Arquivo da tag: Audiodescrição no teatro

Espetáculo em cartaz no Sesc Bom Retiro terá sessão com acessibilidade neste domingo

LIBRAS e Audiodescrição serão os recursos produzidos pela Iguale Comunicação de Acessibilidade para esta peça teatral

2 de dezembro de 2016 – O espetáculo “Razão Social”, em cartaz no Sesc Bom Retiro, em São Paulo, terá uma sessão com os recursos acessíveis de LIBRAS e audiodescrição, neste domingo, dia 4 de dezembro, às 18h. Produzidos pela equipe da Iguale Comunicação de Acessibilidade, os recursos permitem que o público com deficiência visual e auditiva acompanhe com mais autonomia a peça teatral, tendo assim uma melhor compreensão da obra como um todo.

O recurso de audiodescrição, disponível no espetáculo, tem como objetivo facilitar o entendimento do conteúdo não verbal às pessoas com deficiência visual e intelectual, já que por meio dele, elas têm acesso a detalhes da obra como os elementos que compõem o cenário, o figurino, a fisionomia dos personagens e principalmente as ações, tudo por meio do som, das palavras oralizadas.

Descrição da imagem #pracegover: flyer de formato retangular e vertical com divulgação do espetáculo acessível “Razão Social”. Sobre fundo preto, o título em branco: “Sesc Bom Retiro e Iguale convidam: “Razão Social” com AD e LIBRAS”. Abaixo, uma foto colorida e horizontal com sete pessoas em um bar ao redor de uma mesa de madeira. Dois homens estão abaixados à frente da mesa, olhando para frente. Uma mulher e outros dois homens estão sentados do outro lado da mesa. Outros dois homens estão nas laterais da mesa, o da esquerda segura um violão e o da direita, um cavaquinho. Ao fundo, prateleiras repletas de garrafas de bebidas. Abaixo da foto, em letras brancas, a sinopse: “No espetáculo “Razão Social” o passado em que grandes sambistas escreveram seus nomes na história da música popular brasileira aparece como pano de fundo para outra discussão:  o golpe militar de 1964. Nesta peça o elenco cantará músicas do Cartola, Noel Rosa, Carlos Cachaça, Nelson Cavaquinho, Zé Ketti, Clementina de Jesus entre outros grandes sambistas da época. Tudo para celebrarmos o centenário do samba e ao mesmo tempo olharmos pra um passado recente do Brasil e suas feridas abertas”. Mais abaixo as informações: “Convites limitados. Interessados enviar e-mail para eventos@iguale.com.br até sexta-feira (2/12) às 17h. Data: 04/12/2016. Horário: 18hrs. Local: Sesc Bom Retiro – Alameda Nothmann, 185”.  Ao final, no canto inferior direito, está o logotipo da Iguale.

Descrição da imagem #pracegover: flyer de formato retangular e vertical com divulgação do espetáculo acessível “Razão Social”. Sobre fundo preto, o título em branco: “Sesc Bom Retiro e Iguale convidam: “Razão Social” com AD e LIBRAS”. Abaixo, uma foto colorida e horizontal com sete pessoas em um bar ao redor de uma mesa de madeira. Dois homens estão abaixados à frente da mesa, olhando para frente. Uma mulher e outros dois homens estão sentados do outro lado da mesa. Outros dois homens estão nas laterais da mesa, o da esquerda segura um violão e o da direita, um cavaquinho. Ao fundo, prateleiras repletas de garrafas de bebidas.
Abaixo da foto, em letras brancas, a sinopse: “No espetáculo “Razão Social” o passado em que grandes sambistas escreveram seus nomes na história da música popular brasileira aparece como pano de fundo para outra discussão: o golpe militar de 1964. Nesta peça o elenco cantará músicas do Cartola, Noel Rosa, Carlos Cachaça, Nelson Cavaquinho, Zé Ketti, Clementina de Jesus entre outros grandes sambistas da época. Tudo para celebrarmos o centenário do samba e ao mesmo tempo olharmos pra um passado recente do Brasil e suas feridas abertas”. Mais abaixo as informações: “Convites limitados. Interessados enviar e-mail para eventos@iguale.com.br até sexta-feira (2/12) às 17h. Data: 04/12/2016. Horário: 18hrs. Local: Sesc Bom Retiro – Alameda Nothmann, 185”.
Ao final, no canto inferior direito, está o logotipo da Iguale.

Já o recurso de LIBRAS – Língua Brasileira de Sinais permite que a pessoa com deficiência auditiva entenda as falas dos atores e demais sons que podem ter ao longo do espetáculo. A LIBRAS é uma língua de modalidade gestual visual, realizada por um tradutor-intérprete, e se aplica muito bem em eventos de diferentes naturezas.

Sinopse da peça

É madrugada do dia 31 de março para o 1 de abril de 1964, o dia do golpe. Sabino (Gero Camilo) um operário e Jucelino (Victor Mendes) um estudante fogem da polícia no centro do Rio de Janeiro e pulam pra dentro do Restaurante Zicartola. Zica (Fabiana Cozza) e Cartola (Adolfo Moura) preparam-se para dormir. Os barulhos: sirenes, os gritos e tiros que acontecem na rua, por vezes cortam o grande salão, trazendo medo e tensão aos moradores do bairro. E principalmente para os dois fugitivos.

