Arquivo da tag: evento acessível

Iguale faz audiodescrição para os espetáculos Macbeth e Medida por Medida em cartaz no Sesc Vila Mariana

Dezembro de 2015 – Os espetáculos Macbeth e Medida por Medida, ambos do repertório do dramaturgo inglês William Shakespeare, em cartaz no Sesc da Vila Mariana, em São Paulo, terão ao longo desta semana o recurso inclusivo de audiodescrição produzido pela Iguale Comunicação de Acessibilidade. As sessões de teatro acessível fazem parte da Semana Inclusiva do Sesc São Paulo – evento integrante da Virada Inclusiva promovida pela Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Estado de São Paulo (SEDPcD).

O espetáculo Macbeth estará em cartaz nesta quinta-feira, dia 3, e sábado, dia 5. Já a peça Medida por Medida pode se vista amanhã e domingo. Essas sessões terão início às 21h, contendo a audiodescrição.

Também no Sesc Vila Mariana haverá no sábado audiodescrição para os filmes Ramatha e Emporadas, exibidos na Mostra Cinema Negro Brasil/África: Itinerância Centro Afrocarioca de Cinema Zózimo Bulbul. Após a exibição, acontecerá um debate com as cineastas Renata Martins e Joyce Prado. Este bate-papo terá audiodescrição ao vivo da Iguale.

De formato sonoro, a audiodescrição descreve por intermédio de um profissional denominado audiodescritor, todas as informações visuais de uma obra audiovisual, um impresso, uma fotografia ou outras manifestações culturais e comunicacionais; transformando texto em som, detalhando conteúdos, expressões e gestos, além de cenário, figurino e outros acontecimentos de uma cena, por exemplo.

Sobre os espetáculos

Macbeth - Macbeth, um general corajoso, ao voltar triunfante da guerra, encontra três mulheres misteriosas, feiticeiras, que lhe fazem a seguinte profecia: Macbeth será, em um futuro próximo, rei da Escócia. A ambiciosa Lady Macbeth, esposa de Macbeth, ao ficar sabendo da profecia, instiga seu marido a matar Duncan, o atual rei.

Macbeth, uma tragédia, traz um cenário de guerra permeado por pensamentos relacionados à origem do mal e da ambição que podem levar o homem a matar. Mas surgem algumas reflexões, como, de onde vem o mal? Onde se encontra o germe de uma ambição tão desenfreada que nos levar a matar?

Ficha técnica

Elenco: Thiago Lacerda, Giulia Gam, Marco Antônio Pâmio, Luisa Thiré e outros.

Direção: Ron Daniels

Media por Medida – Alarmado com a imoralidade e a corrupção que tomaram conta de sua cidade, o Duque resolve reintroduzir uma antiga lei que pune todo e qualquer abuso sexual com a morte. Contudo, ele deixa que a lei seja implementada por seu vice, Ângelo, a quem transfere o poder por um período, enquanto ele se disfarça de frei para observar tudo à distância.

Em Medida Por Medida, no caos da paz, o mundo se transformou em um bordel. Este é um mundo povoado por homens de grande poder e também por padres e freiras, prostitutas e cafetões, bêbados e arruaceiros, gente alegre e simples que leva a vida nas ruas, nos conventos, nos bordéis e nas prisões da cidade.

Ficha técnica

Elenco: Marco Antônio Pâmio, Luisa Thiré, Thiago Lacerda, Giulia Gam e outros.

Direção: Ron Daniel

Programação com audiodescrição Iguale

Dia 3 de dezembro (quinta-feira)

21h – Sesc Vila Mariana – Espetáculo Macbeth

Dia 4 de dezembro (sexta-feira)

21h – Sesc Vila Mariana – Espetáculo Medida por Medida

Dia 5 de dezembro (sábado)

21h – Sesc Vila Mariana – Espetáculo Macbeth

Dia 6 de dezembro (domingo)

21h – Sesc Vila Mariana – Espetáculo Medida por Medida

Audiodescrição e textura tátil compõem exposição fotográfica acessível promovida pela Associação Morungaba

A Iguale Comunicação de Acessibilidade é a empresa responsável pelo desenvolvimento do recurso acessível de audiodescrição das fotografias

São Paulo, 7 de outubro de 2013 – Até dia 20 de outubro, a Associação Morungaba – entidade sem fins lucrativos que tem o objetivo de promover a inclusão social por meio da arte, dança e projetos de convivência, na capital paulista –, promove no Memorial da Inclusão, localizado na sede da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo, a Exposição Espiralando. Trata-se de uma exposição fotográfica acessível e itinerante que marca o início das comemorações dos 25 anos de fundação da Ong.

