Arquivo da tag: cinema com acessibilidade

Programação do CineSesc e Itaú Cultural, em São Paulo, será contemplada com o recurso acessível da audiodescrição

A responsabilidade do roteiro e das descrições dos detalhes de cada uma das cenas dos filmes e das demais atrações é da Iguale

11 de dezembro de 2015 – Neste sábado, dia 12, e domingo, dia 19, a Iguale Comunicação de Acessibilidade produzirá o recurso de audiodescrição (AD) para os filmes Amigos e Permanência, em cartaz no CineSesc, em São Paulo. Também este fim de semana, os profissionais da Iguale farão AD para quase toda a programação do || Entre|| Arte e Acesso, ciclo sobre acessibilidade nos campos da arte e da cultura, promovido pelo Itaú Cultural e o British Council, também na capital paulista.

Os filmes Amigos e Permanência serão exibidos com AD durante a programação da Retrospectiva do Cinema Brasileiro 2015. Trata-se de uma seleção de 54 filmes brasileiros lançados entre novembro de 2014 e outubro de 2015, com curadoria de Flávia Guerra, Sérgio Alpendre, Paulo Santos Lima e da Equipe do CineSesc. O filme Amigos estará em cartaz no dia 12, às 17h. Permanência será exibido dia 19, também às 17h.

Já o || Entre|| Arte e Acesso ocorre até domingo, dia 13, no próprio Itaú Cultural. Fazem parte das atividades: palestras, debates, espetáculos e oficina, com interpretação na Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) e AD, sendo que a produção deste recurso ficará por conta da Iguale. Confira a programação e saiba como participar acessando: www.itaucultural.org.br.

Segundo Mauricio Santana, diretor da Iguale, a audiodescrição descreve por intermédio de um profissional denominado audiodescritor, todas as informações visuais de uma obra audiovisual, um impresso, uma fotografia ou outras manifestações culturais e comunicacionais; transformando em som, o texto, detalhes dos conteúdos visuais, expressões e gestos, além de cenário, figurino e outros acontecimentos de uma cena, por exemplo.

Semana Inclusiva: Iguale faz legendas Open Caption para filme ‘Pelo Malo’ em cartaz no Sesc Santo Amaro

Dezembro de 2015 – O filme Pelo Malo, em cartaz nesta quarta-feira, dia 2 de dezembro, no Sesc Santo Amaro, em São Paulo, será exibido com legendas Open Caption produzidas pela Iguale Comunicação de Acessibilidade. A sessão de cinema acessível faz parte da Semana Inclusiva do Sesc São Paulo – evento integrante da Virada Inclusiva promovida pela Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Estado de São Paulo (SEDPcD).

 Semana Inclusiva

A Semana Inclusiva, que acontece de 1 a 6 de dezembro, reúne uma série de atividades que incentivam o protagonismo das pessoas com deficiência, criando condições para sua inclusão em todos os aspectos – cultural, esportivo, educativo e cidadão. O evento contará com oficinas, espetáculos, atividades esportivas, palestras e vivências, dentre outras atividades, para participação conjunta de pessoas com e sem deficiência nas unidades do Sesc na capital, no interior e no litoral do Estado de São Paulo.

Sinopse

Junior é um menino de nove anos que tem “cabelo ruim”. Ele quer alisá-lo para sua foto no álbum de formatura para ficar parecido com um cantor famoso. Isso o faz entrar em conflito com a mãe, Marta. Quanto mais Júnior tenta melhorar o visual pelo amor da mãe, mais ela o rejeita. Até que ele é encurralado, cara a cara, com uma decisão dolorosa. Vencedor da Concha de Ouro de Melhor Filme no Festival de San Sebastião (Espanha).

Ficha técnica

Direção: Mariana Rondón

Duração: 95 min

Legenda em Português – Espanha, 2013

Recurso acessível de Open Caption: Iguale Comunicação de Acessibilidade

Agenda:

Filme: Pelo Malo

Local: Teatro Sesc Santo Amaro (1º andar)

Data: 2 de dezembro de 2015 (quarta-feira)

Horário: 19h

Endereço: Rua Amador Bueno, 541-559, Santo Amaro – São Paulo –SP.