No espetáculo “Razão Social” o passado em que grandes sambistas escreveram seus nomes na história da música popular brasileira aparece como pano de fundo para outra discussão:  o golpe militar de 1964. Nesta peça o elenco cantará músicas do Cartola, Noel Rosa, Carlos Cachaça, Nelson Cavaquinho, Zé Ketti, Clementina de Jesus entre outros grandes sambistas da época. Tudo para celebrarmos o centenário do samba e ao mesmo tempo olharmos pra um passado recente do Brasil e suas feridas abertas.

Ficha técnica

Texto e direção: Gero Camilo e Victor Mendes

Elenco:  Adolfo Moura, Fabiana Cozza, Gero Camilo e Victor Mendes

Músicos: Everson Pessoa (violão de 7 cordas), Gerson da banda (percussão) e Nino Miau (cavaco),

Cenotécnico: José Roberto Tomasim

Iluminador: João Blumenschein

Figurinos: Gero Camilo e Victor Mendes

Concepção de luz: João Blumenschein

Concepção de cenário: Gero Camilo e Victor Mendes

Pesquisa, supervisão e execução de cenário: José Roberto Tomasim

Execução do cenário: Bruno Matias (Più Design)

Direção de produção: Flávia Corrêa

Assistente de produção: Ana Sardinha

Produção executiva: Flávia Corrêa

Produção: Cia Tertúlia de Acontecimentos

Recursos de Acessibilidade: Iguale Comunicação de Acessibilidade

AGENDA

Local: Sesc Bom Retiro

Endereço: Alameda Nothmann, 185, Bom Retiro, São Paulo.

Data: 4 de dezembro de 2016 (domingo)

Horário: 18h

Para saber mais acesse:

www.sescsp.org.br/programacao/108460_RAZAO+SOCIAL#/content=saiba-mais

Unidades do Sesc São Paulo terão atividades com audiodescrição da Iguale neste fim de semana

Sesc Vila Mariana, Sesc Santana e o CineSesc, ambos na capital paulista, estarão com filmes e espetáculos em cartaz contendo o recurso acessível de audiodescrição

Dezembro de 2015 – Os espetáculos Macbeth, Medida por Medida e Fantasmas, mais os filmes Rhamata, Shaun Carnêro e Que horas ela volta? poderão ser vistos este fim de semana, com o recurso de audiodescrição produzido pela Iguale, na programação da Semana Inclusiva promovida pelo Sesc São Paulo, nas unidades da Vila Mariana, Santana, e CineSesc. As atividades fazem parte da Virada Inclusiva promovida pela Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Estado de São Paulo (SEDPcD).

Descrição da foto: a metade esquerda da imagem horizontal estão os atores Luisa Thiré, que interpreta Isabela, e Marco Antônio Pâmio, o Duque, na peça "Medida por Medida". Já na metade direita desta mesma imagem estão os atores Thiago Lacerda, que interpreta o personagem Macbeth, e Giulia Gam, a Lady Macbeth, no espetáculo "Macbeth" . Ambos os espetáculos são do repertório de William Shakespeare.

Descrição da foto: na metade esquerda da imagem horizontal estão os atores Luisa Thiré, que interpreta Isabela, e Marco Antônio Pâmio, o Duque, na peça “Medida por Medida”. Já na metade direita desta mesma imagem estão os atores Thiago Lacerda, que interpreta o personagem Macbeth, e Giulia Gam, a Lady Macbeth, no espetáculo “Macbeth” . Ambos os espetáculos são do repertório de William Shakespeare.

A Semana Inclusiva do Sesc São Paulo, que acontece de 1 a 6 de dezembro, reúne uma série de atividades que incentivam o protagonismo das pessoas com deficiência, criando condições para sua inclusão em todos os aspectos – cultural, esportivo, educativo e cidadão. O evento contempla oficinas, espetáculos, atividades esportivas, palestras e vivências, dentre outras atividades, para participação conjunta de pessoas com e sem deficiência nas unidades do Sesc na capital, no interior e no litoral do Estado de São Paulo.

Programação Semana Inclusiva

Dia 4 de dezembro (sexta-feira)

21h - Sesc Vila Mariana – Espetáculo Medida por Medida (audiodescrição)

Dia 5 de dezembro (sábado)

14h às 17h - Sesc Vila Mariana – Mostra Cinema Negro Brasil/África: Itinerância Centro Afrocarioca de Cinema Zózimo Bulbul. Filmes: Ramatha e Emporadas  (audiodescrição)

21h - Sesc Vila Santana – Espetáculo: Fantasmas (audiodescrição)

21h - Sesc Vila Mariana – Espetáculo Macbeth (audiodescrição)

21h - CineSesc – Filme Que Horas ela volta? (audiodescrição)

Dia 6 de dezembro (domingo)

11h - CineSesc – Filme Shaun Carnêro (Infantil – audiodescrição)

21h - Sesc Vila Mariana – Filme Medida por Medida (audiodescrição)

Espetáculo Fantasmas, em cartaz na capital paulista, terá sessões com audiodescrição

A peça, do conceituado dramaturgo norueguês Henrik Johan Ibsen, terá duas sessões com o recurso acessível produzido, ao vivo, pela equipe da Iguale

Novembro de 2015 – Nos dias 28 de novembro e 5 de dezembro, as sessões do espetáculo Fantasmas, em cartaz no Sesc Santana, em São Paulo, terão o recurso acessível de audiodescrição produzido, ao vivo, pela equipe de profissionais da Iguale Comunicação de Acessibilidade. As sessões acontecerão às 21h, em ambos os sábados.