 Como explica a presidente da Associação Morungaba, Renata Macedo Soares, a Espiralando é composta por fotografias, de autoria de Ana Alcantara e de Ewandro Consolmagno, que retratam projetos desenvolvidos pela Morungaba em 2012 e início de 2013. A exposição foi concebida para ser acessível, por isso contou com o apoio da Iguale Comunicação de Acessibilidade no desenvolvimento da audiodescrição (tradução audiovisual intersemiótica do visual para o verbal), e da Efeito Visual Estúdio Serigráfico, com textura tátil das fotografias.

 Distribuídas em 12 bases, as imagens traçam um panorama das ações de inclusão social e convivência na diversidade, revelando o encantamento, a alegria e confiança dos beneficiados pelos projetos. Segundo Renata, todas as imagens possuem recursos de acessibilidade – audiodescrição e impressão tátil em resina transparente e resina acrílica –, além de uma nota proêmia (na qual uma pessoa envolvida na fotografia a descreve, permitindo uma percepção mais completa). Dessa forma, o evento procura garantir o acesso de todos os públicos aos seus conteúdos, especialmente a pessoa com deficiência visual.

 Para Rosilene Araújo, proprietária da Efeito Visual, a exposição foi uma oportunidade de desenvolver um trabalho inédito em parceria com a Iguale. A impressão de texturas em relevo sobre imagens é uma técnica inovadora que funciona como um mapa tátil, capaz de dar a pessoa com deficiência visual uma localização espacial dos elementos ao tatear a imagem; uma informação complementar a audiodescrição. Já a audiodescrição, segundo Mauricio Santana, diretor da Iguale, permite que pessoa forme a imagem mental do momento fotografado através da descrição verbal de detalhes como as expressões dos personagens, as cores, os lugares e objetos, as ações e outros. Estes recursos também podem ser explorados por pessoa com visão normal ou outro tipo de deficiência visual porque estimulam a atenção.

 “A Exposição Fotográfica Espiralando procura garantir o acesso de todos os públicos aos seus conteúdos, estabelecendo um novo patamar de igualdade baseado na valorização da diversidade. A audiodescrição e a impressão tátil em resina transparente foram importantes recursos utilizados. Especificamente sobre o trabalho da Iguale, posso dizer que vem contribuindo de forma significativa para a acessibilidade em São Paulo”, salienta Renata. Como a exposição é itinerante, depois do dia 20 de outubro será exposta em outros locais públicos na cidade de São Paulo, até novembro de 2014, sempre com entrada franca.

 Agenda:

Espiralando – Exposição Fotográfica Itinerante

Realização: Associação Morungaba e Memorial da Inclusão e Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência

Coordenação: Renata Macedo Soares

Consultoria de Acessibilidade: Paulo Romeu Filho e Amanda Tojal – Arte Inclusão

Apoio: Iguale Comunicação de Acessibilidade, Efeito Visual Estúdio de Serigrafia, Universidade de Brasília, Finep, Suzana Massini (Projeto Gráfico) e Ozé Temaki

Fotógrafos: Ana Alcantara e Ewandro Consolmagno

Recursos de acessibilidade: Alfonso Ballestero (resina acrílica), Mauricio Santana – Iguale Comunicação de Acessibilidade (audiodescrição) e Rosilene Araújo – Efeito Visual Estúdio de Serigrafia (impressão tátil em resina transparente).

Data: até 20 de outubro de 2013.

Local: Memorial da Inclusão, na sede da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo (ao lado do Memorial da América Latina)

Endereço: Avenida Auro Soares de Moura Andrade, 564 – Portão 10, Barra Funda, São Paulo.