 

 

Filme ‘Mulheres no Poder’ estreia com recursos de acessibilidade através ao app MovieReading

O aplicativo, lançado no Brasil pela Iguale, permite a inserção dos recursos de acessibilidade às produções audiovisuais beneficiando pessoas com deficiência intelectual, visual e auditiva

25 de agosto de 2015 – Nesta terça-feira acontece em Brasília a pré-estreia do filme Mulheres no Poder que terá os recursos inclusivos de audiodescrição, legendas e de LIBRAS disponíveis por meio do aplicativo MovieReading.

Segundo os organizadores, pessoas com todos os tipos de deficiência estão convidadas a participar da pré-estreia que acontecerá às 21h em duas salas do shopping Iguatemi Brasília. É fundamental fazer a reserva com antecedência, por isso os interessados devem solicitar o convite pelo e-mail lavoroprod@hotmail.com.

Em parceria com a Lavoro Produções, a Iguale Comunicação de Acessibilidade é a responsável pela produção e aplicação dos recursos de acessibilidade no app MovieReading. Como explica Mauricio Santana, diretor da Iguale, o download do aplicativo é gratuito para IOS e Android. Depois de instalado no celular ou tablet é só o usuário baixar o arquivo referente ao recurso que necessitar para assistir ao filme em tempo real ao exibido na tela do cinema.

Descrição do cartaz (divulgação): foto de pernas femininas vistas de costas em primeiro plano, ao fundo vê-se o prédio do Congresso Nacional.

Descrição do cartaz (divulgação): foto de pernas femininas vistas de costas em primeiro plano, ao fundo vê-se o prédio do Congresso Nacional.

Para usar o app com o recurso da audiodescrição, é necessário ter fones de ouvido conectados ao seu dispositivo mobile. O MovieReading consegue sincronizar os arquivos de acessibilidade com o som do filme em exibição através do reconhecimento do áudio, portanto uma dica é tomar cuidado para não obstruir a captação do microfone de seu celular ou tablet. Este microfone é o mesmo que transmite sua voz para outra pessoa quando está numa ligação telefônica. O app poderá ser experimentado em todas as salas de cinema onde o filme estiver em cartaz. A Iguale é a responsável no Brasil e na América Latina pelo aplicativo MovieReading.

Sobre o Filme

Apostando no riso como uma forma de manifestar indignação, a comédia Mulheres no Poder, longa-metragem escrito e dirigido por Gustavo Acioli, narra uma manobra montada pela senadora Maria Pilar (Dira Paes) e pela ministra Ivone Feitosa (Stella Miranda) para fraudar uma concorrência pública. O lobby das duas políticas começa a enfrentar dificuldades quando as assessoras de ambas as autoridades decidem montar um esquema próprio, alheio às intenções de suas empregadoras.

Maria Pilar é uma jovem e carismática senadora, reverenciada em sua terra natal. Em meio à vida palaciana de Brasília, ela articula seus esquemas com charme e bom humor. Características muito diferentes das que compõem a personalidade da ministra Ivone Feitosa. Mais experiente e habituada com os traquejos da política, Ivone delega muitas responsabilidades à sua assessora. É a partir da tramoia elaborada por Ivone e Pilar para burlar a licitação do projeto “Brasil Brasileira” que os meandros da corrupção começam a ser revelados de maneira divertida.

