiodescrição, as legendas descritivas (closed caption e open caption), LIBRAS, voice over, acessibilidade web e participação efetiva em muitos projetos com foco em acessibilidade.

Mais informações
Liliana Liberato
Assessora de Imprensa
Iguale Comunicação de Acessibilidade
imprensa@iguale.com.br
(11) 9 7999-2802

Em cartaz no CCSP, espetáculo ‘A Princesa e a Costureira’ terá sessão com recurso de audiodescrição

O roteiro e a produção do recurso acessível é da Iguale. A entrada no dia da sessão com  acessibilidade será gratuita

São Paulo, 16 de agosto de 2016 – O espetáculo infanto-juvenil “A Princesa e a Costureira”, em cartaz no Centro Cultural São Paulo, terá sessão acessível no dia 20 de agosto, com o recurso de audiodescrição produzido pela equipe da Iguale Comunicação de Acessibilidade. Neste dia, a entrada será gratuita, e os ingressos começarão a ser distribuídos duas horas antes do início da apresentação.

Produzida e encenada pelo Teatro da Conspiração de Santo André, a peça “A Princesa e a costureira” traz como trama a princesa Cíntia que está prometida em casamento para o príncipe do reino vizinho, mas que se apaixona pela costureira de seu vestido de noiva. O espetáculo aguça a reflexão sobre as chamadas “diferenças”, que não devem ser traduzidas em “desigualdades”.

Descrição da imagem #pracegover: a imagem retrata uma das cenas do espetáculo, na qual três personagens encenam uma apresentação musical. Da esquerda para a direita um homem, de joelhos, sorri enquanto parece batucar um pandeiro. Ao centro, uma mulher toca uma sanfona, e do seu lado direito, uma outra mulher toca um violão. Todos parecem cantar. Compondo a imgem estão as informações: A Princesa e a Costureira – Centro Cultural São Paulo – Temporada 2016 – Apresentação sábdos e domingos – De 9 de julho a 4 de setembro, às 16h. Rua Vergueiro, 1000, São Paulo. Estação Vergueiro do metrô. Logomarca da prefeitura de São Paulo e do CCSP.

Descrição da imagem #pracegover: a imagem retrata uma das cenas do espetáculo, na qual três personagens encenam uma apresentação musical. Da esquerda para a direita um homem, de joelhos, sorri enquanto parece batucar um pandeiro. Ao centro, uma mulher toca uma sanfona, e do seu lado direito, uma outra mulher toca um violão. Todos parecem cantar. Compondo a imagem estão as informações: A Princesa e a Costureira – Centro Cultural São Paulo – Temporada 2016 – Apresentação sábados e domingos – De 9 de julho a 4 de setembro, às 16h. Rua Vergueiro, 1000, São Paulo. Estação Vergueiro do metrô. Logomarca da prefeitura de São Paulo e do CCSP.

O recurso de audiodescrição, disponível no espetáculo “A Princesa e a costureira”, tem como objetivo facilitar a compreensão do conteúdo não verbal às pessoas com deficiência visual e intelectual, já que por meio dele, elas têm acesso a detalhes da obra como os elementos que compõem o cenário, o figurino, a fisionomia dos personagens e principalmente as ações, tudo por meio do som, das palavras oralizadas.

Como explica Mauricio Santana, diretor da Iguale, para este espetáculo a audiodescrição foi previamente roteirizada e depois revisada por um profissional com deficiência visual. Tudo para garantir a assertividade do material. “A audiodescrição interage de acordo com os espaços oferecidos entre os diálogos dos personagens, respeita o roteiro original, as intenções de pausas, ruídos sonoros e trilhas”, completa.

Ficha técnica do espetáculo
Dramaturgia: Solange Dias a partir da adaptação do livro homônimo de Janaína Leslão
Direção: Antônio Correa Neto
Atores: Erika Coracini, Mariana Sancar e Marcio Ribeiro
Direção musical e Música Original: Elaine Marin
Música “Costura da Vida” gentilmente cedida por Sérgio Pererê
Figurinos, Cenografia e Arte Gráfica: Mauro Martorelli
Iluminação: Cássio Castelan
Assessoria de imprensa: Fernanda Vicente
Fotos: Alexandre Krug
Produção: Erika Coracini
Duração: 60 minutos
Faixa Etária: livre

Agenda

Espetáculo: “A Princesa e a costureira”