Descrição de fotos e imagens permite que pessoas com deficiência visual compreendam a cena retratada

Um dos trabalhos realizados pela Iguale Comunicação de Acessibilidade é a elaboração de descrições para fotografias e imagens, como as desenvolvidas para algumas das cenas dos filmes Colegas e Intocáveis, exibidos ao longo da programação da Semana Senac de Inclusão e Diversidade do Senac Consolação, em São Paulo. Com a descrição, a pessoa com deficiência visual consegue compreender o que há retratado na imagem em questão, contextualizando-se. Abaixo seguem alguns exemplos:

Colegas: 

Descrição da cena

Três jovens, personagens principais, estão fantasiados e andando num carro conversível vermelho por uma estrada deserta e arborizada. Na frente, dirigindo e com um largo sorriso no rosto, Stalone (Ariel Goldenberg). Ao seu lado, Aninha (Rita Pokk), sorrindo com o braços levantados para o alto. Sentado no encosto do banco traseiro, com os olhos fechados e braços abertos em crucifixo, está Márcio (Breno Viola).

Intocáveis:

Descrição da cena do filme Intocáveis: Um homem cadeirante e seu cuidador, personagens principais do filme, se divertem em meio a uma grande área coberta por neve, com árvores desfolhadas ao fundo, iluminadas pelo sol alaranjado. Eles estão sorrindo, bem agasalhados em meio a flocos de neve espalhados no ar.

Um homem cadeirante e seu cuidador, personagens principais do filme, se divertem em meio a uma grande área coberta por neve, com árvores desfolhadas ao fundo, iluminadas pelo sol alaranjado. Eles estão sorrindo, bem agasalhados em meio a flocos de neve espalhados no ar.

Iguale faz audiodescrição para o curta ‘A valsa do pódio’

 

O documentário, com recurso acessível para pessoas com deficiência visual, retrata a história da paratleta olímpica Terezinha Guilhermina e seu guia, Guilherme Santana 

São Paulo, 9 de agosto de 2013 – A Iguale Comunicação de Acessibilidade fez a audiodescrição do documentário ‘A valsa do pódio’ produzido pelos diretores Bruno Carneiro e Daniel Hanai, por intermédio do projeto Memória do Esporte Olímpico Brasileiro, realizado pelo Instituto de Políticas Relacionais, com o apoio da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura e da Cinemateca Brasileira.

O curta, que será lançado oficialmente na próxima terça-feira, dia 13 de agosto, em solenidade na Cinemateca Brasileira, em São Paulo, junto a outros documentários contemplados no projeto, retrata a história da paratleta Terezinha Guilhermina que conquistou, ao lado de seu guia Guilherme Santana, duas medalhas de ouro nas provas de 100m e 200m rasos para cegos (T11), na última edição dos Jogos Paralímpicos de Londres, em 2012.

Como explicam os diretores, o documentário não conta a história de uma atleta com deficiência visual, mas sim de uma parceria de sucesso feita por pessoas com vitalidade e alegria, que sentem prazer no que fazem. “Devido a deficiência visual, a história de vida de Terezinha Guilhermina poderia caber em um roteiro de documentário no estilo mais dramalhão. Mas desde o princípio dissemos: não vamos fazer um documentário de autoajuda. Nada disso. Vamos fazer algo pra cima e por sorte, tanto Terezinha quanto Guilherme são muito pra cima. O cerne do nosso trabalho é mostrar que os dois trabalham muito bem juntos”, completa Hanai.

Bruno Carneiro reitera, ainda, que o documentário é sobre uma parceria entre dois atletas em um esporte teoricamente individual, que devido a uma forte sintonia tornam a corrida um esporte de equipe, já que a atleta precisa do guia para executar a prova, o que se dá de forma harmoniosa. “A simbiose entre os dois é perfeita, tanto dentro da pista quanto fora”, ressalta.

Questionados sobre o nome do documentário, os diretores explicam que ‘A Valsa do Pódio’ poderia ter sido originado dos movimentos ritmados que, se cuidadosamente observados, fazem parte da corrida para cegos. Mas não foi desta comparação que surgiu o nome do curta. A inspiração, segundo Hanai veio da cerimônia de premiação dos 100m em que Guilherme levou Terezinha ao lugar mais alto do pódio como se estivessem valsando.