Elenco

Dira Paes (Senadora Maria Pilar)

Stella Miranda (Ministra Ivone Feitosa)

Milena Contrucci Jamel (Madalena)

Gabrielle Lopez (Laila)

João Velho (George)

Paulo Tiefenthaler (Stefan)

Susana Ribeiro (Virgínia Baby)

Roberto Maia (Alberto Baby)

Participações especiais

Totia Meireles

Rogéria

Chica Xavier

Elisa Lucinda

Graciela Pozzobon

Camilo Bevilacqua

Ficha Técnica

Escrito e Dirigido por Gustavo Acioli

Produção: Lavoro Produções

Produtora: Lara Pozzobon

Produção Executiva: Lara Pozzobon Luiz Alberto Gentile

Direção de Fotografia: Pablo Baião e Pablo Hoffmann

Direção de Arte: Elsa Romero e Júlia Pina

Figurino: João De Freitas Henriques

Maquiagem: Evelyn Barbieri

Montagem: Luiz Guimarães De Castro

Desenho de Som e Mixagem: Ricardo Cutz

Som Direto: Rodrigo Maia

Trilha Sonora: Lucas Marcier e Fabiano Krieger

Direção de Produção: Ciça Bertoche

Produção Brasília: Cor Filmes

Pós-Produção de Imagem: Afinal Filmes

Abertura e Créditos Finais: Bruno Ribeiro

Coprodução: Afinal Filmes e Canal Brasil

Distribuição: Downtown Filmes e Paris Filmes

Patrocínio: Petrobrás, Klabin, Inagro, Barudan e Fundo Setorial do Audiovisual (FSA).

MovieReading (acessibilidade): Iguale Comunicação de Acessibilidade

Descrição do cartaz (divulgação): foto de pernas femininas vistas de costas em primeiro plano, ao fundo vê-se o prédio do Congresso Nacional.

Sesc Santana exibe filme ‘Central do Brasil’ com audiodescrição e open caption

São Paulo, 2 de dezembro de 2013 – O Sesc Santana, em São Paulo, exibe nesta terça-feira, dia 3 de dezembro, às 20h, o filme Central do Brasil, com os recursos inclusivos de audiodescrição (AD) e legendas open caption produzidos pela Iguale Comunicação de Acessibilidade.

A audiodescrição permitirá que pessoas com deficiência visual ou baixa visão compreendam com riqueza de detalhes, informações do filme exclusivamente visuais, traduzidas e narradas ao vivo, para o verbal. Já as legendas open caption, apresentarão as indicações do áudio original do filme (diálogos, ruídos, trilhas, etc), para que a pessoa com deficiência auditiva tenha um melhor entendimento de tudo o que se passa na obra.

Esta sessão com os recursos inclusivos faz parte das atividades do Sesc Santana, dentro da 4ª edição da Virada Inclusiva, promovida pela Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, entre os dias 30 de novembro, 1 e 3 de dezembro, em todo o estado de São Paulo. Para saber mais acesse: viradainclusiva.sedpcd.sp.gov.br.

Sinopse: Dora escreve cartas na Central do Brasil. Josué, um garoto de nove anos, perde a mãe, atropelada. Do encontro dos dois, nasce uma viagem ao interior do Nordeste, em busca do pai que Josué não conheceu.

Elenco: Fernanda Montenegro e Vinicius de Oliveira

Direção: Walter Salles

Agenda:

Filme com audiodescrição e open caption

Local: Sesc Santana – São Paulo

Data: 3 de dezembro de 2013

Horário: 20h

Audiodescrição e legendas open caption: Iguale Comunicação de Acessibilidade

Monólogo de Marco Nanini tem sessões com audiodescrição

A Iguale é a responsável pela produção do recurso de acessibilidade para o espetáculo

São Paulo, 28 de novembro de 2013 – Nos dias 30 de novembro e 1º de dezembro, o espetáculo teatral “A arte e a maneira de abordar seu chefe para pedir aumento”, em cartaz no Sesc Vila Mariana, em São Paulo, terá audiodescrição da Iguale Comunicação de Acessibilidade. Com este recurso, o monólogo interpretado pelo ator Marco Nanini, permitirá que pessoas com deficiência visual compreendam, com riqueza de detalhes, informações exclusivamente visuais, traduzidas, em tempo real, para o verbal.