Companhia: Teatro da Conspiração de Santo André

Local: CCSP – Centro Cultural São Paulo – Sala Jardel Filho (321 lugares)

Data: 20 de agosto de 2016 às 16h

Recurso acessível de audiodescrição: Iguale Comunicação de Acessibilidade

Sobre a Iguale

A Iguale Comunicação de Acessibilidade é a primeira empresa do Brasil criada exclusivamente para pensar e desenvolver soluções assistivas completas em comunicação para pessoas com algum tipo de deficiência. Fundada em 2008, em São Paulo, pelo publicitário, professor universitário e empresário Mauricio Santana, a empresa é precursora do conceito de comunicação de acessibilidade no país. Entre os recursos que a empresa disponibiliza ao mercado estão a audiodescrição, as legendas descritivas (closed caption e open caption), LIBRAS, voice over, acessibilidade web e participação efetiva em muitos projetos com foco em acessibilidade. A Iguale também é a responsável no Brasil e na América do Sul pelo aplicativo inclusivo MovieReading.

Mais informações

Liliana Liberato

Assessora de Imprensa

Iguale Comunicação de Acessibilidade

imprensa@iguale.com.br

(11) 9 7999-2802

Diretor da Iguale ministra palestra no I Simpósio Audiovisual da Unimep

São Paulo, 9 de agosto de 2016 – A Universidade Metodista de Piracicaba – Unimep realiza nos dias 16 e 17 de agosto o I Simpósio Audiovisual voltado para o seu público interno. Nele, o diretor da Iguale Comunicação de Acessibilidade, Mauricio Santana, ministrará a palestra “Acessibilidade na Comunicação”, na qual explicará os detalhes da produção de LIBRAS, legendas descritivas, audiodescrição e como se dá essa nova comunicação para pessoas com deficiência.

Mauricio Santana já foi técnico do laboratório de comunicação e posteriormente professor da Unimep, onde ministrou disciplinas na área de produção de rádio, TV e cinema para as turmas de Publicidade e Propaganda e Rádio e TV. Para ele, é sempre uma satisfação retornar a um local onde fez bons amigos e construiu parte da sua carreira profissional. Recentemente, Santana foi professor do curso semipresencial de Especialização em Audiodescrição da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).

As inscrições para o Simpósio já estão abertas e vão até o dia 10 de agosto, para os alunos da instituição. A palestra de “Acessibilidade na Comunicação” vai abrir o evento, no dia 16, às 9h30. De acordo com a programação, o Simpósio terá ainda oficinas de fotografia e de maquiagem de horror, e as palestras sobre animação, roteiro e produção de curtas de horror.

Agenda

Palestra Acessibilidade na Comunicação

Palestrante: Mauricio Santana – diretor da Iguale Comunicação de Acessibilidade

Data: 16 de agosto de 2016

Horário: às 9h30

‘Porta dos Fundos – Contrato Vitalício’ estreia nos cinemas com recursos acessíveis no app MovieReading

A produção da audiodescrição, legendas e Libras é da Iguale Comunicação de Acessibilidade, resultado da parceria com a ETC Filmes

São Paulo, Julho de 2016 – Mais um filme nacional estreia nos cinemas de todo o Brasil com os recursos de acessibilidade produzidos pela Iguale e disponibilizados gratuitamente no aplicativo MovieReading. A conquista é fruto da parceria com a primeiro longa-metragem do coletivo de humor liderado pelo ator e roteirista Fábio Porchat, chega às salas de cinema para divertir e também contribuir com a inclusão do público com deficiência às obras audiovisuais.

Como explica Mauricio Santana, diretor da Iguale, ao decidir pela produção dos recursos de audiodescrição, legendas e LIBRAS, os responsáveis pela produção e distribuição do filme ‘Porta dos Fundos – Contrato Vitalício’ contribuem para que a pessoa com deficiência compreenda com mais riqueza de detalhes as situações contidas no filme, muitas vezes imperceptíveis a quem, por exemplo, tem deficiência visual ou auditiva. E esta é uma grande contribuição, já que ao os recursos disponibilizados no MovieReading têm acesso gratuito. “O aplicativo não depende de rede Wi-fi, por isso pode ser acessado em todas as salas de cinema onde o filme for exibido, em todo o Brasil”, acrescenta Santana.