Sobre o cuidado de incluir a audiodescrição na produção do curta, os diretores contam que foi uma iniciativa que partiu da própria equipe ainda durante as gravações. Como relata Hanai, na captação das imagens, os comentários eram de que estavam ficando legais, curiosas, interessantes, e que devido à deficiência visual, Terezinha Guilhermina não conseguia conferir, como os demais, o resultado das imagens. Com a audiodescrição, a intenção é que ela possa assistir ao documentário com toda a riqueza de detalhes. “Para nós, a audiodescrição é a cereja do bolo. Algo que vem a somar ao nosso trabalho”, conclui o diretor.

Conforme divulgado pelo Memória do Esporte Olímpico Brasileiro, após lançamento no dia 13, ‘A Valsa do Pódio’ e os demais documentários produzidos nesta edição do projeto serão exibidos na ESPN Brasil e em uma Mostra na Cinemateca Brasileira. Na ESPN, a ‘A Valsa do Pódio’ irá ao ar no dia 6 de outubro, às 21h30, podendo também ser visto pela SKY: canal 30; NET: canal 70; Claro: canal 46; Oi TV: canal 112; Vivo: canal 462 e GVT: canal 47.

Sinopse – ‘A Valsa do Pódio’

Em 2012, nos Jogos Paralímpicos de Londres, a atleta brasileira Terezinha Guilhermina confirmou sua posição de corredora com deficiência visual mais rápida do mundo: conquistou, ao lado de seu guia Guilherme Santana, duas medalhas de ouro nas provas de 100m e 200m rasos para cegos (T11). Além disso, protagonizou uma cena emocionante: na prova dos 400m, Guilherme sentiu a perna e caiu; em solidariedade ao guia, Terezinha jogou-se no chão e abandonou a vitória. O documentário vai contar a história dessa grande atleta: suas conquistas, sua relação com o guia, o sonho olímpico e a felicidade de ganhar a medalha, a superação de mais um recorde mundial, e principalmente, como ela se divertiu durantes estes jogos e como curte sua vida.

Ficha técnica

Nome: A valsa do pódio

Gênero: documentário

Duração: 26 minutos

Direção e Roteiro: Bruno Carneiro e Daniel Hanai

Argumento: Daniel Hanai

Produção executiva: Zita Carvalhosa

Direção de Produção: Jorge Guedes

Direção de Fotografia: Mariano Kweller

Animação: Estúdio Nautilus (Daniel Bruson)

Som Direto: Fernando Russo

Edição de Som: Guile Martins

Montagem: Márcio Miranda Perez

Audiodescrição: Iguale Comunicação de Acessibilidade – www.iguale.com.br

Projeto Memória do Esporte Olímpico Brasileiro – www.memoriadoesporte.org.br

Foto divulgação

A imagem diurna mostra a atleta Terezinha Guilhermina e seu guia Guilherme Santana, dançando valsa em uma pista de atletismo.  A pista fica em um pequeno estádio, com arquibancadas em volta. No centro do local há um grande e verdejante gramado, à direita da imagem. Ao fundo há muitos prédios e pode se ver parte do céu carregado de nuvens cinzentas.  A pista de saibro tem uma coloração entre o marrom e o vermelho e é dividida em oito raias. A dupla está na quarta, bem no centro da imagem. Ambos tem a pele morena e usam uniformes do Comitê Paralímpico Brasileiro: calças pretas e blusas amarelas, de mangas compridas. O tênis dela é vermelho enquanto o dele é cinza. Guilhermina usa ainda um brinco redondo e branco e está com a sua venda de lantejoulas  coloridas sobre o topo da cabeça. Ambos sorriem com as mãos dadas à frente de seus corpos, como se dançassem em direção à câmera.

Descrição da foto: A imagem diurna mostra a atleta Terezinha Guilhermina e seu guia Guilherme Santana, dançando valsa em uma pista de atletismo. A pista fica em um pequeno estádio, com arquibancadas em volta. No centro do local há um grande e verdejante gramado, à esquerda da imagem. Ao fundo há muitos prédios e pode se ver parte do céu carregado de nuvens cinzentas. A pista de saibro tem uma coloração entre o marrom e o vermelho e é dividida em oito raias. A dupla está na quarta, bem no centro da imagem. Ambos tem a pele morena e usam uniformes do Comitê Paralímpico Brasileiro: calças pretas e blusas amarelas, de mangas compridas. O tênis dela é vermelho enquanto o dele é cinza. Guilhermina usa ainda um brinco redondo e branco e está com a sua venda de lantejoulas coloridas sobre o topo da cabeça. Ambos sorriem com as mãos dadas à frente de seus corpos, como se dançassem em direção à câmera.