Como explica Maurício Santana, diretor da Iguale, a audiodescrição é um recurso acessível, de formato sonoro, responsável por descrever, por intermédio de um profissional denominado audiodescritor, todas as informações visuais de uma obra audiovisual, um impresso, uma fotografia ou outras manifestações culturais e comunicacionais; transformando texto em som, detalhando conteúdos, expressões e gestos, além de cenário, figurino e outros acontecimentos de uma cena, por exemplo. Por isso, torna-se tão importante e inclusivo para a pessoa com deficiência visual em um espetáculo teatral. Na plateia, de posse de um fone de ouvido, o espectador acompanha as descrições feitas em tempo real pelo audiodescritor-narrador.

Descrição do flyer do espetáculo: a fotografia escura e sombria revela, sob iluminação azulada e pálida, o rosto dos cinco atores do espetáculo “Fantasmas”, de Henrik Ibsen. Eles estão lado a lado, sobre um fundo preto. Todos eles usam roupas pretas. A atriz à esquerda é uma jovem de pele clara e cabelos escuros. Ela tem um olhar assustado. Ao lado dela, um homem de pele e olhos claros e cabelos grisalhos tem expressão segura. No centro da foto, uma mulher de meia-idade, com os longos cabelos desgrenhados, olha pensativa para cima. Ela usa uma blusa com gola rolê. À direita dela, um senhor careca que usa cachecol ergue levemente a sobrancelha. No canto direito da imagem, um homem de cabelo liso e pele clara está bastante sério. Abaixo da fotografia, o título da peça: “Fantasmas” está escrito em letras brancas. A letra T tem o formato de um crucifixo.

Descrição do flyer do espetáculo: a fotografia escura e sombria revela, sob iluminação azulada e pálida, o rosto dos cinco atores do espetáculo “Fantasmas”, de Henrik Ibsen. Eles estão lado a lado, sobre um fundo preto. Todos eles usam roupas pretas. A atriz à esquerda é uma jovem de pele clara e cabelos escuros. Ela tem um olhar assustado. Ao lado dela, um homem de pele e olhos claros e cabelos grisalhos tem expressão segura. No centro da foto, uma mulher de meia-idade, com os longos cabelos desgrenhados, olha pensativa para cima. Ela usa uma blusa com gola rolê. À direita dela, um senhor careca que usa cachecol ergue levemente a sobrancelha. No canto direito da imagem, um homem de cabelo liso e pele clara está bastante sério. Abaixo da fotografia, o título da peça: “Fantasmas” está escrito em letras brancas. A letra T tem o formato de um crucifixo.

Para quem ainda não teve a oportunidade de assistir a uma peça com audiodescrição, na capital paulista, esta é a oportunidade. Além da qualidade do trabalho da Iguale, a peça, apresentada pelo Sesc Santana, é uma das obras do conceituado dramaturgo Henrik Johan Ibsen. A direção, tradução e adaptação são de Roberto Alvim, que também assina cenografia e iluminação. No elenco estão os atores Guilherme Weber, Juliana Galdino, Pascoal da Conceição, Mário Bortolotto e Luísa Micheletti. A trilha sonora original é de LP Daniel.

Os ingressos já estão à venda. A quantidade máxima permitida para compra no balcão das unidades do Sesc e na web é de quatro ingressos por pessoas.

Sinopse
A peça narra a terrível jornada da Sra. Alving e de seu filho Oswald: ela está prestes a inaugurar um asilo para doentes terminais, construído em memória de seu falecido marido, o Capitão Alving, homem rico e respeitável. Escrita por Henrik Ibsen em 1881, é a obra-prima do dramaturgo norueguês, considerada por muitos teóricos como a primeira tragédia moderna da História. Duração: 60min.