Descrição da imagem ‪#‎pracegover‬: a imagem é uma montagem dos personagens principais do filme “Contrato Vitalício” em diversas situações que ocorrem no longa-metragem. O cenário é um set de filmagem onde há luzes, cenários e câmeras. Os protagonistas Rodrigo e Miguel estão mais à frente. Rodrigo, vivido por Fábio Porchat, usa terno escuro, é alto, magro e loiro. Ele acena com a mão esquerda enquanto segura uma coroa de louros dourada com a direita. Miguel, interpretado por Gregório Duvivier, usa roupas mais despojadas e óculos fundo de garrafa. Ele tem cabelo liso e comprido e barba espessa.  Ao fundo estão: um homem gordo acorrentado; uma loira sentada com um cigarro apagado entre os dedos; um homem calvo, vestido com um avental sangrento e uma chave de boca na mão; um homem de óculos de aros grossos, que segura um celular com as duas mãos; uma loira de cabelos compridos usando roupa de guerreira amazona; um homem forte segurando uma mangueira de onde sai um líquido marrom; um rapaz com trejeitos afeminados e um homem vestido de alienígena, com capacete, óculos escuros, bigode grande e capa.  Logo abaixo dessas imagens estão as informações:  “Porta dos Fundos – Contrato Vitalício”  30 de Junho nos cinemas.  Com acessibilidade através do app MovieReading Brasil: Audiodescrição, LIBRAS e legendas acessíveis. A Iguale Comunicação de Acessibilidade é a representante exclusiva do app MovieReading no Brasil e na América do Sul. Logo e endereço eletrônico: www.moviereadingbrasil.com.br

Descrição da imagem ‪#‎pracegover‬: a imagem é uma montagem dos personagens principais do filme “Contrato Vitalício” em diversas situações que ocorrem no longa-metragem.
O cenário é um set de filmagem onde há luzes, cenários e câmeras. Os protagonistas Rodrigo e Miguel estão mais à frente. Rodrigo, vivido por Fábio Porchat, usa terno escuro, é alto, magro e loiro. Ele acena com a mão esquerda enquanto segura uma coroa de louros dourada com a direita. Miguel, interpretado por Gregório Duvivier, usa roupas mais despojadas e óculos fundo de garrafa. Ele tem cabelo liso e comprido e barba espessa.
Ao fundo estão: um homem gordo acorrentado; uma loira sentada com um cigarro apagado entre os dedos; um homem calvo, vestido com um avental sangrento e uma chave de boca na mão; um homem de óculos de aros grossos, que segura um celular com as duas mãos; uma loira de cabelos compridos usando roupa de guerreira amazona; um homem forte segurando uma mangueira de onde sai um líquido marrom; um rapaz com trejeitos afeminados e um homem vestido de alienígena, com capacete, óculos escuros, bigode grande e capa.
Logo abaixo dessas imagens estão as informações:
“Porta dos Fundos – Contrato Vitalício”
30 de Junho nos cinemas.
Com acessibilidade através do app MovieReading Brasil: Audiodescrição, LIBRAS e legendas acessíveis.
A Iguale Comunicação de Acessibilidade é a representante exclusiva do app MovieReading no Brasil e na América do Sul.
Logo e endereço eletrônico: www.moviereadingbrasil.com.br

Ao baixar o app MovieReading em smatphones e tablets, o usuário pode acionar legendas, LIBRAS e audiodescrição que serão sincronizadas, em tempo real ao filme, através do reconhecimento de áudio. Para usar o app com o recurso da audiodescrição, é necessário ter fones de ouvido conectados ao aparelho. O MovieReading sincroniza os arquivos de acessibilidade com o som do filme em exibição através do reconhecimento do áudio, portanto uma dica é ter cuidado para não obstruir a captação do microfone do celular ou tablet. O microfone é o mesmo que transmite a voz para outra pessoa em uma ligação telefônica.

Sinopse

Miguel (Gregório Duvivier) e Rodrigo (Fábio Porchat) são dois amigos que costumam realizar filmes juntos. Certa ocasião, um de seus filmes ganha um prêmio importante em um festival internacional. Animados com a premiação, os dois saem para comemorar e Rodrigo assina, em um guardanapo de bar, um contrato vitalício que garante que ele estaria em todos os filmes de Miguel dali para frente. No entanto, Miguel desaparece e só retorna dez anos depois. Quando reaparece, ele leva para Rodrigo, agora um ator consagrado, a proposta de um filme insano que pode destruir sua carreira.