“A audiodescrição é um recurso que tem como base a tradução audiovisual intersemiótica, ou seja, do visual para o verbal, transformando imagens dinâmicas ou estáticas em descrições sonoras isentas de julgamento de valores e com o máximo de detalhes possíveis, relatando de forma harmônica toda e qualquer informação”, explica Mauricio Santana, diretor da Iguale.

Na peça de teatro, por exemplo, as cenas, o cenário, o figurino, os gestos dos atores, e todo contexto visual, são descritos, intercalando as falas dos atores, sem interferir no entendimento do público. A pessoa com deficiência recebe na entrada do teatro um receptor portátil com fone de ouvido para o qual é transmitida a audiodescrição, assim houve a narração do audiodescritor, sem causar qualquer tipo de incômodo aos demais na plateia.

Estas sessões com o recurso de audiodescrição fazem parte das atividades do Sesc Vila Mariana, dentro da 4ª edição da Virada Inclusiva, promovida pela Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, entre os dias 30 de novembro, 1 e 3 de dezembro, em todo o estado de São Paulo. Para saber mais acesse: viradainclusiva.sedpcd.sp.gov.br.

Segundo a assessoria do Sesc Vila Mariana, os ingressos estão esgotados para toda a temporada. No entanto, ainda há lugares limitados para atendimento a pessoas com deficiência visual, que podem ser adquiridos pessoalmente pela rede INGRESSOSESC, e nas bilheterias do Sesc São Paulo.

Sobre o espetáculo

No monólogo – “A arte e a maneira de abordar seu chefe para pedir aumento” –, um homem apresenta um organograma complexo e irônico sobre as possibilidades de sucesso e fracasso na angustiante missão de pedir um aumento no salário ao chefe.

Direção: Guel Arraes
Texto: Georges Perec
Tradução: José Almino

Nesta imagem o personagem do ator Marco Nanini está sentado em uma cadeira de escritório, olhando para frente. Tem a pele clara, os cabelos brancos e curtos, e aparenta 60 anos. Ele usa terno preto, camisa azul-claro e gravata vinho com bolinhas brancas. Segura um saquinho plástico na mão esquerda, que está apoiada na perna. O braço direito está dobrado para cima e a mão ao lado do corpo na altura da cabeça. Nela segura uma carteira de trabalho, azul com os escritos e o brasão da República em branco. Sua expressão é de desânimo: tem a testa franzida, as sobrancelhas levemente arqueadas, os olhos arregalados e a boca fechada e os lábios cerrados. O fundo é cinza escuro.  Crédito: Cabéra

Nesta imagem o personagem do ator Marco Nanini está sentado em uma cadeira de escritório, olhando para frente. Tem a pele clara, os cabelos brancos e curtos, e aparenta 60 anos. Ele usa terno preto, camisa azul-claro e gravata vinho com bolinhas brancas. Segura um saquinho plástico na mão esquerda, que está apoiada na perna. O braço direito está dobrado para cima e a mão ao lado do corpo na altura da cabeça. Nela segura uma carteira de trabalho, azul com os escritos e o brasão da República em branco. Sua expressão é de desânimo: tem a testa franzida, as sobrancelhas levemente arqueadas, os olhos arregalados e a boca fechada e os lábios cerrados. O fundo é cinza escuro.
Crédito: Cabéra

Agenda:

Espetáculo: A arte e a maneira de abordar seu chefe para pedir aumento

Teatro: Sesc Vila Mariana – Rua Pelotas, 141, Vila Mariana, São Paulo – SP.

Audiodescrição: Iguale Comunicação de Acessibilidade

Não recomendado para menores de 12 anos

Sábado tem reapresentação do filme ‘Os Contos da Noite’ com audiodescrição e legendas Open Caption no CineSesc

São Paulo, 16 de outubro de 2013 – O CineSesc, em São Paulo, promove novamente neste sábado, dia 19, ainda em comemoração ao Dia das Crianças, nova sessão de cinema especial e gratuita para o público infantil. Com audiodescrição e legendas open caption feitos pela Iguale Comunicação de Acessibilidade, o filme “Os Contos da Noite”, em 3D, será novamente exibido para animar o sábado da garotada. A sessão terá início às 13h. Para a retirada do ingresso é preciso chegar ao local com 1 hora de antecedência.