Ficha técnica
Espetáculo: Fantasmas
Produção: Gelatina Cultural
Promoção: Rede Globo
Idealização: Club Noir
Realização: Sesc Santana
Texto: Henrik Johan Ibsen
Direção, tradução, adaptação, cenografia e iluminação: Roberto Alvim
Elenco: Guilherme Weber, Juliana Galdino, Pascoal da Conceição, Mário Bortolotto e Luísa Micheletti
Trilha sonora original: LP Daniel.
Recurso acessível: Iguale Comunicação de Acessibilidade

Agenda cultural acessível:
Espetáculo: Fantasmas
Dias das sessões acessíveis: 28 de novembro e 5 de dezembro
Horário: 21h
Local: Sesc Santana
Endereço: Avenida Luiz Dumont Vilares.
Mais informações: (11) 2971-8700 | email@sescsantana.sescsp.org.br
Website: Sescsp.org.br/Santana

‘Chacrinha, o Musical’ terá sessão acessível com os recursos de audiodescrição e LIBRAS produzidos pela Iguale

Em cartaz na capital paulista, a sessão com acessibilidade será dia 4 de julho; Stepan Nercessian e Leo Bahia interpretam o “Velho Guerreiro”

 Junho de 2015 –  Em cartaz no Teatro Alfa, em São Paulo, ‘Chacrinha, o Musical’, terá no dia 4 de julho, às 16h, sessão inclusiva com audiodescrição e LIBRAS, produzidos pela Iguale Comunicação de Acessibilidade. Com estes recursos, o público com deficiência visual e auditiva terá a oportunidade de assistir esse grandioso espetáculo musical, que conta a história de um dos mais importantes comunicadores brasileiros.

 Assim como na sessão inclusiva deste mesmo espetáculo realizada em fevereiro na capital carioca, coube a Iguale Comunicação de Acessibilidade toda a produção dos recursos de acessibilidade, proporcionando inclusão cultural, direito à informação e para muitos, a primeira experiência de assistir a um espetáculo teatral.

Segundo Mauricio Santana, diretor da Iguale, a sessão inclusiva terá ingressos reservados para o público com deficiência visual e auditiva e seus acompanhantes. Por isso, os interessados deve se apressar para não perder a oportunidade. As reservas podem ser feitas pelo e-mail eventos@iguale.com.br ou telefone (11) 2597.5805 (horário comercial) até 2 de julho. Os ingressos são limitados. A sessão inclusiva é uma iniciativa da Cielo, patrocinadora do musical.

Sobre o espetáculo

Maior comunicador do rádio e da TV brasileira, Abelardo Barbosa costumava dizer que “Na televisão nada se cria, tudo se copia”. Paradoxalmente, não teve ninguém até hoje que conseguiu copiar a espontaneidade do Velho Guerreiro.

O espetáculo acompanha a trajetória do apresentador desde sua infância em Surubim, Pernambuco, até o auge da carreira na TV Globo, comandando o programa de auditório Cassino do Chacrinha. Dois atores dão vida ao protagonista: Stepan Nercessian, que interpreta o Chacrinha consagrado no rádio e na TV, enquanto Leo Bahia incorpora ele quando jovem.

A superprodução da Aventura Entretenimento tem texto de Pedro Bial e Rodrigo Nogueira e marca a primeira direção teatral de Andrucha Waddington. O espetáculo reúne ainda Alonso Barros como diretor de movimento e Delia Fischer, que assina direção musical e os arranjos. A trilha sonora reúne mais de 60 sucessos da música nacional. O cenário de Gringo Cardia e o figurino de Claudia Kopke foram indicados aos Prêmios Shell e APTR.

Imagem do convite_Chacrinha o Musical em SP

Agenda

Sessão inclusiva ‘Chacrinha, o Musical’

Local: Teatro Alfa – São Paulo

Data: 4 de julho de 2015

Horário: 16h

Recursos de acessibilidade: Iguale Comunicação de Acessibilidade.

Descrição do convite digital: de formato quadrado e fundo azul escuro, trás do lado esquerdo a foto do ator Stepan Nercessian, mostrado da cintura para cima, caracterizado como o “Velho Guerreiro”. Sorrindo expressivamente, ele tem a mão direita levantada na altura do rosto, com as pontas dos dedos polegar e indicador unidos e os outros três dedos levantados, em um gesto conhecido como “OK”, marca registrada de Chacrinha durante as apresentações do programa de TV.

Ele veste um fraque vermelho que tem uma grande flor amarela de folhas verdes, presa do lado esquerdo do peito. Também usa um colete laranja e uma enorme gravata borboleta verde, tudo confeccionado com lantejoulas e muito brilho. Sobre os cabelos brancos, volumosos e encaracolados, uma cartola vermelha, também de lantejoulas, com plumas amarelas e verdes. Chacrinha usa óculos de grau de armação preta e grossa e tem um microfone de mão pendurado por um suporte na altura do peito, além de uma buzina dourada na altura da barriga, presa por uma corrente, também dourada e comprida, que desce do pescoço.

Do lado direito do convite, em letras brancas sobre o fundo azul, tem as informações sobre a sessão inclusiva:

Ministério da Cultura apresenta: Chacrinha, O Musical.

A Cielo convida para uma sessão inclusiva para deficientes visuais e auditivos no dia 04 de julho às 16h, no Teatro Alfa.

Apoio: Cielo

Produção: Aventura Entretenimento/Lei de Incentivo a Cultura

Realização: Ministério da Cultura e Governo Federal – Brasil Pátria Educadora.

Abaixo, no rodapé de fundo branco e dividido da imagem principal por duas linhas onduladas – uma vermelha e mais grossa e outra verde e fina – tem uma área com os logotipos da Cielo, Lei de Incentivo a Cultura, Aventura Entretenimento, Ministério da Cultura e Governo do Brasil (fim da descrição).