Ficha Técnica

Direção: Ian SBF

Roteiro: Fábio Porchat e Gabriel Esteves

Elenco: Gregório Duvivier, Fábio Porchat, Antonio Tabet, João Vicente de Castro, Luis Lobianco, Thati Lopes, Marcos Veras, Júlia Rabello e outras participações.

Duração: 100m

Gênero: comédia

Recursos acessíveis: Iguale Comunicação de Acessibilidade

Sobre a Iguale

A Iguale Comunicação de Acessibilidade é a primeira empresa do Brasil criada exclusivamente para pensar e desenvolver soluções assistivas completas em comunicação para pessoas com algum tipo de deficiência. Fundada em 2008, em São Paulo, pelo publicitário, professor universitário e empresário Mauricio Santana, a empresa é precursora do conceito de comunicação de acessibilidade no país. Entre os recursos que a empresa disponibiliza ao mercado estão a audiodescrição, as legendas descritivas (closed caption e open caption), LIBRAS, voice over, acessibilidade web e participação efetiva em muitos projetos com foco em acessibilidade. A Iguale também é a responsável no Brasil e na América do Sul pelo aplicativo MovieReading.

Mais informações

Liliana Liberato

Assessora de Imprensa

Iguale Comunicação de Acessibilidade

imprensa@iguale.com.br

(11) 9 7999-2802

Festival Varilux de Cinema Francês 2016 terá animação com aplicativo para acessibilidade MovieReading

O filme estará em cartaz em 50 cidades; a Iguale responde pela produção dos recursos de audiodescrição, legendas e LIBRAS e pelo app

8 de junho de 2016 – A animação “Abril e o mundo extraordinário” estará em cartaz no Festival Varilux de Cinema Francês 2016, contendo os recursos de LIBRAS, legendas e audiodescrição, produzidos e disponibilizados pela Iguale Comunicação de Acessibilidade por meio do aplicativo inclusivo MovieReading. O festival acontece de 8 a 22 de junho, concomitantemente em 50 cidades brasileiras, e em todas, o filme poderá ser visto por pessoas com deficiência com o auxílio dos recursos disponíveis no app MovieReading. Esta ação acessível é fruto da parceria entre a Iguale e a ETC Filmes, uma das apoiadoras do estival Varilux de Cinema Francês.

O filme “Abril e o mundo extraordinário”, integrante da nova safra de produção cinematográfica francesa, faz parte da seleção de 15 filmes inéditos que serão exibidos ao longo da mostra. Segundo Christian Boudier, diretor da Bonfilm e curador do festival, a classificação livre foi o que motivou a escolha desta animação para receber os recursos acessíveis. Assim, ao ser disponibilizada no app, permitirá que suas exibições sejam ainda mais democráticas, já que, de fato, poderá ser vista por todos os públicos, com e sem deficiência.

Descrição da imagem #PraCegoVer: a imagem é de uma das cenas do filme “Abril e o mundo extraordinário”. Nela, a jovem Abril levanta com as duas mãos, um pouco acima da sua cabeça, um gato. A impressão é que eles se olham. Ela, um tanto admirada, e o bichano com um sorriso de quem gosta da brincadeira. Abril tem o cabelo curto, liso e preto. A sua pele é clara. Ela veste uma camisa vermelha de manga longa. Já o gato, bicolor, tem pelos pretos na parte superior e parte das patas traseiras, e brancos na parte inferior, como barriga, patas dianteiras e na face.

Descrição da imagem #PraCegoVer: a imagem é de uma das cenas do filme “Abril e o mundo extraordinário”. Nela, a jovem Abril levanta com as duas mãos, um pouco acima da sua cabeça, um gato. A impressão é que eles se olham. Ela, um tanto admirada, e o bichano com um sorriso de quem gosta da brincadeira. Abril tem o cabelo curto, liso e preto. A sua pele é clara. Ela veste uma camisa vermelha de manga longa. Já o gato, bicolor, tem pelos pretos na parte superior e parte das patas traseiras, e brancos na parte inferior, como barriga, patas dianteiras e na face.

Como explica Mauricio Santana, diretor da Iguale Comunicação de Acessibilidade, o download do aplicativo é gratuito para IOS e Android, por isso pode ser usado por todos que tenham um celular ou tablet. O usuário, depois de instalá-lo, precisa apenas baixar o arquivo referente ao recurso que necessita para assistir ao filme em tempo real ao exibido na tela do cinema. Para usar o recurso da audiodescrição é necessário ter fones de ouvido conectados ao aparelho.