Agenda:

Cinema Acessível – Especial Dia das Crianças

Data: 19 de outubro de 2013, às 13h

Filme: Os Contos da Noite (3D)

Realização: CineSesc

Endereço: Rua Augusta, 2077, São Paulo.

Recursos acessíveis: Iguale Comunicação de Acessibilidade

Sinopse:

Os Contos da Noite (3D)

Todas as noites, uma menina, um menino, e um velho técnico se reúnem em um pequeno cinema. Embora o lugar pareça abandonado, ele é cheio de magia. Os três amigos pesquisam, inventam, desenham e se vestem como diversos personagens e, a cada noite, encenam uma história, uma fantasia. Há bruxas e fadas, reis poderosos, lobisomens, belas e cruéis mulheres, catedrais e cabanas de palha, cidades de ouro e florestas escuras. Eles se sentem vivendo uma noite mágica em que tudo é possível.

Para mais informações acesse aqui!

DVDs e Blu-rays com audiodescrição aproximam crianças com deficiência visual do mundo lúdico dos filmes infantis

Quando produzidos com este recurso inclusivo, permitem que o conteúdo audiovisual seja de fato compreendido pela criança com deficiência visual

São Paulo, 11 de outubro de 2013 – Como é conhecimento, crianças com deficiência visual aprendem a ler com a ajuda do Braile; sistema de leitura com tato para cegos. Mas e no caso dos filmes? Como conseguem compreender com o máximo de detalhes o que se passa em uma história cinematográfica? Essa questão já foi resolvida com a ajuda da audiodescrição (AD), recurso que traduz do visual para o verbal os cenários, as ações, os figurinos, dentre outros elementos que não fazem parte dos diálogos das personagens. O que falta, no entanto, é a sua inserção ainda no processo de confecção dos DVDs e Blu-rays, para que cheguem às lojas já contendo este benefício à disposição da pessoa com deficiência visual.

Para Bianca Chaló, mãe de uma menininha de apenas quatro anos com deficiência visual, encontrar DVDs e Blu-rays com audiodescrição à venda, seja pela Internet, seja em lojas físicas, é algo muito difícil. Moradora de Bauru, Bianca diz que desde que passou a procurar por filmes infantis com audiodescrição encontrou bem poucos. Atualmente possui apenas quatro, sendo três deles da Turma da Mônica. “Antes de conviver com a deficiência visual eu desconhecida a existência deste recurso inclusivo tão importante para a pessoa com deficiência ter acesso ao conteúdo audiovisual de modo mais completo. No entanto, desde que eu soube da existência da audiodescrição, passei a buscar filmes que contenham o recurso e dificilmente encontro, pois são poucos os que saem com ele das distribuidoras”, relata.

Nicole

Segundo Bianca, a quase inexistente inserção do recurso de audiodescrição nos filmes infantis torna o acesso ao conteúdo, tanto por parte da sua filha, quanto do público infantil, de um modo geral, preocupante. “A Nicole adora assistir filmes com o irmão que não tem a deficiência, mas muitas vezes se recusa porque não consegue entender o contexto da obra devido a falta do recurso na maioria deles. Quando o DVD não tem a audiodescrição eu fico do lado, tentando descrever o que se passa, mas isso nem sempre é possível porque tenho que cuidar das tarefas da casa, e quando isso ocorre ela fica triste, se recusa”, conta a mãe.