5º Encontro Internacional de Tecnologia e Inovação para as Pessoas com Deficiência

São Paulo, 1º de agosto de 2013 - Desde ontem acontece em São Paulo o 5º Encontro Internacional de Tecnologia e Inovação para as Pessoas com Deficiência, no Centro de Convenções Anhembi. Hoje, o evento contará com a participação do diretor da Iguale, Mauricio Santana, na mesa das 15h30, com o tema “Tecnologia Assistiva nas Telecomunicações, Mídia e Entretenimento”.

Neste momento, Santana e demais convidados falarão sobre os recursos tecnológicos de acessibilidade disponíveis para a comunicação inclusiva na televisão, rádio, cinema e internet; e como são aplicados em peças de teatro, museus, shows, competições esportivas e eventos em geral. Além de explanarem sobre o que determina a legislação brasileira.

Para o diretor da Iguale o encontro é um momento importante para todos os envolvidos com o tema, nas suas mais diferentes vertentes. Ele reúne especialistas e interessados para troca de informações que contribuem para a reflexão e debates acerca dos temas relacionados à acessibilidade.

Especialmente nesta edição, ao falar sobre tecnologia assistiva nas telecomunicações, mídia e entretenimento, a intenção é contribuir com esclarecimentos relacionados à aplicação dos recursos e soluções inovadoras em espaços, públicos ou privados, para garantir o acesso, o direito à informação e à inclusão da pessoa com deficiência.

Para saber mais acesse:  http://5encontro.sedpcd.sp.gov.br/programacao.php

Com AD e LIBRAS, longa do cineasta uruguaio Tournier, pode ser visto no RJ

Ative o vídeo no plug-in ou use este link acessível.

Em cartaz na Caixa Cultural, o filme, com recursos inclusivos para pessoas com deficiência visual e auditiva, é diversão garantida para adultos e crianças

9 de julho de 2013 – Promover a acessibilidade cultural. Este é o objetivo da Caixa Cultural e da Split Filmes ao incluírem a audiodescrição (AD) e a Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS no longa-metragem de animação “Selkirk, o verdadeiro Robinson Crusoé”, do cineasta uruguaio Walter Torunier. O filme, parte integrante da mostra itinerante “Tournier em Movimento: a expressão da animação uruguaia”, estará em cartaz na Caixa Cultural do Rio de Janeiro, de 10 a 14 de julho. De lá, a mostra segue para Brasília.

“Selkirk, o verdadeiro Robinson Crusoé” é o primeiro longa-metragem em stop motion produzido no Uruguai, eleito 2º Melhor Longa Adulto pelo Júri Popular do Anima Mundi 2012. O filme narra a história do pirata Alexsander Selkirk, abandonado em uma ilha deserta em 1700, inspiração de Daniel Dafoe para escrever Robinson Crusoé. O longa, uma coprodução entre Uruguai, Chile e Argentina, foi criado com técnica mista: stop motion para os bonecos e o cenário; 3D para o fundo do mar, o céu e parte da ilha.

Além da audiodescrição e da LIBRAS desenvolvidas pela Iguale Comunicação de Acessibilidade, as sessões são dubladas e legendadas em português, conforme indicado na programação (www.tournieremmovimento.com.br). Catálogos em português e em braile, com textos, sinopses, fichas técnicas e imagens, também estão à disposição do público.

No Rio de Janeiro o ingresso para mostra tem o valor simbólico de R$ 2 por sessão. Exposição, palestras e oficinas, bem como materiais utilizados, são gratuitos. Além das sessões dos filmes, estão em exposição materiais originais das obras em cartaz, como bonecos, maquetes e desenhos conceituais.