Chacrinha, o Musical terá sessão com audiodescrição e LIBRAS este sábado

Em cartaz no Rio de Janeiro, a sessão acessível com recursos produzidos pela Iguale será no dia 28 de fevereiro; no elenco o ator Stepan Nercessian

26 de Fevereiro de 2015 – ‘Chacrinha, o musical’, em cartaz no Teatro João Caetano, localizado na Praça Tiradentes, no centro do Rio de Janeiro, terá no dia 28 de fevereiro uma sessão inclusiva com audiodescrição e LIBRAS. Estes recursos acessíveis são ideais para que o público com deficiência visual e auditiva confira com autonomia e riqueza de detalhes e de informações este espetáculo que conta a história de um dos mais importantes comunicadores brasileiros. Coube a Iguale Comunicação de Acessibilidade desenvolver o roteiro e a produção da audiodescrição e também a tradução em LIBRAS, que será feita ao vivo. Esta sessão inclusiva é uma iniciativa da Cielo, patrocinadora do musical.

Descrição da Foto: o personagem Chacrinha, vivido pelo ator Stepan Nercessian, está sozinho em pé no palco. Está sorrindo com os braços para cima, na altura da cabeça. Sua roupa tem cores fortes e brilhantes. Chacrinha usa sapato e calça dourados, colete prateado e uma enorme gravata borboleta verde. O fraque vermelho tem uma flor amarela na lapela. Ele usa também uma cartola enfeitada com penas verdes e amarelas, além de óculos de lentes quadradas com hastes grossas e pretas. Chacrinha tem cabelos brancos e desgrenhados e a pele clara. Crédito foto: Caio Gallucci / Divulgação

Segundo Mauricio Santana, diretor da Iguale, é muito gratificante, depois de ‘Elis, a musical’, desenvolver mais um trabalho para a Aventura Entretenimento, especialmente porque demonstra a sua preocupação em tornar acessíveis os seus projetos para um público ávido por iniciativas como esta, o de pessoas com deficiência visual e auditiva. Segundo Santana a audiodescrição permite que a pessoa com deficiência visual conheça os detalhes que não são perceptíveis por intermédio da fala dos atores, já que o audiodescritor descreve além das ações, o cenário, figurino, gestos e outros elementos visuais, como a luz cênica, por exemplo. Já a LIBRAS, Língua Brasileira de Sinais, será feita ao vivo por duas intérpretes e transmitida em tempo real para vários monitores que serão estrategicamente instalados, atendendo as pessoas com deficiência auditiva, usuárias deste importante recurso.

Sinopse musical

Maior comunicador do rádio e da TV brasileira, Abelardo Barbosa costumava dizer que “Na televisão nada se cria, tudo se copia”. Paradoxalmente, não teve ninguém até hoje que conseguiu copiar a espontaneidade do Velho Guerreiro. Comandante de extravagantes concursos de calouros, responsável por revelar grandes nomes da música nacional e inventor de bordões infames, o apresentador agora é homenageado em ‘Chacrinha, o musical’.

Com orçamento de R$ 12 milhões, é assinada pela Aventura Entretenimento, maior produtora de musicais do país. Com texto de Pedro Bial e Rodrigo Nogueira, o espetáculo marca a primeira direção teatral de Andrucha Waddington e o fim da trilogia Uma Aventura Brasileira, iniciada por ‘Elis, A musical’ (em sua segunda temporada carioca) e ‘Se eu fosse você, o musical’.

O espetáculo acompanha a trajetória do apresentador desde sua infância em Surubim, Pernambuco, até o auge da carreira na TV Globo, comandando o programa de auditório “Cassino do Chacrinha”, com espaço para as rebolativas chacretes, buzinadas e troféu abacaxi. Dois atores dão vida ao protagonista: Stepan Nercessian interpreta o Chacrinha consagrado no rádio e na TV, enquanto Leo Bahia incorpora o jovem Abelardo Barbosa.

Ficha técnica

Texto – Pedro Bial e Rodrigo Nogueira

Direção – Andrucha Waddington

Direção de movimento – Alonso Barros

Direção Musical e Arranjos – Delia Fischer

Direção de arte e cenografia: Gringo Cardia

Figurino – Claudia Kopke

Design de som – Carlos Esteves

Desenho de luz – Paulo César Medeiros

Casting – Marcela Altberg

Elenco – Stepan Nercessian, Leo Bahia, Stephanie Serrat, Erika Riba, Mariana Gallindo, Saulo Rodrigues, Mateus Ribeiro, Livia Dabarian, Luíza Lapa, Leilane Teles, Paula Sandroni, Paulo de Melo, Chris Penna, Laura Carolinah, Milton Filho, Diego Campagnolli, Renan Mattos, Gabriel Leone, Tadeu Freitas, Patrick Amstalden, Pedro Henrique Lopes e Beto Vandesteen.

Realização – Aventura Entretenimento

Audiodescrição e LIBRAS – Iguale Comunicação de Acessibilidade

A sessão com audiodescrição e LIBRAS é uma iniciativa da Cielo, patrocinadora do musical.