 Linguagem & palavras

Além da escassez de filmes com AD, Bianca já notou alguns cuidados que devem conter os filmes com o recurso. Um, que considera muito importante, é a contextualização da história antes do início da exibição; uma introdução, para ajudar a criança entender do que trata o enredo do filme. Outro ponto é o cuidado com a linguagem e a escolha das palavras, principalmente para crianças até cinco anos. Segundo Paulo Romeu, responsável pelo Blog da Audiodescrição e militante pela acessibilidade da pessoa com deficiência visual, há diferenças no desenvolvimento da audiodescrição infantil e adulto, começando pela entonação da narração e a elaboração de um roteiro apropriado. “A narração tem de ser mais interpretada, com entonação apropriada ao público infantil. A linguagem precisa ser adequada à faixa etária e o ritmo deve fluir de acordo com o contexto do filme”, explica Paulo Romeu.

Atualmente no mercado nacional existem poucos filmes produzidos para o público infantil já com audiodescrição. Um exemplo dele é o Smurfs, lançado em agosto de 2011, pela Sony Pictures, com roteiro de audiodescrição da Iguale Comunicação de Acessibilidade. Outros também lançados com este recurso, no Brasil, foram: A Turma da Mônica, Muppts, Tá Chovendo Hambúrguer, Hotel Transilvânia, Castelo Ra-tim-bum e Matilda. No entanto, o número de filmes comercializados nos formados DVDs e Blu-rays para a criançada é muito pequeno diante da grande produção de obras cinematográficas lançadas todos os anos, em todo o mundo.

Ainda segundo Paulo Romeu, 90% dos filmes distribuídos no Brasil vêm dos EUA e cerca de 30% deles vêm com audiodescrição, mas não em português, o que os tornam também pouco acessíveis. “O ideal é que venham com a audiodescrição já em Língua Portuguesa”, ressalta. Bianca pretende engrossar a luta das pessoas com deficiência por seus direitos e um dos temas que faz questão de colocar na pauta é o da audiodescrição nos filmes infantis. “Eu acredito que os novos filmes já deveriam sair de fábrica com a audiodescrição. Ao deixarem de incluí-los, acabam excluindo as demais pessoas com deficiência visual de ter acesso ao conteúdo de suas obras, o que é injusto”, opina a mãe da pequena Nicole.

Mais informações:

Liliana Liberato

Assessora de Imprensa

(11) 9 7999-2802

imprensa@iguale.com.br

Dia das crianças: sábado tem cinema com audiodescrição e legendas Open Caption no CineSesc, em São Paulo

São Paulo, 10 de outubro de 2013 – O CineSesc, em São Paulo, promove neste sábado, dia 12, Dia das Crianças, uma sessão de cinema inclusiva e gratuita para o público infantil. Com audiodescrição e legendas open caption feitas pela Iguale Comunicação de Acessibilidade, o filme escolhido para animar o sábado da garotada é o “Os Contos da Noite”, em 3D. A sessão tem início às 11h, e para a retirada do ingresso é preciso chegar ao local 1 hora antes. Quem não puder comparecer no dia 12, pode aproveitar a reapresentação, que também terá os recursos de acessibilidade para pessoas com deficiência visual e auditiva no próximo sábado, dia 19, às 13h.

Agenda:

Cinema Acessível – Especial Dia das Crianças

Data: 12 de outubro de 2013, às 11h

Filme: Os Contos da Noite (3D)

Realização: CineSesc

Endereço: Rua Augusta, 2077, São Paulo.

Acessibilidade: Iguale Comunicação de Acessibilidade

Sinopse:

Os Contos da Noite (3D)

Todas as noites, uma menina, um menino, e um velho técnico se reúnem em um pequeno cinema. Embora o lugar pareça abandonado, ele é cheio de magia. Os três amigos pesquisam, inventam, desenham e se vestem como diversos personagens e, a cada noite, encenam uma história, uma fantasia. Há bruxas e fadas, reis poderosos, lobisomens, belas e cruéis mulheres, catedrais e cabanas de palha, cidades de ouro e florestas escuras. Eles se sentem vivendo uma noite mágica em que tudo é possível.

Para mais informações acesse aqui!