Sinopse
Selkirk, o Verdadeiro Robison Crusoé – Selkirk, um pirata rebelde e egoísta, é tripulante do Esperanza, galeão inglês que viaja pelos mares em busca de tesouros. Na falta de navios inimigos, os corsários se divertem apostando em jogos de azar. Em pouco tempo, Selkirk depena a tripulação, ganhando a inimizade de todos, principalmente a do Capitão Bullock, que decide sepultar seus desejos de vingança e sua ambição desmedida e encarar uma nova maneira de enxergar o mundo.

Ficha técnica
Ano de produção: 2012
Duração: 80 min
Direção: Walter Tournier
Coprodução: Tournier Animation La Suma (Uruguai)
Maíz Producciones (Argentina) / Cineanimadores (Chile)
Audiodescrição e LIBRAS: Iguale Comunicação de Acessibilidade

Agenda
Rio de Janeiro de 10 a 14 de julho de 2013
CAIXA Cultural – Avenida Almirante Barroso, 25.

Brasília de 17 a 21 de julho
CAIXA Cultural – SBS- Quadra 4 – Bloco A Lote 3/4 Asa Sul – Brasília – DF

Site da mostra: www.tournieremmovimento.com.br

Convite em LIBRAS para cinema acessível em São Paulo

São Paulo, 3 de julho de 2013 – Começa hoje em São Paulo a Mostra Itinerante “Tournier em Movimento: a expressão da animação uruguaia” e você é o nosso convidado. O evento terá audiodescrição e LIBRAS feitos pela equipe da Iguale, no longa-metragem “Selkirk, o verdadeiro Robinson Crusoé”.

E mais, haverá sessões dubladas e legendadas em português. Catálogos feitos em português e em braile, com textos, sinopses, fichas técnicas e imagens, também estarão à disposição do público. 

Quer saber mais? Confira o vídeo-convite, programe-se e prestigie!

Clique aqui e assista – Convite em LIBRAS

Em cartaz no CCSP, espetáculo ‘Quem tem medo do escuro?’ terá audiodescrição no dia 28 de junho

O recurso de acessibilidade comunicacional da audiodescrição é uma técnica de narração que traduz, do visual para o verbal, detalhes das cenas de uma obra audiovisual

São Paulo, 20 de junho de 2013 – Quem tem medo do escuro? Esta pergunta é, na verdade, o nome do espetáculo da Caravana Companhia de Teatro em cartaz no Centro Cultural São Paulo (CCSP). No dia 28 de junho a audiodescrição permitirá que pessoas com deficiência visual tenham melhor compreensão de detalhes do cenário, figurino e até mesmo das cenas. O roteiro audiodescrito e a audiodescrição são assinados pela Iguale Comunicação de Acessibilidade.

Com entrada gratuita, o espetáculo é um ótimo programa para toda a família, grupos escolares, de instituições, entre outros. O tema principal é o escuro, algo que remete lembranças que fazem com que crianças e adultos se identifiquem com seus próprios medos, ilustra Lizette Toledo de Negreiros, da Divisão de Curadoria e Programação do CCSP. O adulto, às vezes, camufla esse processo, mas a criança não esconde que tem medos, e os exterioriza por meio da fala e até mesmo de gritos. Tema curioso que aguça a imaginação.

Quanto à audiodescrição, Lizette explica que o recurso faz parte do programa de acessibilidade do CCSP, denominado Livre Acesso, que tem por objetivo programar espetáculos que possam ser acessíveis às pessoas com algum tipo de deficiência. “É importante que possam estar integradas à programação cultural, sem exclusão. Que possam usufruir conjuntamente às demais pessoas presentes à plateia, a diversidade da programação. A audiodescrição é uma das mais importantes conquistas para assegurar a inclusão sociocultural aos cidadãos com deficiência visual, logo o CCSP tem como meta sistematizar programações com esse recurso para oferecer ao público”, completa.

Eduardo Leite, produtor executivo do espetáculo, conta que este é o primeiro trabalho do grupo com a audiodescrição, e acha que exemplos como este deveriam ser ampliados cada vez mais, por espaços culturais e até mesmo pelas companhias de teatro. “É fundamental que pensemos na acessibilidade da pessoa com deficiência visual às produções teatrais. Acredito que a audiodescrição pode ser um elemento a mais a ser incluído, por exemplo, em projetos que se beneficiam de leis de incentivo à cultura”, argumenta. Eduardo também acredita que com a inclusão do recurso audiodescrito, haverá mais divulgação dos espaços e espetáculos que o oferecem e, com isso, a sociedade sairá ganhando.