Agenda: Chacrinha, o musical

Teatro João Caetano, Praça Tiradentes, s/nº, Centro.

Dias e horários: 5ª e 6ª, às 20h; sábado, às 16h e às 20h e domingo, às 19h. Até 1º de março.

Sessão acessível: dia 28 de fevereiro às 16h.

Funcionamento da bilheteria: De terça a domingo, das 14h às 18h ou até a hora do espetáculo (caso a compra seja para o espetáculo do dia seguinte, a bilheteria, em dias de espetáculo, só vende até às 18h do dia anterior).

Preço: 5ª e 6ª: R$ 50 (balcão simples), R$ 80 (balcão nobre) e R$ 100 (plateia). Sábado e domingo: R$ 50 (balcão simples), R$ 100 (balcão nobre) e R$ 120 (plateia).

Capacidade: 1.143 pessoas

Duração: 2h15 (com intervalo)

Classificação etária: 12 anos

Espetáculo INSUBMISSAS Mulheres na Ciência, em cartaz em SP, terá sessão com audiodescrição

A sessão acessível terá entrada gratuita para pessoas com deficiência visual; a Iguale será a responsável pela audiodescrição

23 de fevereiro de 2015 – Na próxima sexta-feira, dia 27 de fevereiro, o espetáculo INSUBMISSAS Mulheres na Ciência, em cartaz no Teatro de Arena Eugênio Kusnet, em São Paulo, terá sessão inclusiva com o recurso de audiodescrição produzido pela equipe da Iguale Comunicação de Acessibilidade. Neste dia, a entrada será franca para pessoas com deficiência visual. Para os demais públicos, os ingressos serão vendidos a preços populares.

Idealizado pelo Núcleo Arte Ciência no Palco da Cooperativa Paulista de Teatro, o espetáculo INSUBMISSAS Mulheres na Ciência compreende a história de quatro personagens/atrizes que contracenam em uma instalação de cordas, pedras e luzes e que impõem delicado equilíbrio entre o tempo histórico e o tempo da representação. Marie Curie, Bertha Lutz, Rosalind Franklin e Hipácia de Alexandria contam assim sua difícil entrada e convivência no círculo machista da ciência, que reproduz os preconceitos, a intolerância e as discriminações contra a mulher em diferentes épocas e lugares. Dessas quatro mulheres em cena, Rosalind deu contribuição decisiva à pesquisa do DNA e foi ignorada pelo prêmio Nobel. Madame Curie embora premiada, sofreu a ira moralista da sociedade francesa. Hipácia morreu apedrejada pelos cristãos e a brasileira Bertha Lutz fez da luta pelos direitos da mulher objetivo de vida.

O diretor da Iguale, Mauricio Santana, explica que o recurso de audiodescrição permite que pessoas com deficiência visual ou interessados, confiram a tradução do visual para o verbal, de todos os detalhes que não são perceptíveis por intermédio da fala dos atores. Para que isso aconteça, o audiodescritor descreve detalhes das ações, cenário, figurino, gestos e outros elementos visuais para que a pessoa com deficiência visua, por exemplo, possa construir aquela imagem no seu imaginário. Para Santana, iniciativas como essa têm se tornado cada vez mais comum nos espetáculos teatrais, e isso é muito bom porque beneficia, com autonomia, um público de certa forma, ainda a margem das manifestações culturais.

Descrição da foto: cinco mulheres estão num local escuro, em meio a cordas que descem do teto e iluminadas apenas por uma tênue luz avermelhada. A fotografia mostra apenas a parte superior do tronco das mulheres.

Agenda: 

Espetáculo: INSUBMISSAS Mulheres na Ciência

Temporada até 01 de março

Sextas e Sábados às 21h

Domingos às 19h

Ingressos populares: R$ 20,00 e R$ 10,00

Local: Teatro de Arena Eugênio Kusnet

Endereço: Rua Dr. Teodoro Baima, 94 – Consolação (rua em frente da Igreja da Consolação).

Promoção: Nas sessões de sexta-feira mulheres não pagam.

Sessão com audiodescrição: 27 de fevereiro 2015 às 21h (gratuita para pessoas com deficiência visual). Neste dia é importante chegar com antecedência de pelo menos uma hora para a retirada do convite.

Ficha Técnica:

Texto de Oswaldo Mendes

Direção de Carlos Palma

Elenco

Adrina Dham

Letícia Olivares

Monika Ploger

Selma Luchesi

Vera Kowalska

Rogério Romera

Iluminação: Rubens Velloso RUBENS VELLOSO

Figurinos: Carolina Semiatzh e Beatriz Rivato

Cenário: Carlos Palma

Piano (grav.): Attilio Mastrogiovanni

Assistente de direção: André Falcão

Preparação corporal: Inês Aranha

Produtora executiva: Patrícia Gordo

Contrarregra e montagem de palco: Gustavo Tovo

Operação de luz: Cida Franco

Operação de som: Danny Frazão

Produção: Núcleo Arte Ciência no Palco da Cooperativa Paulista de Teatro

Acessibilidade/Audiodescrição: Iguale Comunicação de Acessibilidade

Reservas de convites pelo e-mail: eventos@iguale.com.br ou pelo telefone (11) 2592.2957, com Daise.