Segundo Santana, o MovieReading consegue sincronizar os arquivos de acessibilidade com o som do filme em exibição através do reconhecimento do áudio, portanto uma dica é tomar cuidado para não obstruir a captação do microfone do celular ou tablet. Este microfone é o mesmo que transmite a voz em uma ligação telefônica. O app pode ser experimentado em todas as salas de cinema onde o filme estiver em cartaz. Além da produção dos recursos, a Iguale é a responsável pelo aplicativo MovieReading no Brasil e na América do Sul.

“Estamos orgulhosos de fazer parte deste festival, levando a comunicação de acessibilidade para um público expressivo, em diferentes cidades do país, mas principalmente, ávido por esses recursos, como é o caso das pessoas com deficiência”, ressalta Santana.

Para conferir a programação completa do Festival Varilux de Cinema Francês 2016 e saber em quais cidades e cinemas “Abril e o mundo extraordinário” e os outros filmes estarão em cartaz, acesse: www.variluxcinefrances.com.

Sobre o filme:

Sinopse: 1941. O mundo está radicalmente diferente daquele descrito e conhecido pela História. Napoleão V reina na França, onde, assim como no resto do mundo, há 70 anos os cientistas estão desaparecendo misteriosamente. O universo francês é mergulhado numa era pré-industrial, centrada no uso do carvão, onde não há rádio, televisão, eletricidade, aviação, motor à combustão. É nesse mundo estranho que a jovem, Abril, parte em busca de seus pais, cientistas desaparecidos, em companhia de Darwin, seu gato falante, e de Julius, jovem vigarista das ruas. Esse trio deverá enfrentar os perigos e os mistérios desse mundo extraordinário. Quem sequestrou os cientistas no passado? Que finalidade sinistra há por trás desse desaparecimento?

Diretores: Franck Ekinci e Christian Desmares

Sobre o festival:

Filme premiado em Cannes, longa protagonizado por vencedor de Oscar e produção com os atores mais admirados da França. Esses são alguns dos pontos altos da edição 2016 do Festival Varilux de Cinema Francês. Neste ano, o festival ganhará uma semana a mais de exibição em relação à edição anterior.

Como já é esperado pelo público, o festival exibirá ainda um grande clássico francês. O escolhido deste ano é o filme “Um Homem e uma Mulher”, de Claude Lelouch, em homenagem ao seu 50º aniversário de lançamento. O romance com Anouk Aimée e Jean Trintignant foi o vencedor da Palma de Ouro em 1966 e do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro e roteiro original em 1967.

Para o incentivo à formação de novos públicos, ao todo, 20 cidades receberão as sessões educativas do Festival Varilux. E, como de costume, o evento terá sessões de democratização em espaços alternativos do Rio, São Paulo, Brasília e Belo Horizonte. O Festival Varilux já se consolidou como um dos principais eventos incentivador e difusor da cultura francesa no Brasil.

Sobre a Iguale

A Iguale Comunicação de Acessibilidade é a primeira empresa do Brasil criada exclusivamente para pensar e desenvolver soluções assistivas completas em comunicação para pessoas com algum tipo de deficiência. Fundada em 2008, em São Paulo, pelo publicitário, professor universitário e empresário Mauricio Santana, a empresa é precursora do conceito de comunicação de acessibilidade no país. Entre os recursos que a empresa disponibiliza ao mercado estão a audiodescrição, as legendas descritivas (closed caption e open caption), LIBRAS, voice over, acessibilidade web e participação efetiva em muitos projetos com foco em acessibilidade.

Mais informações:

Liliana Liberato

Assessora de Imprensa

Iguale Comunicação de Acessibilidade

imprensa@iguale.com.br

(11) 9 7999-2802

Filme brasileiro indicado para concorrer ao Oscar 2016 tem recursos acessíveis produzidos pela Iguale

Que horas ela volta? recebeu os recursos inclusivos que garantem melhor compreensão de seu conteúdo ao público com deficiência visual, auditiva e intelectual

29 de fevereiro de 2016 – Indicado para representar o Brasil na categoria de Melhor Filme Estrangeiro do Oscar 2016, “Que horas ela volta?”, dirigido por Anna Muylaert e protagonizado por Regina Casé, não chegou à premiação, que aconteceu neste fim de semana, em Los Angeles, nos Estados Unidos, mas aqui no Brasil já fez história. Além de ter recebido muitos elogios da crítica e do público, ganhou na pós-produção os recursos acessíveis de LIBRAS, Audiodescrição (AD) e legendas Closed Caption (CC), todos produzidos pela Iguale Comunicação de Acessibilidade. Feito que garante o acesso da pessoa com deficiência visual, auditiva e intelectual ao seu conteúdo.