Sinopse:
Imagine o que pode acontecer quanto três crianças se preparam para dormir num quarto escuro. O que teria dentro do guarda-roupa? Por que a bruxa, o fantasma, e o monstro aparecem na silhueta dos móveis na imaginação da criança? Quem tem medo do escuro? Trata de maneira lúdica e criativa do enfrentamento dos medos desses pequenos na vida.

Ficha técnica:
Nome do espetáculo: Quem tem medo do Escuro?
Autor: Márcio Araújo e Fernanda Morais (a partir de uma ideia original de Evandro Rigonatti)
Direção e Cenografia: Evandro Rigonatti
Música original, letras e piano: Tato Fischer
Bonecos: Jésus Sêda
Coreografia: Elizabeth Pelegrini
Figurino e adereços: João Guerreyro
Elenco: Fabiana Carlucci, Hugo Picchi e Elber Marques
Grupo teatral: Caravana Companhia de Teatro
Produção: Palipalan Arte e Cultura
Audiodescrição: Iguale Comunicação de Acessibilidade
Duração: 50 minutos
Idade: a partir de quatro anos

Agenda:
Dia 28 de Junho de 2013 (apresentação com audiodescrição)
Horário: 14h30
Ingresso: Livre
Local: Sala Jardel Filho – 300 lugares
Agendamento: Divisão de Ação Educativa (fone: 3397-4036, das 10h às 17h) ou através do email: iguale@iguale.com.br
Onde: Centro Cultural São Paulo
Endereço: Rua Vergueiro 1.000 – próximo ao Metrô Vergueiro
Fones: 3397-4001 / 3397-4002 – Central de Informações

Mais informações:
Liliana Liberato
Assessora de Imprensa
(11) 9 7999-2802
imprensa@iguale.com.br

2º Encontro Nacional de Audiodescrição em Juiz de Fora

 

 

Maurício Santana e Leo Rossi estão desde quinta-feira, 13 de Dezembro, representando a Iguale no 2º Encontro Nacional de Audiodescrição que acontece até o próximo dia 15,  na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).

O evento é promovido pela Coordenação de Acessibilidade Educacional, Física e Informacional (Caefi) e conta com palestras e oficinas. No mesmo período também será realizado o 3º Encontro de Acessibilidade.

Os temas discutidos no evento serão: A Implementação da Audiodescrição nos Diversos Segmentos, Profissionalização do Audiodescritor e o Mercado de Trabalho, além de oficinas sobre a audiodescrição no cinema, no teatro e na TV.

Hoje,  dia 14 de Dezembro às 14h Leo Rossi ministrará a Oficina AUDIODESCRIÇÃO NA TV em conjunto com Klístenes Bastos Braga (Fortaleza).

Ainda hoje das 15h30 às 17h Maurício Santana coordenará a mesa: COMPETÊNCIAS PROFISSIONAIS DO AUDIODESCRITOR. E no sábado das 09h00 – 10h30 fará uma palestra na MESA REDONDA: IMPLEMENTAÇÃO DA AUDIODESCRIÇÃO NOS DIVERSOS SEGMENTOS – FOCO NO PRODUTOR DE AUDIODESCRIÇÃO.

 

Confira a programação completa no link: http://www.gime.ufjf.br/gime/programacao-do-2o-encontro-nacional-de-audiodescricao-e-divulgada

 

CONFIRA AQUI A PARTICIPAÇÃO DA IGUALE NA 3a Virada Inclusiva 2012.


 

 

Olá a todos!!!

Temos o prazer em  convidá-los para conferir  as atividades culturais do próximo dia 2 de dezembro que integram a programação da 3a Virada Inclusiva e as quais a Iguale está produzindo a acessibilidade com audiodescrição e Open Caption.

 

E tem para todo mundo, na capital e no interior!

Vamos lá então, anotem na agenda!

 

SÃO PAULO

2 de Dezembro.

CINESESC.

11H –

PEIXONAUTA- Agente Secreto da O.S.T.R.A.