2º Encontro Nacional de Audiodescrição em Juiz de Fora

 

 

Maurício Santana e Leo Rossi estão desde quinta-feira, 13 de Dezembro, representando a Iguale no 2º Encontro Nacional de Audiodescrição que acontece até o próximo dia 15,  na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).

O evento é promovido pela Coordenação de Acessibilidade Educacional, Física e Informacional (Caefi) e conta com palestras e oficinas. No mesmo período também será realizado o 3º Encontro de Acessibilidade.

Os temas discutidos no evento serão: A Implementação da Audiodescrição nos Diversos Segmentos, Profissionalização do Audiodescritor e o Mercado de Trabalho, além de oficinas sobre a audiodescrição no cinema, no teatro e na TV.

Hoje,  dia 14 de Dezembro às 14h Leo Rossi ministrará a Oficina AUDIODESCRIÇÃO NA TV em conjunto com Klístenes Bastos Braga (Fortaleza).

Ainda hoje das 15h30 às 17h Maurício Santana coordenará a mesa: COMPETÊNCIAS PROFISSIONAIS DO AUDIODESCRITOR. E no sábado das 09h00 – 10h30 fará uma palestra na MESA REDONDA: IMPLEMENTAÇÃO DA AUDIODESCRIÇÃO NOS DIVERSOS SEGMENTOS – FOCO NO PRODUTOR DE AUDIODESCRIÇÃO.

 

Confira a programação completa no link: http://www.gime.ufjf.br/gime/programacao-do-2o-encontro-nacional-de-audiodescricao-e-divulgada

 

CONFIRA AQUI A PARTICIPAÇÃO DA IGUALE NA 3a Virada Inclusiva 2012.


 

 

Olá a todos!!!

Temos o prazer em  convidá-los para conferir  as atividades culturais do próximo dia 2 de dezembro que integram a programação da 3a Virada Inclusiva e as quais a Iguale está produzindo a acessibilidade com audiodescrição e Open Caption.

 

E tem para todo mundo, na capital e no interior!

Vamos lá então, anotem na agenda!

 

SÃO PAULO

2 de Dezembro.

CINESESC.

11H –

PEIXONAUTA- Agente Secreto da O.S.T.R.A.

(Com Audiodescrição e Open Caption.)

Direção: Celia Catunda, Kiko Mistrorido. Brasil, 2012, 95 min. Animação). O mais simpático peixinho do Brasil, Peixonauta, está pronto para mais uma aventura e se tornar agente especial da O.S.T.R.A. Para conquistar a insígnia, terá que cumprir sete complicadas missões, sempre com a ajuda de seus amigos Marina e Zico. Grátis. (retirada de ingressos 1 hora antes).                  Mais detalhes em:

http://www.sescsp.org.br/sesc/programa_new/mostra_detalhe.cfm?programacao_id=235187

 

ITAU CULTURAL

20H –

DEVIR COISAS – (espetáculo de dança com COLETIVO MR)

Concepção de Luiz Ferron. Com Hélio Feitosa, Jaqueline Souza, Luis Ferron e Teo Ponciano

Duração: aprox. 50’ [indicado para maiores de 14 anos]

Distribuição de ingressos 30 minutos antes do início do evento. Sala itaú cultural . 247 lugares

Descrição:

COLETIVO MR – Dança, pessoas, corpos e criação

O Coletivo MR – 2008, é uma extensão de aprofundamento e pesquisa em criação do Projeto Mão na Roda – 1999, projeto da Secretária Municipal de Cultura de Diadema, o qual utiliza a linguagem da dança como dispositivo para fissurar pragmatismos acerca de singularidades corporais envolvendo pessoas com e sem deficiência.

DEVIR COISAS – EXPOSIÇÃO 06

A obra é um desdobramento do atual processo de criação, Devir Alma, do Coletivo MR, o qual tem como mote de pesquisa a instabilidade do corpo no tempo.

A partir desta proposta,  Devir Coisas pretende atualizar memórias num presente que se apropria delas no sentido de parir  possibilidades inéditas em sua atualização. Um corpo em Ser e Estar, o corpo TO BE, num profundo estado gerúndio, sendo e estando em acontecimento e poroso para o que pode vir a ser: constante Devir.

Corpos e imagens de repertórios passados são aceitos como forma de materializarem a idéia de uma memória sempre presente.

Nesse sentido Devir Coisas é aceitar um corpo mosaico de sua própria historicidade.

 

 

BAURU

1 e 2 de Dezembro

SESC BAURU

Exposição: OLHOS DE BARROS: A poesia de Manoel.