Vencedor do prêmio de melhor filme do júri popular do Festival de Berlim, e melhor interpretação para Regina Casé e Camila Márdila no Festival Sundance, “Que horas ela volta?” se destacou devido à crítica à sociedade contemporânea brasileira. E é esta obra audiovisual, que mistura drama e comédia, e discute um Brasil dividido, que também inclui o público com deficiência visual, auditiva e intelectual, ao receber os recursos acessíveis.

Segundo Mauricio Santana, diretor da Iguale, foi uma satisfação produzir os recursos de LIBRAS, AD e CC, para o “Que horas ela volta?”, especialmente pelo tema que retrata e o modo como o aborda. E mais, por unir esta temática à Comunicação de Acessibilidade. “É sensível a preocupação e o respeito dos seus idealizadores para com o público com deficiência, ao incluírem LIBRAS, AD e legendas”, comenta Santana.

Na foto, Regina Casé, que no filme interpreta a empregada doméstica Val, está sentada em uma cama e em seu colo está Fabinho, filho do casal para o qual trabalha. O jovem está deitado de lado, com a cabeça apoiada nas coxas da empregada. Ela faz cafuné em seu cabelo. Ele parece gostar do carinho que recebe. Eles parecem conversar. Ela sorri. Eles estão no quarto do jovem.

Na foto, Regina Casé, que no filme interpreta a empregada doméstica Val, está sentada em uma cama com Fabinho, filho do casal para o qual trabalha. O jovem está deitado de lado, com a cabeça apoiada nas coxas da empregada. Eles estão no quarto do jovem. Val faz cafuné no cabelo dele, que de olhos fechados e com um singelo sorriso, parece gostar do carinho que recebe. Ela também sorri.

Com a janela de LIBRAS, a pessoa com deficiência auditiva, não usuária da Língua Portuguesa, consegue compreender as falas dos personagens e o contexto sonoro por meio da tradução feita pelo intérprete de LIBRAS. Com a AD, as pessoas com deficiência visual tem acesso a detalhes da obra, como as ações, os elementos que compõem o cenário, o figurino e a fisionomia dos personagens, através do som, das palavras oralizadas. Na Iguale a AD é previamente roteirizada e revisada por um profissional com deficiência visual.

Já as legendas Closed Caption oferecem as indicações do áudio original do filme (diálogos, ruídos, trilhas), e permitem de forma opcional, autonomia e compreensão do produto audiovisual às pessoas com deficiência auditiva e até mesmo aos demais públicos, estes que são chamados de “surdos temporários”. Ou seja, os frequentadores de restaurantes, bares, academias e outros locais públicos, onde há uma televisão ligada, porém sem volume devido ao grande ruído ambiente.

Sinopse do filme

Depois de deixar a filha no interior de Pernambuco e passar 13 anos como babá do menino Fabinho em São Paulo, Val tem estabilidade financeira, mas convive com a culpa por não ter criado sua filha Jéssica. Às vésperas do vestibular do menino, ela recebe um telefonema da filha que parece ser sua segunda chance. Jéssica quer apoio da mãe para ir morar com a mesma em São Paulo onde também pretende prestar o vestibular. Com alegria e ao mesmo tempo apreensão, Val prepara a tão sonhada vinda da filha, apoiada por seus patrões. Mas quando Jéssica chega, a convivência é difícil. A jovem não age dentro do protocolo esperado para ela, o que gera tensão dentro da casa. Todos serão atingidos pela autenticidade de sua personalidade. No meio deles, dividida entre a sala e a cozinha, Val terá que achar um novo modo de vida.

Ficha técnica:

Direção: Anna Muylaert

Elenco: Antonio Abujamra, Camila Márdila, Helena Albergaria, Karine Teles, Lourenço Mutarelli, Luis Miranda, Michel Joelsas, Regina Casé, Theo Werneck

Nome Original: Que Horas ela Volta?

Ano: 2015

Duração: 114 min

País: Brasil

Classificação: 14 anos

Gênero: Drama

Recursos acessíveis (AD, CC e LIBRAS): Iguale Comunicação de Acessibilidade