(Com Audiodescrição e Open Caption.)

Direção: Celia Catunda, Kiko Mistrorido. Brasil, 2012, 95 min. Animação). O mais simpático peixinho do Brasil, Peixonauta, está pronto para mais uma aventura e se tornar agente especial da O.S.T.R.A. Para conquistar a insígnia, terá que cumprir sete complicadas missões, sempre com a ajuda de seus amigos Marina e Zico. Grátis. (retirada de ingressos 1 hora antes).                  Mais detalhes em:

http://www.sescsp.org.br/sesc/programa_new/mostra_detalhe.cfm?programacao_id=235187

 

ITAU CULTURAL

20H –

DEVIR COISAS – (espetáculo de dança com COLETIVO MR)

Concepção de Luiz Ferron. Com Hélio Feitosa, Jaqueline Souza, Luis Ferron e Teo Ponciano

Duração: aprox. 50’ [indicado para maiores de 14 anos]

Distribuição de ingressos 30 minutos antes do início do evento. Sala itaú cultural . 247 lugares

Descrição:

COLETIVO MR – Dança, pessoas, corpos e criação

O Coletivo MR – 2008, é uma extensão de aprofundamento e pesquisa em criação do Projeto Mão na Roda – 1999, projeto da Secretária Municipal de Cultura de Diadema, o qual utiliza a linguagem da dança como dispositivo para fissurar pragmatismos acerca de singularidades corporais envolvendo pessoas com e sem deficiência.

DEVIR COISAS – EXPOSIÇÃO 06

A obra é um desdobramento do atual processo de criação, Devir Alma, do Coletivo MR, o qual tem como mote de pesquisa a instabilidade do corpo no tempo.

A partir desta proposta,  Devir Coisas pretende atualizar memórias num presente que se apropria delas no sentido de parir  possibilidades inéditas em sua atualização. Um corpo em Ser e Estar, o corpo TO BE, num profundo estado gerúndio, sendo e estando em acontecimento e poroso para o que pode vir a ser: constante Devir.

Corpos e imagens de repertórios passados são aceitos como forma de materializarem a idéia de uma memória sempre presente.

Nesse sentido Devir Coisas é aceitar um corpo mosaico de sua própria historicidade.

 

 

BAURU

1 e 2 de Dezembro

SESC BAURU

Exposição: OLHOS DE BARROS: A poesia de Manoel.

Manoel de Barros é um poeta que vive, em sua poesia, o hiato entre o homem culto e o homem primitivo que é. Ao mesmo tempo em que bebeu da fonte do erudito, também se entregou a uma força a que muitos resistem: a abstração, capaz de levar uma pessoa a lugares muito além do senso comum. A obra genial de Manoel não nasce da planificação das coisas, mas de uma linguagem própria e inusitada, embolada com as coisas da terra, os musgos, muros de pedra, passarinhos e sapos. A exposição explora o rico universo imagético que Manoel de Barros desvenda em cada poema, cada frase ou palavra, através de instalações artísticas, cenográficas e audiovisuais, oficinas, sessões de histórias e espetáculos inspirados em sua obra. Aprecie a grandiosidade de suas miudezas e experimente ver o mundo com ‘Olhos de Barros’. Hall de Exposições  Grátis.

Mais detalhes em:

http://www.sescsp.org.br/sesc/programa_new/mostra_detalhe.cfm?programacao_id=229331

 

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

2 de Dezembro

SESC –RIO PRETO

15h30-

A BONEQUINHA DE PANO- Espetáculo teatral (infantil)

A bonequinha Pitucha, há muitos anos esquecida no sótão da casa, relembra os momentos marcantes da vida da menina Leninha, sua dona. As brincadeiras de criança, o primeiro beijo, a separação dos pais são alguns dos acontecimentos da vida de Leninha narrados pela bonequinha, que conta ainda para o público o seu próprio (e inusitado) nascimento. No Teatro. Grátis.

Mais detalhes em:

http://www.sescsp.org.br/sesc/programa_new/mostra_detalhe.cfm?programacao_id=235393

 

Não deixem de conferir as informações sobre a programação completa da 3a Virada Inclusiva em: http://viradainclusiva.sedpcd.sp.gov.br/

 

Esperamos todos vocês!!!