Manoel de Barros é um poeta que vive, em sua poesia, o hiato entre o homem culto e o homem primitivo que é. Ao mesmo tempo em que bebeu da fonte do erudito, também se entregou a uma força a que muitos resistem: a abstração, capaz de levar uma pessoa a lugares muito além do senso comum. A obra genial de Manoel não nasce da planificação das coisas, mas de uma linguagem própria e inusitada, embolada com as coisas da terra, os musgos, muros de pedra, passarinhos e sapos. A exposição explora o rico universo imagético que Manoel de Barros desvenda em cada poema, cada frase ou palavra, através de instalações artísticas, cenográficas e audiovisuais, oficinas, sessões de histórias e espetáculos inspirados em sua obra. Aprecie a grandiosidade de suas miudezas e experimente ver o mundo com ‘Olhos de Barros’. Hall de Exposições  Grátis.

Mais detalhes em:

http://www.sescsp.org.br/sesc/programa_new/mostra_detalhe.cfm?programacao_id=229331

 

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

2 de Dezembro

SESC –RIO PRETO

15h30-

A BONEQUINHA DE PANO- Espetáculo teatral (infantil)

A bonequinha Pitucha, há muitos anos esquecida no sótão da casa, relembra os momentos marcantes da vida da menina Leninha, sua dona. As brincadeiras de criança, o primeiro beijo, a separação dos pais são alguns dos acontecimentos da vida de Leninha narrados pela bonequinha, que conta ainda para o público o seu próprio (e inusitado) nascimento. No Teatro. Grátis.

Mais detalhes em:

http://www.sescsp.org.br/sesc/programa_new/mostra_detalhe.cfm?programacao_id=235393

 

Não deixem de conferir as informações sobre a programação completa da 3a Virada Inclusiva em: http://viradainclusiva.sedpcd.sp.gov.br/

 

Esperamos todos vocês!!!

Audiodescrição no Teatro e Espetáculos de Dança

A Audiodescrição de “O Quebra Nozes” marca o lançamento do projeto Teatro Acessível, coordenado por Mauricio Santana (Iguale) e Lívia Motta (Ver com Palavras) que tem como objetivo levar às salas de espetáculos os recursos de acessibilidade (Audiodescrição, Legendas e LIBRAS) para que as pessoas com deficiência possam ter acesso, autonomia e inclusão sócio-cultural plena.

AUDIODESCRIÇÃO de “O QUEBRA NOZES” no Tetro Alfa

Convite O Quebra Nozes - descrição no final do post

Abrindo caminhos para a audiodescrição brasileira, o Projeto Teatro Acessível, coordenado por Mauricio Santana (Iguale) e Lívia Motta (Ver com Palavras) convidam para esta apresentação de “O Quebra Nozes”, espetáculo que normalmente acontece somente em época de Natal. Não percam!

Descrição do convite do balé “O quebra Nozes” da Cia. Cisne Negro.

O convite é composto pela foto de uma cena do balé, onde a personagem Clara, a protagonista, está sentada em uma cadeira de balanço no centro do palco. Ela está adormecida, segurando nas mãos um soldadinho de brinquedo de calça branca, farda vermelha com detalhes em amarelo e um chapéu também vermelho com um penacho branco. Clara usa um vestido branco e sapatilhas de balé. Em pé e atrás da cadeira está o Rei dos Camundongos, um bailarino usando capa preta e uma enorme cabeça de rato, com uma coroa dourada sobre ela. O fundo da foto é escuro, porém nota-se a presença de uma grande cortina vermelha e alguns pequenos pontos brancos, que lembram flocos de neve ou luzes de Natal. Sobre esta foto, escrito em branco e de cima para baixo estão os letreiros:

No topo: O Teatro Alfa oferece audiodescrição para espectadores com deficiência visual para o tradicional balé de Natal “O Quebra Nozes”. Logo abaixo o logotipo: “Cisne Negro companhia de dança em “O Quebra Nozes”, música de Tchaikovsky.

Mais abaixo e ao lado dos personagens acima descritos estão as informações:

“Sessão com audiodescrição, dia doze de Dezembro, segunda-feira as vinte e uma horas. Duração cento e vinte minutos. Classificação livre”.

Ingressos: inteira, quarenta e cinco reais. Meia-entrada, vinte e dois e cinquenta.

Estarão disponíveis cinquenta fones de audiodescrição nesta data. Favor reservar o fone no ato da compra de ingresso.

Os ingressos podem ser adquiridos na bilheteria do teatro, pelos telefones: 11 5693-4000 e 0300-789-3377, ou pessoalmente.

De segunda a sábado das onze às dezenove horas e domingos das onde às dezessete horas.

No rodapé do convite há uma faixa preta onde estão o logotipo do Teatro Alfa “Arte em todos os sentidos” e o endereço: Rua Bento Branco de Andrade Filho, 722.

Demais informações:
Telefones da bilheteria: 11 5693-4000 e 0300 789 3377.
www.teatroalfa.com.br
Facebook: teatroalfa.
Twitter: @teatroalfa.

Logo abaixo estão os logotipos da Lei de Incentivo a Cultura e do patrocinador “Banco Alfa”.
Apoio Institucional: Prefeitura do Município de São Paulo – Lei número 10.923/90
Realização: Instituto Alfa de Cultura e Cisne Negro Cia de Dança.
Ministério da Cultura e Governo do Brasil.