Iguale faz audiodescrição e legendas Open Caption para ‘Mostra Cinema Acessível para Todos’ do 23º Cine Ceará

O festival criou a mostra com recursos acessíveis para permitir maior compreensão do público com deficiência visual e auditiva; o evento ocorreu no início de setembro

 Parte integrante do 23º Festival Ibero-Americano de Cinema, também conhecido como Cine Ceará, a ‘Mostra Cinema Acessível para Todos’, realizada no dia 13 de setembro, no Centro Cultural Caixa, na Praia de Iracema, em Fortaleza, contou com o trabalho de audiodescrição e legendas Open Caption da Iguale Comunicação de Acessibilidade na exibição do filme Meu Pé de Laranja Lima; do diretor Marcos Bernstein, com João Guilherme Ávila, José de Abreu, Caco Ciocler e Emiliano Queiroz.

 Como explica Patrícia Baia, da Corte Secos Filmes e responsável pelo Festival, o evento é composto por algumas sessões chamadas de Mostras Sociais, voltadas para um público específico como O Primeiro Filme A gente Nunca Esquece, para o infantil; Melhor Idade (idosos) e Mostra Acessível Cinema para Todos (pessoas com deficiência auditiva e visual).

 A mostra para a pessoa com deficiência auditiva e visual surgiu há três anos e por reivindicação de um grupo que faz trabalhos voltados a esse público em Fortaleza. Atendendo ao pedido, os recursos acessíveis foram incluídos na programação, mas a ideia é que futuramente todos os filmes do festival tenham legendas open caption e audiodescrição.

 Patrícia conta que o trabalho da Iguale foi indicado como referência em comunicação de acessibilidade, que ficou responsável pela elaboração dos recursos de audiodescrição e legendas Open Caption para o filme Meu Pé de Laranja Lima.

 “Em 2012 fizemos três curtas e este ano escolhemos um longa. O nosso público é composto de estudantes e integrantes de entidades que assistem pessoas com deficiência visual e auditiva. Este ano foram duas (manhã e tarde)”, comenta Patrícia.

 A audiodescrição é um recurso que tem como base a tradução audiovisual intersemiótica, do visual para o verbal, transformando imagens dinâmicas ou estativas em uma descrição sonora, isenta de julgamento de valores e com o máximo de detalhes possíveis, relatando de forma harmônica, toda e qualquer informação visual de cenas de uma obra audiovisual. Já as legendas Open Caption são produzidas em conformidade aos conceitos e padrões do closed caption, como os das TVs. No entanto, são exibidas de forma aberta para o público.

 Clique o link a seguir e assista a um trecho do filme exibido na ‘Mostra Cinema Acessível para Todos’, do Cine Ceará: Meu Pé de Laranja Lima

Projeto 3 clipes 1 Curta fomenta videoclipes de animação e de quebra incentiva a audiodescrição

Três videoclipes inéditos que juntos formam um curta-metragem; o material contempla música, cinema, animação e recurso acessível que permite ao público com deficiência visual conhecer os detalhes

 São Paulo, 19 de setembro de 2013 – Com a intenção de promover e fomentar a arte e a produção de filmes de animação no Brasil, o projeto 3 Clipes 1 Curta, produzido pela Cia de Canalhas, com o apoio da Lei de Incentivo do Ministério da Cultura, além de inovar em sua concepção, traz um grande diferencial no quesito acessibilidade. Concebido com audiodescrição, recurso inclusivo que transforma do visual em verbal, imagens dinâmicas ou estáticas em uma descrição sonora, permite ao público com deficiência visual conferir com riqueza de detalhes a proposta deste trabalho disponível no www.3clipes1curta.com.br.

Cartaz Projeto 3 Clipes 1 Curta

Imagem ilustrativa do cartaz Projeto 3 Clipes 1 Curta. Clique e amplie.

 Como explica a produtora executiva do projeto, Marcia Kohatsu, desde o início o 3 Clipes 1 Curta foi pensado para conter audiodescrição, com a intenção de ser acessível ao maior número de pessoas. Por isso a preocupação de se contatar uma empresa especializada como a Iguale Comunicação de Acessibilidade para executar a roteirização e a inserção da audiodescrição, propriamente. “Teoricamente a arte, e mais especificamente o cinema, está aí para todos, então temos o dever de promover realmente uma arte inclusiva”, justifica Márcia.

 Sobre os videoclipes, a produtora explica que foram pensados para ser assistidos em qualquer ordem (ou em várias delas). A ligação entre as histórias em 3 Clipes 1 Curta fica por conta de elementos comuns aos três roteiros. Segundo Márcia, é como a união de três olhares diferentes sobre o mesmo tema. Ao final, quem é quem nessa trama, o que veio antes, o que veio depois e o porquê de muitas coisas ficam a cargo do espectador interpretar. Desta forma, os três videoclipes inéditos juntos formam um curta-metragem. E mais, cada clipe foi produzido com diferentes técnicas de animação (stopmotion, rotoscopia e 2d tradicional).

 “O roteiro do curta é costurado através das três músicas, de forma que pode ser entendido independentemente da ordem de visualização dos clipes, que também podem ser vistos como

obras isoladas. O 3 Clipes 1 Curta se posiciona na vanguarda artística de uma forma original e criativa, mesclando o cinema ao videoclipe, além de contribuir para o desenvolvimento da animação brasileira, que desponta como grande frente de exportação cultural do país, ganhando cada vez mais reconhecimento internacional. Além de ser único, na história do cinema nacional, o projeto valoriza a cultura, a música brasileira e celebra a diversidade, pois promove o diálogo entre artistas e públicos das mais diversas áreas: da música ao cinema, da animação ao videoclipe, do rock nacional à MPB”, complementa a produtora executiva.

 Sobre o projeto

O projeto 3 Clipes 1 Curta contempla três videoclipes, de três artistas diferentes, produzidos em diferentes técnicas de animação, que juntos formam um curta-metragem. As músicas escolhidas para o projeto foram A Casa é Sua, sucesso recente de Arnaldo Antunes, Pra não Esquecer, parceria de Fernanda Takai e Andy Summers (The Police) e Bola de Meia, Bola de Gude, clássico de Milton Nascimento. A produção é assinada por Márcia Kohatsu e os três clipes têm a direção de Carlon Hardt e Lucas Fernandes.

 Sobre a Iguale

A Iguale Comunicação de Acessibilidade foi a primeira empresa brasileira criada exclusivamente para pensar e desenvolver soluções assistivas completas em comunicação para pessoas com algum tipo de deficiência. Fundada em 2008, em São Paulo, pelo publicitário, professor universitário e empresário Mauricio Santana, a empresa é a precursora do conceito comunicação de acessibilidade no país.

A Iguale foi concebida para oferecer serviços e soluções de acessibilidade em materiais audiovisuais ao mercado brasileiro. É empresa parceira de estúdios, produtoras de áudio e vídeo, emissoras de TV e agências de comunicação e internet, ajudando-os no desenvolvimento e aplicabilidade de recursos inclusivos como audiodescrição (AD), legendas open caption e closed caption, LIBRAS e acessibilidade para web aos seus clientes.

Propondo-se a estudar as técnicas e os meios para tornar acessíveis os materiais audiovisuais às pessoas com algum tipo de deficiência visual ou auditiva, a Iguale conquistou a expertise que lhe atribui o título de especialista em Comunicação de Acessibilidade. Conceito que consiste na criação, utilização ou adaptação dos meios tecnológicos e assistivos para garantir o acesso às pessoas com algum tipo de deficiência ao conteúdo exibido pelos meios de comunicação e de cultura, nas suas mais diferentes manifestações.

 A sua missão é especializar-se de forma contínua nas técnicas que permitam a promoção da acessibilidade, para que as pessoas tenham garantido, com autonomia e inclusão, o direito de acesso à informação, à cultura e ao lazer.

Clique e assista a um trecho do Curta “A Casa é sua” que contempla o projeto 3 Clipes 1 Curta

 Mais informações:

 Liliana Liberato

Assessora de Imprensa

(11) 9 7999-2802

imprensa@iguale.com.br